Archives For July 2012

Depois de literalmente meses e meses de espera, finalmente temos em mãos um gostinho do primeiro álbum do Visitor, duo britânico de synth-pop composto pelos amigos Kyle Gibson e Lucas Gianello. Em 2010, em uma das primeiras postagens aqui do blog, o duo lançou um majestoso single, “Los Feeling”, que infelizmente foi a última coisa que ouvimos deles até então. Chegaram a lançar alguns remixes, ganharam o apoio dos renomados Madeon e Stuart Price e, felizmente, mês que vem estarão lançando seu primeiro single duplo, Coming Home/RNB.

Hoje foi liberado a audição do lado B do single, “RNB”, um synth-pop intergaláctico, com ares cinematográficos e que basicamente soa como um M83 fazendo música para o Blade Runner. Sintetizadores dramáticos ditam o tom da primeira parte da música que, totalmente instrumental, nos guia com riffs e batidas densas até a segunda parte. Funcionando como uma espécie de redenção, os vocais de Lucas acendem uma luz na sombria produção até então, desbravando as camadas de sintetizadores com um inesperado refrão que, como os maiores heróis, surge apenas nos últimos segundos.

Visitor – RNB

O single duplo Coming Home/RNB ainda não tem uma data certa mas sai mês que vem. Espere ainda uma enxurrada de remixes de produtores como Viceroy, Lifelike, FM Attack, SymbolOne, Vanguard, Easy D, dentre outros.

Desde o ácido single “Danger”, de 2011, venho falando do The Milk e do seu som, altamente influenciado pelo Motown e por bandas de soul e funk dos anos 60, mas com uma paixão por guitarras e a ajuda de uma produção contemporânea. O que poderia soar retrô demais para tocar nas rádios se prova altamente comercial nas mãos do quarteto, que entrelaça versos dançantes e refrões grudentos em composições que certamente te farão prestar atenção na banda, independente da idade ou do ano que estamos.

Depois de quatro singles e um contrato firmado com a Sony, a banda estará lançamento mês que vem seu primeiro disco, Tales from the Thames Delta, cujo novo single, “Chip The Kids”, é mais uma prova de que não devem decepcionar. Acelerando o ritmo novamente, “Chip The Kids” traz as melhores características que nos fizeram gostar da banda, abusando de trompetes, guitarras funkies e deliciosas harmonias vocais que parecem sair de um disco perdido da Amy Winehouse. Com o refrão soul-pop mais encantador da banda até então (que fará o Cee-Lo Green ficar branco de inveja), o The Milk chega com mais uma autêntica e rebelde composição, que não terá dificuldade em te fazer dançar.

The Milk – Chip The Kids

O primeiro disco do The Milk, Tales from the Thames Delta, será lançado no dia 3 de Setembro pela Sony. Se perdeu, confira também os singles “Everytime We Fight”, “Broke Up The Family”, “B-Roads” e “Danger”.

Se você mora em São Paulo certamente já programou o final de semana: a nova edição do Creator’s Project, um grande evento de arte e tecnologia promovido pela Intel e pela Vice que roda o mundo inteiro e desembarca em Agosto no Brasil, mais exatamente, no próximo final de semana. No sábado, rola a exibição do filme do LCD Soundsystem, Shut Up And Play The Hits, um documentário sobre a banda e seu amargo final, intercalado com cenas do mesmo show que vimos por aqui ano passado. No domingo, rola show do Tanlines (donos de um synth-pop delicioso que que já comentamos aqui), show do consagrado produtor de hip hop Araabmuzik e a apresentação de vários DJs brasileiros, dentro eles o hype Leo Justi, que remixou a M.I.A..

Além dos shows, o evento terá várias atrações que variam de obras de arte mutáveis controladas por Kinect a video-games interativos que farão sua estreia pela primeira vez no Brasil. O melhor de tudo é que pra participar do festival bastava apenas ter cadastrado seu nome aqui, no site do evento, mas infelizmente vai contar com a sorte de liberarem novos ingressos, visto que a leva já acabou. A outra opção é seguir com a nossa promoção, que vai sortear 2 (DOIS) pares de ingresso para SÁBADO, 2 (DOIS) pares de ingresso para DOMINGO e 1 (UM) par de ingresso para os DOIS DIAS.

 

Para participar, basta nos seguir no Twitter, curtir nossa página no Facebook, e twittar uma das seguintes frases:

  • → INGRESSOS DE SÁBADO: Quero ir no Creator’s Project de Sábado com o ingresso que o @omrblog está sorteando! http://kingo.to/19FL

 

  • → INGRESSOS DE DOMINGO: Quero ir no Creator’s Project de Domingo com o ingresso que o @omrblog está sorteando! http://kingo.to/19FM

EDIT: Promoção encerrada! Os vencedores são @jenniferdje e @BelMandalas (sábado); @sigammeosbons e @danzer0 (domingo) e @pessotta (os dois dias)! Favor entrar em contato com email e nome completo até às 21:00h!

Quem participar de qualquer um dos dois já participa do par de ingressos que dá direito aos dois dias. O resultado sai na quinta-feira, às 16:30h, e os vencedores terão até às 19:00h para confirmar. Para mais informações do festival, basta entrar no site oficial.

Continue Reading…

Ao meio de tantas bandas mais do mesmo, é gratificante ver o Animal Collective se renovar a cada lançamento e desafiar seus ouvintes com cada novidade lançada. Depois de dois excelentes singles que infelizmente não vão estar no novo disco, “Gotham” e “Honeycomb”, o Animal Collective acaba de divulgar o primeiro single oficial do Centipede Hz, sucessor do Merriweather Post Pavillion, que, como prometido pela banda, irá trazer composições mais agitadas e uma produção mais orgânica, que já recebeu comparações com o rock progressivo do Rush.

E é exatamente assim que chega a frenética “Today’s Supernatural”, guiada pelos vocais maníacos e processados de Avey Tare sob uma produção caótica e orgânica que remete ao Strawberry Jam mas tão polida quanto a do Merriweather Post Pavillion (culpa do Ben Allen).  Com um piano quase fúnebre, se não fosse os bongos e a percussão tropical que compõe suas batidas, a canção abraça os experimentalismos psicodélicos da banda abusando de sintetizadores, guitarras e um refrão bizarro que vai soar como pura melodia para os fãs da banda (e para todos depois de três audições).

Animal Collective – Today’s Supernatural

O novo disco do Animal Collective, Centipede Hz, é um dos mais esperados do ano, e sai dia 3 de Setembro pelo selo Domino.

Movidos por uma paixão por sexo, sintetizadores e Phil Collins, o duo americano Night Panther vem direto da Pensilvânia para fazer um som obviamente sensual – que já estão chamando de sex-pop. Fundado pelos melhores-amigos Farzad Houshiarnejad e Mike Cammarata, a banda já está apresentando vários shows nos EUA e já planeja o lançamento do primeiro disco para esse ano, cujo primeiro single, “Snudge”, é um ótimo um pedaço desse amor pela juventude que impulsiona sua música.

“Snudge” é um pop-disco que fala de amores que se complicaram, e começa com pianos, sintetizadores sonhadores e versos grudentos, culminando em uma produção cósmica e igualmente adorável, como se o of Montreal deixasse de ser excêntrico e pegasse um pouco da vibe “viajada” do Empire of the Sun. A suavidade da música culmina em um acelerado refrão sobre uma progressão de pianos, riffs de sintetizadores e um breakdown mágico, cantado em coro pelo duo.

Night Panter – Snudge

Para mais novidades sobre os próximos lançamentos do duo, recomendo ficarem de olho no seu Facebook.

Basta uma olhada na capa do primeiro disco da MNDR, Feed Me Diamonds, que dá pra perceber o quão colorido e movimentado ele será. E não é pra menos. Com lançamento pelo selo eletrônico Ultra (casa de nomes como deadmou5, Calvin Harris e Benny Benassi), o projeto de Amanda Werner já nos mostrou com os singles “#1 In Heaven” e “Faster Horses” que seu electro-pop chiclete está cada vez mais pulsante. Entretanto, na última faixa divulgada, que também leva o nome do disco, os saudosos de suas primeiras músicas terão mais o que comemorar.

Só o tema da música já passa longe das pistas, tomando de partida o assassinato do pai da artista Marina Abramovic, sequestrado e assassinado por bandidos que o fizeram comer diamantes, morte muito comum nos assassinatos de antigos monarcas. O assunto serve de metáfora para Amanda cantar sobre um relacionamento destrutivo cuja produção, evocando uma aura de sua primeira música (“I Go Away”), segue um tom melancólico minimalista mas que vai crescendo aos poucos graças a um baixo presente, sintetizadores sombrios e uma batida rítmica.

MNDR – Feed Me Diamonds

O primeiro disco da MNDR, Feed Me Diamonds, chega no dia 14 de Agosto pelo selo Ultra Records.

Com quase seis minutos de duração, os australianos do Tame Impala mostraram em “Apocalypse Dreams”, o primeiro gostinho do Lonerism, que estariam vindo ainda mais preparados e maduros que no primeiro disco. Um take moderno do rock-psicodélico dos anos 60, cheio de solos de guitarra, sintetizadores e vocais que escorrem reverb, por mais que tenhamos gostado da música, é o primeiro single oficial, “Elephant”, que sai triunfante e eleva o disco para um dos mais aguardados do ano.

Com uma duração mais enxuta, de apenas 3 minutos e meio, o single traça as mesmas características que já conhecemos da banda, como a produção cheia de camadas e as reviravoltas em sua estrutura, mas sem comprometer a vibe psicodélica e progressiva que já dominam. Com vocais que nos fazem imaginar um John Lennon produzido por um Josh Homme sob efeito de cogumelos, Kevin Parker usa o animal como metáfora pra cantar sobre um canastrão bancando de otário na primeira parte da música, enquanto na segunda o destaque fica para delirantes solos distorcidos de baixo e sintetizadores, que completam uma das produções psicodélicas mais modernas e coloridas que ouvimos recentemente.

Tame Impala – Elephant

O aguardo segundo álbum do Tame Impala, Lonerism, chega no dia 5 de Outubro.