Friday Mixes – Vol. #58

Luis Felipe —  22/11/2013 — 10 Comments

FM58

Não, isso não é uma miragem. A gente tá até com um pouco de vergonha, sabemos que o sumiço foi grande, mas resolvemos atender aos pedidos e retomar o que é provavelmente a coluna mais querida do blog (e a única, na verdade rs). YEP, o Friday Mixes está de volta, e – modéstia a parte – melhor do que nunca.

Explicando por alto, o sumiço da coluna se deu por dois motivos: o primeiro, como alguns já sabem, é basicamente a minha falta de tempo por estar fazendo um breve “intercâmbio” (que chega ao fim mês que vem, onde espero poder voltar a me dedicar ao blog como antigamente), e o segundo é que meu gosto mudou pra caramba nos últimos meses, então os remixes que costumava postar por aqui meio que pararam de me agradar. Isso é até um pouco triste de se falar, tendo em vista a enorme quantidade que já postamos por aqui, mas foi só eu começar a procurá-los de novo que comecei a achar alguns que chamaram a atenção de novo, como vocês perceberão logo abaixo. Ainda é o mesmo Friday Mixes de antes, porém, podemos dizer que aumentamos nosso critério um pouquinho mais (sendo humilde rs).

E para ouvir da forma que nós idealizamos, aperte o play na mixtape abaixo, produzida com muito carinho pelo nosso DJ-favorito-Amplis, e coloque o volume no máximo. A mix inclusive contém umas duas músicas que não aparecem na seleção individual. Feedbacks, como sempre, são bem vindos e nos ajudam a melhorar a coluna, então por favor, comentem a vontade! No mais, espero que gostem e aproveitem bastante, afinal, o final de semana começa agora!

OBS.: Remixes individuais após o jump, clicando na foto acima ou AQUI.

MIXTAPE: Friday Mixes 58 #REMIXED

.

Destiny’s Child – Say My Name (Shum Remix)

artworks-000044702312-z1dbpj-cropShum, Shum, Shum…. de onde você veio? Quem é você? Porque esse remix tem apenas 2000 plays no seu Soundcloud enquanto é, provavelmente, o melhor remix de Destiny’s Child que eu já ouvi na vida? Essas são algumas perguntas ainda sem respostas mas, felizmente, a certeza que temos é que esse remix que o jovem produtor fez para a clássica “Say My Name” provavelmente te pregará alguma surpresa ao longo dos seus 4 minutos. Lotado de mudanças de ritmo e disparando samples e recortes vocais para todas as direções, esse remix resume basicamente o que o Madeon deveria ter feito nas canções do ARTPOP, da Lady Gaga: um pop que mira pro futuro, que não deixa de soar extremamente radiofônico e que soa completamente diferente de qualquer outra coisa que você está ouvindo. E, de bônus, ele provavelmente não vai deixar ninguém parado na pista.

Destiny’s Child – Say My Name (Shum Remix)

.

Lily Allen – Not Fair (Grean Remix)

Lily+Allen+-+Not+fairTudo começou com uma vontade imensa de tocar “Not Fair”, da Lily Allen, em alguma festa que eu estava prestes a discotecar. Daí começou a minha busca por um remix da faixa de 2009, e, depois de basicamente uns 20 remixes diferentes, estranhos e datados (afinal, a música em si já é meio antiga), eis que me deparo com uma versão do Grean que me conquistou logo de cara. Ele pode não ser o remix mais criativo dessa página, pode até ter uma surpresa ou duas no meio do caminho, mas não se engane: isso aqui é um monstro nas pistas, e você provavelmente nunca ouviu “Not Fair” desse jeito. Imagine o The Knocks fazendo uma versão 2013 da música que você entenderá o que estou falando.

Lily Allen – Not Fair (Grean Remix)

.

Bruno Mars – Treasure (Cash Cash Remix)

Bruno-Mars1

Não, eu não conheço a versão original de “Treasure”, provavelmente (ou não), o último single do Bruno Mars. Nada contra o cara ou sua música, mas eu realmente duvido que a versão original seja melhor do que esse remix, que me pegou completamente de surpresa, do Cash Cash. Transformando a canção em um irressitível new-disco, o rapaz não se contentou com a simples repaginada e adicionou uma penca de surpresas ao longo do caminho, desde recortes vocais, samples desordenados até um fabuloso solo de sintetizadores antes do último refrão, que basicamente fará qualquer amante de música – fã ou não do Bruno Mars – aplaudir o milagre executado nessa aqui. Piadas a parte, isso aqui é realmente um tesouro.

Bruno Mars – Treasure (Cash Cash Remix)

.

Janelle Monae – Q.U.E.E.N. (TheFatRat Remix)

JanelleMonae_TheElectricLadyO tempo passa, o tempo voa… e os remixes do TheFatRat continuam humilhando. Sério, acho que da safra dos DJs que já passaram aqui pelo blog, um dos únicos que continua caindo no meu gosto é esse jovem americano de 20 e poucos anos, que tem um estilo bem parecido com o do Madeon mas que soa um pouco mais fanfarrão. Recheando suas produções de samples, timbres estridentes e batidas frenéticas, é justamente seu estilo “clássico” que é aplicado nesse remix de “Q.U.E.E.N.”, da Janelle Monae, que ao mesmo tempo não soa como nenhum dos outros remixes do rapaz. Tranformando o neo-soul da original em um funky-futurístico recheado de sintetizadores, amantes da original podem ficar tranquilos que a canção continua tão reconhecível como antes, talvez ainda mais pop e mais acessível nessa versão, que conta somente com os vocais de Janelle.

Janelle Monae – Q.U.E.E.N. (TheFatRat Remix)

.

Wild Cherry – Play That Funky Music White Boy (Kill Paris Remix)

wild-cherry-t-shirt-play-that-funky-music-white-boyVocê provavelmente não sabe o que é um remix insano até escutar o que o Kill Paris fez com a clássica “Play That Funky Music White Boy”, do Wild Cherry. A original você pode até não lembrar de nome, mas é ouvir o remix pra lembrar na hora da música que estamos falando. O remix começa com uma pitada de electro-funky até chegar ao famoso refrão, que vai desacelerando aos poucos até se transformar num electro-french que não faria feio nos discos do Justice. E quando você acha que tá tudo certo e sem mais surpresas, o último refrão – basicamente – te leva a Júpiter e te traz de volta à Terra em menos de um minuto, com o solo de sintetizadores divertido (e retrô) que você ouviu em um bom tempo.

Wild Cherry – Play That Funky Music White Boy (Kill Paris Remix)

.

Arcade Fire – Reflektor (Dustbuster Remix)

url-1Remix e Arcade Fire são, quase sempre, duas palavras que não combinam na mesma frase, entretanto, qualquer um que já ouviu “Reflektor” tem ideia do potencial que a música tem para as pistas. E é baseado nesse potencial que o Dustbuster criou seu remix que mantém a versão original praticamente intacta, mas adiciona batidas e sintetizadores extras só pra deixar a música ainda mais propícia para as pistas de dança. Sem nenhuma ideia mirabolante ou nada que fará os fãs de Arcade Fire chorarem de ódio, o remix pode não ser o mais criativo do seu dia, mas, como disse no remix acima, da Lily Allen, esse aqui é uma alternativa que se encaixa perfeitamente em qualquer set, e que reconhece que com algumas músicas o melhor a se fazer é não mexer muito.

Arcade Fire – Reflektor (Dustbuster Remix)

.

Lemaitre – Fiction (Mullaha Remix)

artworks-000058629706-z31o9t-t500x500Só pra coroar o Friday Mixes mais cheio de samples, french-disco e som futurísticos que já passou pelo blog, eis que surge esse remix do Lemaitre, de uma canção que você provavelmente nunca ouviu. E não se desespere nem torça o nariz, porque a versão que o Mullaha criou para “Fiction” se sustenta tranquilamente até pra quem desconhece a original. Começando de forma calma, como se fosse um remix qualquer, a canção logo engrena ao cair no refrão, onde uma série de samples muito bem posicionados preenchem cada segundo da música, todos numa ordem impecável e extremente calculados pra te surpreender na mesma medida que te fazer dançar. Recortes vocais, guitarras e muitos, muitos sintetizadores também dão as caras por aqui, no que pode ser considerado – facilmente – um dos remixes mais criativos do ano.

Lemaitre – Fiction (Mullaha Remix)

.

Lorde – Royals (MoonBeat Remix)

urlEu juro que se a gente tivesse continuado com os Friday Mixes na mesma frequencia que o ano passado, esse provavelmente já teria sido o milésimo remix de “Royals”, o grande hit indie do ano, que teria passado pelas nossas páginas. A boa notícia, entretanto, é que, como ainda não postamos nenhum por aqui, o espaço ficou muito bem reservado para o melhor remix da faixa, que entende bem o senso da original e adiciona elementos de trap, snares e batidas futurísticas à música, transformando sua sonoridade minimalista num surpreendente número que supera com facilidade o material de origem. Recortes vocais e um refrão ligeiramente diferente da original podem pegar alguns puristas de surpresa, mas não se engane: se você já está enjoado da orginal (o que não é muito difícil), o remix do MoonBeat adiciona uma suficiente dose de elementos novos pra trazer seu vício todo de volta.

Lorde – Royals (MoonBeat Remix)

.

[PACOTE COMPLETO] ♫ Friday Mixes #57 (D/L: Botão direito, Salvar como…)

A mixagem dessa edição foi feita pelo DJ Amplis, residente das festas Rifferama (rock dançante) e Discothèque (dance music), ambas no dDuck Club, em Belo Horizonte. Confira suas outras mixagens e siga-o no Soundcloud!


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/volia174/public_html/ohmyrock.net/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273