Archives For May 2013

.

Depois de “You & Me”, ótima música feita em parceria com Eliza Doolittle, chegou a hora da frenética “When A Fire Starts To Burn” ganhar um clipe à altura. Na véspera do lançamento oficial do álbum Settle (disponível para venda a partir de 3 de junho), o Disclosure divulgou o videoclipe de uma das músicas mais pegajosas do álbum voltado para animar festas e danceterias. O diretor Bo Mirosseni fez um trabalho bastante eficaz ao usar um culto religioso como forma de comparação com o poder que a música tem de cativar o público. No início do clipe, um pastor prega que mudanças são inevitáveis e é importante sair da zona de conforto. Tal mensagem cai como uma luva para quem escuta “When A Fire Starts To Burn”, canção que integra um repetitivo sample com batidas capazes de fazer as pessoas dançarem enlouquecidamente, tanto os fieis fervorosos como quem vê tudo de casa.

.

O blog já elogiou “In The City”, primeiro single divulgado pelo Caveman para que as pessoas se interessem por seu segundo álbum, que tem o mesmo nome do grupo. Agora é a vez de recomendar o clipe de “In The City”, dirigido por Philip Di Fiore. No vídeo, um casal vai para Nova York e fica deslumbrado ao passear pelo local. Entretanto, a empolgação termina quando um clima desconcertante toma conta deles, interpretado por Julia Stiles e Fran Kranz. Quem já viu o clássico de terror psicológico “O Bebê de Rosemary” (1968) vai perceber a referência ao filme de Roman Polanski, pois o clima agradável fica sombrio quando a personagem de Julia Stiles acorda e nota ferimentos no corpo, feitos durante a noite por um suposto funcionário do hotel onde o casal está hospedado. Depois de ver o clipe, você provavelmente pensará duas vezes antes de dormir em um quarto de hotel sem checar se não há ninguém escondido atrás das cortinas.

.

Charli XCX é uma daquelas adoráveis popstars que foge as regras, mas que ainda assim ganhou uma certa atenção nos últimos meses tanto pela crítica quanto pelo público, seja por “I Love It”, a colaboração com o Icona Pop, ou com o seu próprio trabalho, que rendeu um primeiro disco esse ano. Para continuar a divulgação do True Romance, mais uma música do registro, “Take My Hand”, acaba de ganhar um vídeo. Produzido pela Urban Outfitters TV e dirigido por Ryan Andrews, o video combina cenas com um quê de psicodelia, com direito a fumaças e luzes vibrantes, com a vibe alto-astral da canção, com cenas da cantora caminhando por corredores e se divertindo em uma festa com muitas pessoas dançando ao som da música. Aparentemente, temos apenas um single promocional em mãos, mas a produção é legal o suficiente para garantir mais um sólido acerto ao repertório da britânica.

smallpools-dreaming-612x612

O título do primeiro single dos californianos do Smallpools já te deixa a par de como é o seu som. “Dreaming” te leva numa viagem divertida e empolgante, com cara de hit que entra fácil em qualquer playlist de verão, mas que ao invés de cair nos chill ou no dream-pop, mergulha de fundo em batidas energéticas que vão te deixar sem fôlego. O quarteto baseado em Los Angeles debuta de forma sólida, numa faixa que instantaneamente encanta os ouvidos e dá aquela sensação de que em breve vai chegar ao topo dos charts. Numa mistura pop que dosa perfeitamente elementos no estilo do Fun e do Passion Pit, as influências múltiplas do Smallpools agradam logo de cara e os sintetizadores fazem você abrir um sorriso.

Aliás, não é à toa que a faixa ganhou destaque pelo selo Neon Gold, que já lançou sua cota de singles do próprio Passion Pit, assim como Penguin Prison e Marina And The Diamonds. Arrebatadora, a melodia contagiante de “Dreaming” soa otimista, quase como uma faixa perdida do Manners (2009). Esse é um single sem qualquer intenção de soar denso, que não quer ser nada além de música pra se divertir, despretensiosa, com batidas ensolaradas e vocais eufóricos. Esses ingredientes, muito bem misturados aliás, fazem do som do Smallpools aquele tipo epidêmico de indie-pop que tem um tempo que a gente não ouve. Impressionantemente cativante pra uma estréia, a canção tem tudo para garantir a total dominação da banda nos blogs afora. Mas se isso não se concretizar, uma coisa é certa: o Smallpools tem tudo pra ser seu próximo vício.

Smallpools – Dreaming

.

O Dale Earnhardt Jr. Jr. segue divulgando o EP Patterns, que já teve o excelente single “If You Didn’t See Me (Then You Weren’t On The Dancefloor)”, com o videoclipe da música “Dark Water”. O irreverente duo de Detroit chamou Joe Baughman para dirigir o vídeo, que é uma espécie de fábula ao mesmo tempo sombria e descontraída. As imagens conseguem grudar na mente assim como os assovios graciosos da canção, cujo clipe apresenta uma mocinha atormentada se afogando em um rio de águas escuras. Além de mostrar o desespero da jovem, retratado também por cenas dela dançando em um palco acompanhada de pessoas vestidas como figuras aquáticas, o clipe ganha um ar pueril quando a dupla de artistas aparece em um submarino na forma de claymation (técnica de animação em stop motion), completando o encanto da produção.

D7dug0W

Cada vez mais, a cena eletrônica vem se aliando ao indie rock chegando num ponto em que não se pode classificar determinadas bandas como indie ou eletrônica. E esse é o caso do Misun, grupo de Washington que une muito bem elementos do rock alternativo e batidas eletrônicas. O trio, formado por Misun Wojcik nos vocais, William DeVon na guitarra e Nacey, responsável pelo teclado e produção das faixas, já tem um EP lançado e recentemente divulgou a deliciosa “Sun Made”.

Ao contrário dos trabalhos anteriores, “Sun Made” deixa de lado o foco nas guitarras-faroeste para dar espaço à batidas mais agressivas, que parecem uma mistura da explosão do Crystal Castles com a sutileza de uma Lana Del Rey. Com um riff de sintetizador impaciente, a produção muda de forma brusca logo nos primeiros segundos, quando as batidas crescem junto a belos e delicados pianos formando a base ideal para a entrada dos vocais de Misun, que parecem fazer o ouvinte flutuar graças à hipnótica combinação de timbres adocicados e a produção extravagante de Nacey. O resultado é um número estonteante e até então singular, que certamente irá agradar àqueles que procuram algo menos óbvio – e ainda assim excelente – dentro da música pop.

Misun – Sun Made

Mais próximo do experimental e menos radio friendly, é provável que esteja bem perto desses três americanos saírem do estúdio improvisado no quarto da vocalista para espaços e públicos bem maiores e enfim, lançarem seu primeiro álbum que, pelo menos aqui no blog, já é um dos mais aguardados do ano.

.

Sinead Harnett está construindo lentamente o seu nome na cena dance do Reino Unido. Primeiro ela colaborou em duas músicas do Disclosure e mais recentemente em uma das faixas do Rudimental. Agora ela dá um passo enorme em sua carreira com “Got Me” e o lançamento do vídeo para faixa. A direção traz Sinead em um ambiente com pouca luz, em diversos ângulos e muito filtro que troca as cores da produção. A música traz uma energia mais sombria contrastando com a sensualidade nos vocais da cantora, o que é muito bem transferido para o vídeo. “Got Me” é um grande passo na carreira da cantora e que deve ajudá-la a atrair novos fãs com o tempo, sem precisar de mais colaborações.