Archives For March 2013

34663

Já estamos de malas prontas para embarcar pra São Paulo, para o que vai ser, sem dúvidas, o maior festival de música alternativa do ano. E é em clima de Lollapalooza que trazemos para vocês uma mixtape de aquecimento para o festival, de curadoria e mixagem do projeto Geeks Can Rock!, cria do paulistano André Ferragut.

A intenção do set é servir de trilha enquanto você se prepara para os dias de festa, e durante suas quinze músicas, ele consegue ser tão caótico e diversificado quanto um festival deste porte consegue ser, transitando com naturalidade entre remixes dos seus hits favoritos e novas músicas que talvez ainda não conheça – mas que certamente deveria antes de ir ao festival. Seja pra conhecer o que vai rolar de bom (e não se arrepender por não ter ido depois) ou apenas pra entrar no clima e saciar a vontade de estar lá, nos despedimos agora com esta bombástica mixtape e desejamos a todos que irão no Lolla um bom show!

Mixtape: Lollapalooza 2013 Essentials

65293_10151520088607642_1697942697_n

Março foi um mês agitado, mas surpreendentemente, nas últimas semanas e de uma maneira inesperada, descobri o Retro Stefson e o disco que mais me encantou em um mês repleto de grandes lançamentos. Direto da Islândia, a banda é o fruto de um projeto entre os irmãos Unnsteinn e Logi Stefánsson, que recrutaram nada menos que mais cinco integrantes para dar corpo à banda, que já conquistaram o topo das paradas musicais do seu país com dois hits e fizeram um aclamado álbum de estreia, lançado hoje no Reino Unido.

Como disse, meu caso com auto-intitulado Retro Stefson já é algo sério, e das dez canções do disco estou apaixonado pelas dez, sem exceção. As canções passeiam por tantos estilos diferentes e as produções são tão criativas que o disco te instiga a ouví-lo inúmeras vezes e, analisando-o como um todo, a impressão que temos é que estamos diante um Alt-J com mais sintetizadores. Entretanto, para começar a entender minha obsessão, “Glow” é perfeita introdução à essa banda multifacetada, que, assim como o disco, não pode ser reduzida a um único gênero.

Misturando elementos acústicos e eletrônicos, “Glow” se inicia com percussões ritmadas e vocais que te fazem imaginar um híbrido entre o Electric Guest e o Miike Snow tentando ser funky. Sintetizadores rápidos balanceiam o lado eletrônico da produção dinâmica, que caminha em uniformidade junto à belas harmonias vocais que aproveita as vozes dos sete integrantes. Sem muita pretensão, a canção vai se revelando aos poucos até se transformar em um tour-de-force na casa dos dois minutos, quando vocais femininos entram em cena e a produção fica ainda mais intensa, culminando em um aventureiro e bombástico primeiro single que você não vai cansar de ouvir.

Retro Stefson – Glow

Não queremos lotar vocês de informações, então a partir de hoje, postaremos as nossas quatro favoritas do disco a cada semana, para recuperar o atraso. E se gostou do que ouviu, já dá pra ouvir o disco completo por aqui e de quebra, neste link, você confere um show completo da banda.

beatrice1

A sueca Beatrice Eli foi apresentada aqui no blog em 2012 com seu single “The Conqueror”, mas só retornou este ano, em fevereiro, com maiores notícias de um novo lançamento. Seu primeiro EP, It’s Over, foi lançado no último dia 24 e segue os passos já demonstrados nos single lançados, sendo a próxima música promocional, “Violent Silence”, mais uma boa amostra do registro.

Nem tão descontraída quanto “It’s Over” e menos grandiosa que “The Conqueror”, “Violent Silence” se estabelece como um pop sombrio de produção calculada e refrões eficazes, que prendem sua atenção pela honestidade dos vocais de Eli. A falta do carisma e da inventividade que permeiam os lançamentos de suas conterrâneas trazem mais semelhanças a uma Jessie J do que a uma Robyn, mas apesar do lançamento um tanto ordinário, se você gosta de sua típica canção pop de composição grudenta e vocais femininos, terá pouco do que reclamar da nova música da cantora.

Beatrice Eli – Violent Silence

night-engine-young-and-carefree640

No final de janeiro apresentamos por aqui o Night Engine, banda de Londres e dona do single “I’ll Make It Worth Your While”, que a primeira vista soava como um hit perdido do indie-rock britânico de meados dos anos 2000 e que nos conquistou com facilidade seja pelo sentimento nostálgico ou pelo refrão completamente dançante. O desejo de criar um “som da noite” foi tão intenso que garantiram aos rapazes uma turnê com o Kaiser Chiefs e o The Joy Formidable no Reino Unido, que deve ganhar ainda mais força com o lançamento do novo single dos rapazes, Give Me A Chance / Young and Carefree.

Enquanto o lançamento só se dá no dia 27 de maio, a banda acabou de divulgar “Young And Carefree”, canção que vai te fazer repensar qualquer conceito que tenha a respeito de “b-sides”. Se o single anterior era um tiro certeiro – e um tanto quanto seguro – no mercado de rock britânico, “Young And Carefree” é um número ousado e grandioso que não deve passar despercebido. Com um começo dramático e sombrio, a canção toma um rumo inesperado aos 90 segundos, quando o vocalista exclama que está “pronto para morrer”, ao som de um baixo dançante que parece sair dos discos do !!! e um refrão cantado em coro junto a batidas galopantes, que vão fazer o Franz Ferdinand correr atrás do prejuízo. A produção ambiciosa ainda passeia com facilidade pelos números dançantes do Bowie dos anos 70 e pelas melodias grandiosas do The Killers, culminando em um número que está pronto para ser o novo hino de guerra de uma geração – jovem e desenfreada, como diz o título – e que está só esperando ser descoberto para atingir seu potencial.

Night Engine – Young And Carefree

O Night Engine irá lançar seu single duplo, “Give Me A Chance” e “Young And Carefree”, no dia 27 de maio pelo selo Demand Vinyl.

say-lou-lou

Ano passado as irmãs “metade australianas, metade suecas” do Saint Lou Lou nos encantaram com seu romântico e minimalista single de estreia, “Maybe You”, sem dar muito sinal de vida até agora. Problemas com o nome original do duo forçaram as garotas a mudá-lo temporariamente para SLL em uma participação no single do Goldoom, “Sweetness Alive”, e agora definitivamente para Say Lou Lou, nome oficializado com a chegada do novo single da dupla, “Julian”.

E “Julian” prova que a única coisa que mudou na dupla foi o nome, visto que sua sonoridade etérea, minimalista e intensamente apaixonada permanece intacta. Assim como o single anterior, “Julian” é um dream-pop melancólico e suave, que consegue atingir novas alturas graças a um refrão instantâneamente clássico que aproveita de guitarras e sintetizadores crescentes para ganhar mais impacto. Soando como uma grande balada oitentista mas de produção atual, as garotas intercalam seus vocais angelicais para formar belas harmonias que fazem da música um hipnotizante dueto, que te fará acreditar no potencial da dupla antes mesmo do seu término.

Say Lou Lou – Julian

O single de “Julian” será lançado com remixes de Dan Lissvik, Martin Dubka, Monsieur Adi e Checan, enquanto o vinil virá com uma faixa bônus. O lançamento se dá no dia 6 de maio pelo próprio selo da dupla, Deux Records.

Working-At-Computer-618-x-462-e1354157868663 copy

Há mais de três anos passou pela minha cabeça a ideia de abrir um blog. Tinha acabado de entrar na faculdade, já estava trabalhando o dia inteiro mas mesmo assim eu tentei. Aonde eu ia conseguir chegar eu não sabia, mas a vontade de espalhar uma música que recebia pouquíssima atenção aqui no Brasil, de artistas que, ao meu ver, “nunca” iriam vir pra cá, era tão grande que resolvi tentar. Obviamente, como a maioria dos novos blogs, eu acabei desistindo. Três meses depois, depois de uma conversa com alguns amigos, resolvi abrir o blog de novo e até então não parei.

Várias coisas me motivam a fazer o que eu faço, seja receber discos em primeira mão, estar em contato com alguns dos meus artistas emergentes favoritos, receber ingresso pra festivais, fazer festas do blog e acima de tudo espalhar aquilo que merece ser divulgado, mas fato é, eu não sobrevivo de blog. Isto é um hobbie. E nesse ano, as coisas têm ficado cada vez mais apertadas para mim, e por isso, pela segunda vez, venho convidá-los a fazer parte disto aqui, a dividir comigo as responsabilidades de blog de forma a manté-lo e torná-lo cada vez melhor. Vem cá (ou clique aqui) que eu explico um pouco mais.

Clique aqui para saber como >> >>

16x20-2am-hipster-canvas-print copy

Se você acompanha nossa trajetória desde o início, sabe que a história do Oh My Rock foi uma montanha russa de emoções. Comecei o blog timidamente em 2008, com o intuito de parar de perturbar meus amigos a cada novidade que eu descobria e de criar uma plataforma para novos artistas emergentes. Nós não falamos sobre notícias, não falamos sobre álbuns, nós evitamos ao máximo falar daquela banda que todo mundo tá falando (e se falamos, buscamos sempre trazer uma nova visão) e acima de tudo: nós não escrevemos em inglês. Apesar da metade dos nossos leitores serem estrangeiros, somos um blog orgulhosamente “de brasileiro para brasileiro”, com o objetivo de trazer para a nossa língua os mais diversos artistas que chamam a nossa atenção, que ainda não “chegaram por aqui” e que, na nossa opinião, “merecem ser divulgados”.

Como eu estava falando, começamos timidamente em 2010, e ao longo desses três anos entraram e saíram diversos colaboradores, fizemos amizades que (não estou exagerando) serão para toda a vida, fizemos festas incríveis na Funhouse, estivemos em contato com diversos artistas emergentes, demos entrevistas para jornais e TV, ouvimos vários discos em primeira mão, entrevistamos alguns dos nossos artistas favoritos e fomos convidados para diversos shows e eventos que nem imaginávamos participar. Sinceramente, nunca imaginei que um simples hobbie tomaria tamanha proporção e seria, no final, uma parte tão importante da minha vida. E tudo isso graças a vocês, que entram no nosso blog diariamente, comentam nossas postagens, espalham as novidades para os amigos, vão em nossas festas, contribuem com dicas e vibram com as nossas conquistas.

Meu tempo dedicado ao blog é curto, pessoalmente trabalho em tempo integral e, durante estes três anos, ainda estudava a noite. Não me perguntem como eu consegui ainda administrar um blog porque eu não sei responder, mas pode ter certeza que cada post escrito aqui foi selecionado a dedo e feito com muito suor. A vontade de desistir já bateu intensamente, mas graças ao apoio de vocês buscamos sempre caminhos alternativos, como adaptar o blog para um estilo mais “rápido” (tumblog) e gastar finais de semana em detrimento de postagens. Portanto, para finalizar, gostaria de dizer a todos os envolvidos um MUITO OBRIGADO por sustentarem o blog, vocês são a principal razão por estarmos fazendo isso e com o apoio contínuo de vocês, podem ter certeza que ainda estaremos aqui por um bom tempo. Agora aumente o volume e dê o play pois o Friday Mixes de hoje é especial! Curtam!

OBS 1.: A partir de segunda feira abriremos as inscrições para novos colaboradores no blog, então se tiver o interesse de entrar para o time, voltem semana que vem para saber como!

OBS 2.: Remixes individuais após o jump, clicando na foto acima ou AQUI.

MIXTAPE: Friday Mixes 55 #REMIXED

Clique aqui para os remixes individuais! >> >>