The Knife – Full of Fire

Luis Felipe —  25/01/2013 — 9 Comentários

The-Knife-Full-of-Fire

Loucos, revolucionários, incompreendidos ou a frente do seu tempo – seja o que você pense do The Knife, é difícil de discordar que o duo sueco, formado pelos irmãos Karin Dreijer e Olof Dreijer, têm no mínimo um som curioso. Após o lançamento do seu último disco, Silent Shout, de 2006, a banda chegou a fazer a trilha sonora (instrumental) de uma ópera, Tomorrow In A Year, de 2010, mas só agora lança o verdadeiro próximo passo em sua carreira, com o primeiro single do Shaking the Habitual, álbum de inéditas que sai em abril.

“Full of Fire”, a nova canção da dupla, é um tapa na cara de quem esperava um retorno encalcado na música pop à-la “Heartbeats”. Seguindo pela direção oposta, a canção é uma sinfonia eletrônica de nove minutos com as batidas mais insanas que Olof Dreijer já produziu, que decretam a fidelidade da banda com o experimental. É claro que digerir uma canção de nove minutos não é nada fácil, visto que a produção hipnótica demora minutos para se formar e mesmo assim não permanece constante por muito tempo, com os vocais gélidos de Karin remetentendo aos melhores momentos da Bjork. Se é algo descartável ou genialidade genuina, a cacofonia dos sintetizadores deve ser melhor compreendida com a versão em alta qualidade que conseguimos com exclusividade, visto que ouvir uma música desse porte em baixa qualidade é como pedir pra ter uma bad trip no seu festival favorito. Baixe e ouça no seu próprio tempo, que em breve perceberá que o The Knife continua tão afiado quanto antes.

The Knife – Full of Fire

O novo disco do The Knife, Shaking the Habitual, sai no dia 09 de abril pelo selo Mute.

9 respostas para The Knife – Full of Fire

  1. Hipnótico, instigante e viciante. Essa é a batida. Adorei!

  2. This song is fucking outrageous.

  3. Estranha ate pros mais exoticos, mas é tao diferente que vc fica instigado a escutar.

  4. João Gabriel Oliveira 28/01/2013 at 01:16

    Cara, que música perfeita. The Knife transcendeu, essa música não é desse mundo.

Deixe seu comentário