Archives For Remix

O final de semana chegou mais cedo hoje! Curtam os oito (de muitos!) melhores remixes que saíram essa semana, especialmente a bela recriação do novo single de Marina & The Diamonds pelo Starsmith, a releitura country de “Yoü And I” da Lady Gaga, e o surpreendente remix do Moonlight Matters pro novo single do Mark Ronson com a MNDR. Tudo sem demora, aqui embaixo!

.

Marina & The Diamonds – Radioactive (Starsmith Remix)

Ela está chegando aos poucos, mas não é exagero dizer que enquanto metade das pessoas gostaram do novo single da Marina & The Diamonds, “Radioactive”, metade certamente torceu o nariz. Mas a boa notícia: Marina escalou uma série de DJs famosos (Captain Cuts, Chuck, Starsmith) para remixar seu novo single, e o que vemos agora é a primeira prévia disso. Na versão do Starsmith, que fez a própria “Hollywood” da cantora e o álbum completo da Ellie Goulding, ficam de fora o baixo e as batidas electro, e após deixar a música crua, o produtor fica livre para criar seu próprio terreno em cima, cheio de sintetizadores, detalhes novos e uma produção luxuosa que por hora lembram o The Sound of Arrows, fazendo com que o remix se pareça mais como uma “versão alternativa” (e muito, muito melhor) do que um próprio remix. Seja o que for, apostamos que Marina está morrendo de raiva agora que  viu o resultado. Os fãs antigos, por outro lado, não poderiam estar mais felizes.

Marina & The Diamonds – Radioactive (Starsmith Remix)

.

Lady Gaga – Yoü And I (Mark Taylor Extended Remix)

Mais uma prova de como uma música original pode ser melhorada, ouçam o que Mark Taylor fez com a nova da Lady Gaga, “Yoü And I”. O produtor cria uma sonoridade completamente country à-la Shania Twain, mas com um toque do electro das produções da cantora, e parece se agarrar de vez a esse lado caipira que a original só flertava. E se você acha que ficou “brega”, está completamente errado, a música está mais divertida do que nunca. Adicione ainda um break com violões, pianos e todo um clima americano (que só está disponível nessa versão extendedida que saiu hoje), que não terá erro se quiser surpreender uma pista.

Lady Gaga – Yoü And I (Mark Taylor Extended Remix)

.

Mark Ronson & The Business – Record Collection (Moonlight Matters Remix)

Sinceramente, os remixes do Moonlight Matters nunca me convenceram. Mas o cara foi escalado para um EP de remixes da nova versão do single de Mark Ronson (“Record Collection” com vocais da MNDR!) e sua aparição roubou o destaque de muita gente “maior” por aí. Desde o primeiro segundo percebe-se que esse não é um remix convencional, mas sem dúvidas um muito intrigante. O motivo são os violinos que abrem a faixa, sampleando de forma brilhante o tema de Rocky, “Eye Of The Tiger”, e junto às guitarras que vêm logo a seguir (que permeam toda a música), a música fica com um clima totalmente diferente da original. Mais agressivo, meio anos 80 e meio disco-moderno, o remix cria uma tensão constante até o último segundo, liberado de forma esplendorosa pelo refrão com a MNDR.

Mark Ronson & The Business – Record Collection (Moonlight Matters Remix)

.

Housse De Racket – Roman (Robotaki Remix)

Quando você é bem recebido por lasers, já sabe que o remix é bom. Na versão do Robotaki, “Roman”, o explosivo single do Housse De Racket, vira uma festa de sintetizadores, pianos e um clima completamente sonhador, lembrando uma espécie de remix perdido do M83 tocado numa festa intergaláctica A ótima versão, que será lançada pela própria Kitsuné semana que vem, parece ter sido produzida com muita atenção nos detalhes, e nos traz um take mais dançante e emplogante da faixa, inclusive mais do que o remix do Oliver.

Housse De Racket – Roman (Robotaki Remix)

.

Alex Winston – Velvet Elvis (King Charles Remix)

Alex Winston eestá prestes a lançar um incrível debut, e “Velvet Elvis” já chegou como uma das melhores músicas pop do ano. Em seu remix oficial, que será lançado junto ao single no dia 19 de Setembro, o King Charles assume a bateria e cria um festival de batuques, utilizando ainda os belos trompetes e a percussão da original. Se o BPM é basicamente duplicado em seus versos, escutem só o incrível break desse remix, onde as batidas parecem triplicar, lembrando inclusive uma versão africana das baterias de Nicola Roberts.

Alex Winston – Velvet Elvis (King Charles Remix)

.

Nicola Roberts – Lucky Day (Thin Red Men Remix)

Por falar nela, o novo single de Nicola Roberts, “Lucky Day”, apesar de ter sido produzida pelo Dragonette, perde e muito em questão de charme para o adorável primeiro single, “Beat Of My Drum”. Em um dos seus poucos remixes oficial, o segundo e o melhor a sair, feito pelo Thin Red Men, prefere não mexer muito na versão original mas adicionar batidas electro suficientes para deixá-la muito mais daçante, ainda que previsível e não muito original. Destaque para o break e o solo de sintetizadores, que dá um toque diferente e chega como uma certa surpresa na música de Nicola.

Nicola Roberts – Lucky Day (Thin Red Men Remix)

.

Fixers – Swimmhaus Johannesburg (Star Slinger Remix)

Confesso que sou um grande fã da original dessa música, e que apesar de ainda achar os Fixers como um todo um tanto quanto underateds por aqui ainda, o que o Star Slinger fez com “Swimmhaus Johannesburg” foi espetacular. O clima “rock grandioso” da original dá espaço para batidas hip-hop e vocais auto-tunados, torcidos e distorcidos, que criam uma atmosfera totalmente diferente da outra versão, e graças ao belo refrão, a música nunca esteve mais acessível. Recomendo que ouçam e comparem ainda com a original.

Fixers – Swimmhaus Johannesburg (Star Slinger Remix)

.

Foster The People – Helena Beat (Wheel Wells Remix)

Está rolando um concurso para saber quem traz o melhor remix de “Helena Beat”, do Foster The People, e apesar de me frustar com muita coisa do topo do pódio, foi lá pela posição 147 que se encontrava essa pérola. O Wheel Wells parece ser, assim como nós, um grande fã do RAC ou do Fred Falke, visto que traz batidas gostosas de se ouvir e que não agridem os ouvidos. Com um início italo-disco, desde a entrada dos vocais na casa do primeiro minuto o remix se mostra uma versão cheia de surpresas, suave, original e autoral, e porque não dançante, do ótimo single da banda. O break conta com um drop inesperado e também muito bonito.

Foster The People – Helena Beat (Wheel Wells Remix)

.

[PACOTE COMPLETO] ♫ Friday Mixes #28 (D/L: Botão direito, Salvar como…)

A cada descoberta musical percebo que os anos oitenta estão presentes no século XXI. O uso de sintetizadores e vocais distorcidos combinados com linhas de contrabaixo dançantes é característico da década onde o rei era Micheal Jackson. Os revivals da new-wave estão inclusos em praticamente todos os lançamentos deste ano, incluindo o EP recém-lançado do Shale Aletti. O duo inglês tem nome desconhecido na grande mídia, mas no quesito qualidade eles são bem competentes. “Inside Out” é o segundo single da banda e desde os primeiros segundos deixa bem claro a influência oitentista. O bom uso do sintético permite a criação de sensações que embora sejam retrô, soam novas e joviais. Confira também o super-dançante vídeo do single.

Shake Aletti – Inside Out

Como se não fosse o bastante, junto com a versão original, o single é acompanhado de alguns remixes que te prometem suar um pouco mais. Há dois remixes completamente diferentes que chamaram muita atenção. O primeiro deles, feito pelo Toy Tigers, apresenta uma suavidade contrabalenceada por uma batida dance característica, enquanto o segundo, pelo His Majesty Andre, aproveita apenas alguns vocais da música pra criar um irresistível e novo número de disco-funk, com trompetes e tudo o que temos direito. Vale a pena ouvir os dois.

Shake Aletti – Inside Out (Toy Tigers Remix)

Shake Aletti – Inside Out (His Majesty Andre Remix)

O single “Inside Out” foi lançando no último 22 de agosto pela Moda Music.

Ele está de volta e maior do que nunca. Depois de quase um mês fora, o Friday Mixes está de volta com dez remixes sensacionais. Esse é o máximo que fizemos em um Friday Mixes, e o volume 27 é bem justificado, e se um deles ficasse de fora iria fazer falta. Os maiores destaques da semana ficam o mágico remix do Madeon para uma banda chamada Pendulum; e a releitura tropical do Beat Connection para o The Drums. Mas ouça todos, já disse que vale a pena?

.

Icona Pop – Manners (Style Of Eye Remix)

Nós amamos Icona Pop, e “Manners” já é nossa favorita delas. Em um remix oficial para uma futura coleção da Kitsuné, o Style Of The Eye parece esquecer o peso que carrega e se solta por completo em uma edição que só utiliza o refrão da música, mas adiciona tantos efeitos, mudanças e variações que deixa tudo muito inédito. A faixa começa lenta, mas não demora para engrenar e nos trazer todas as suas batidas, e empolga mesmo com sua curta duração de 3 minutos.

Icona Pop – Manners (Style Of Eye Remix)

.

Pendulum – The Island (Madeon Remix)

Ouçam esse remix. Todo mundo já conhece o Madeon, menino prodígio de 17 anos que está trazendo remixes que competem de igual pra igual com grandes nomes da cena eletrônica, e depois de fazer um mashup com mais de 30 faixas, está de volta com um remix tão mirabolante quanto. Apesar de não conhecer a original, “The Island” do Pendulum, a música já parece ser dançante e viciante por sí só, mas Madeon adiciona batidas electro e junto ao refrão, adicionou um infinito número de samples e efeitos, quase como o mashup que citei. São tantos bleeps e barulhos diferentes acontecendo ao mesmo tempo, que se Fantasia da Disney ganhasse uma versão modernizada, essa aqui poderia ser a música tema fácil. Pra terminar de explodir se cérebro e provar que Madeon já é mestre em produção musical, fiquem de olho no final, com precoce DJ mudando o jogo e terminando a faixa com dubstep!

Pendulum – The Island (Madeon Remix)

.

Dev – In the Dark (It’s The DJ Kue Remix!)

Esse é daqueles remixes pra se esquecer da original, e é pelas mãos do DJ Kue, mais uma vez. Aqui, “In The Dark” da Dev ganha o batidas extras suficientes pra não deixar ninguém parado, e  para não ficar no mais do mesmo, que tal um novo refrão com os vocais de Dev recortados e modificados levemente? Quase sete minutos de pura festa.

Dev – In the Dark (It’s The DJ Kue Remix!)

.

The Drums – Money (Beat Connection Remix)

The Drums e quase toda sua discografia é um prato perfeito de surf-rock californiano, mas o que aconteceria se o seu som resolvesse se basear em praias tropicais, drinks calientes e uma boa dose de “efeitos mágicos”? O que aconteceria na verdade é esse remix do Beat Connection, que conseguiu melhorar (e muito) o novo single do grupo, “Money”, com batidas agitadas, palminhas, xilofones, pianos e muitos sintetizadores. O destaque entretanto, fica com o maravilhoso break, que distorce e engrossa os vocais de Jonathan Pierce, criando um efeito parecido com o de “Call Your Girlfriend” da Robyn, só que mais tropical e menos eletrônico. Lindo do início ao fim.

The Drums – Money (Beat Connection Remix)

.

Oh My! – Kicking and Screaming (Ronika Remix)

O divertido novo single das Oh My!, “Kicking and Sceaming”, ganha um divertido remix nas mãos da Ronika, outra que já apresentamos por aqui. Como em seu single inicial, Ronika transforma o electro-pop moderninho das meninas em uma festa anos 80, com uma nova linha de baixo, guitarras, sintetizadores retrôs e todo o ar de Chromeo/Madonna anos 80 que parece ser sua marca registrada.

Oh My! – Kicking and Screaming (Ronika Remix)

.

Wolf Gang – Stay And Defend (The Magician Caribbean Disco Remix)

Dessa vez o The Magician resolveu mudar um pouco o tom. Com o poder pra deixar “Stay And Defend”, uma das mais legais do disco do Wolf Gang do jeito que quiser, o cara resolveu ir para o extremo oposto da original. Com todo o ar de pretenciosidade de lado, o Magician leva a banda para um passeio tropical pelo Caribe, e se tudo isso fosse um filme, sem dúvidas o remix seria a uma Pequena Sereia da vida. Steel drums, xilofones, pianos, e tudo o que precisa para uma verdadeira festa no mar, com um drink na mão e o sol no rosto.

Wolf Gang – Stay And Defend (The Magician Caribbean Disco Remix)

.

Penguin Prison – Multi Mullionaire (Shook Remix)

Qual a combinação mais lógica desse post se não o disco-moderno francês do Shook com o disco-retrô do Penguin Prison? Seu último single, “Multi Millionaire”, ganha uma nova linha de baixo, dessa vez mais relaxante que a original, novos sintetizadores e belos pianos para acompanhar todo a orquestra feita. Pense num RAC mais eletrônico ou num Justice mais orgânico que irão entender o que quero dizer.

Penguin Prison – Multi Mullionaire (Shook Remix)

.

Alex Winston – Velvet Elvis (RAC Remix)

Por falar nele, RAC mais uma vez ataca novamente. Dessa vez é na já excelente “Velvet Elvis”, uma das músicas mais legais do ano de uma das cantoras que mais prometem para 2012, Alex Winston. RAC faz o trabalho já conhecido aqui, adicione xilofones, palminhas, pianos, e tira o tom mais agressivo da música, deixando o instrumental quase tão fofo quanto os próprios vocais de Winston.

Alex Winston – Velvet Elvis (RAC Remix)

.

Copacabana Club – Just Do It (Boss In Drama Remix)

E nem o Boss In Drama escapou! O hit-indie-brasileiro “Just Do It”, aquele grudento do Copacabana Club, ganha um remix relaxante, cheio de sintetizadores, guitarras, e como todas as melhores músicas do ano pedem, até um solo de saxofone! Além de ter feito um remix extremamente detalhado, o clima na verdade acaba combinando muito mais com o produtor do que com a própria banda, que traz todo aquele climão anos 80 que marcam suas produções.

Copacabana Club – Just Do It (Boss In Drama Remix)

..

[PACOTE COMPLETO] ♫ Friday Mixes #27 (D/L: Botão direito, Salvar como…)

Está ficando cada vez mais atual o ar retrô. Este ano muitos dos meus artistas preferidos resolveram colocar os vinis antigos para tocar, instalar o globo de vitro no teto e trazer de volta toda a cena disco. Mayer Hawthorne é um destes que fazem questão de voltar aos anos sententa. O rapper com dois álbuns já lançados está às vésperas do terceiro lançamento para ainda este ano. O single carro-chefe do álbum é “A Long Time”, e o nome já diz tudo: o tempo retratado na música é o passado. Com um groove delicioso e um vocal suave a audição é tão fácil que não se nota a passagem do tempo. O vídeo do single faz aquilo que está cada vez mais comum, trás cenas antigas (e dançantes!) editadas com maestria para combinar com cada acorde da música.

Mayer Hawthorne – A Long Time

Para não decepcionar os fãs de eletrônico, o amável Chromeo remixou a música. A parceria não podia ser mais lógica. Unindo o útil ao agradável, o remix tira a faixa da brilhantina e leva para um eletrônico clássico porém moderno e bem mais empolgante. É simplesmente impossível ficar parado ao escutar.

Mayer Hawthrone – A Long Time (Chromeo Remix)

O novo álbum do Mayer Hawthorne, How do You Do, será lançado em Novembro pelo selo Universal Republic, e o remix acima é uma tentativa de lançar todas as Segundas um material novo do cantor, até o lançamento do disco.

Trasformar músicas quietas em hits de pista, lixos tremendos em coisas completamente ouvíveis, dar uma nova interpretação a uma música querida e até melhorar o que já era ótimo, remixes tão aí pra isso. E nós estamos aqui pra selecionar o que há de bom entre os tantos que surgem a cada semana. Em nossa sexta semana consecutiva postando o há de melhor na cena eletrônica mundial, confira agora o nosso melhor e mais especial Weekend Mixes até agora. E bom final de semana a todos!

Clique aqui para ver nosso Top 8!

Quando fiz o primeiro Weekend Mixes eu o descrevi como “uma seção de remixes sem muitas regras”, e é basicamente isso que vamos ver hoje. Alguns remixes que ficaram de fora dos Friday Mixes, outros mais pesados, e outros de canções que ainda não são muito conhecidas – está tudo aqui. Mas como disse no post anterior, qualidade ainda é algo muito prezado por nós, e é isso também o que vamos ouvir hoje. Venha com a cabeça aberta e afunde nos remixes a seguir, escolhidos a dedos por nós! E é claro, bom final de semana!

Clique aqui para ver nosso Top 8!

Podem reclamar que o Mash Me Up demora para aparecer, mas prefiro fazer um post quando vale a pena do que jogar mashups desnecessários por aqui. Tendo em vista que não sou muito fã do gênero, o que parar por aqui podem ter certeza que é sinônimo de qualidade e de música que não foi feita apenas pra se ouvir uma vez, mas sim repetidas. Fiquem agora com os melhores mashups do mês de Julho.

.

Britney Spears vs. Amy Winehouse – Big Fat Rehab

Amy Winehouse foi uma grande estrela e a primeira da nossa geração que vimos ir embora nessa idade. Suas músicas ficarão em nossas lembranças pra sempre, e em especial “Rehab”, seu (infelizmente) mais honesto e transparente single. Apesar de ver alguns mashups bem tristes que surgiram agora, esse aqui deixa a depressão de lado e aponta para as pistas. Com o instrumental de Amy misturado com os vocais de “Big Fat Bass”, a canção de Britney e Will.I.Am, vi alguns fãs reclamando do mashup, mas se ouvir sem preconceitos, verá que a mistura é surpreendente, e além de funcionar, ficou uma delícia. Comprovem.

Britney Spears vs. Amy Winehouse – Big Fat Rehab

.

Leona Lewis vs. Lady Gaga – Born To Collide This Way

Leona Lewis nos pegou de surpresa com seu belíssimo novo single, “Collide”, que em sua versão original já era um mashup por si só. A briga se deu pelo fato de Leona usar o instrumental de “Penguin”, uma faixa eletrônica do maior DJ de electro do ano, Avicii, e aqui, se rolar briga essa terá de ser feita com Lady Gaga e sua também incrível “Born This Way”. Com o instrumental do hit em mãos, “Collide” flui naturalmente entre seus versos e refrões, que combinam com cada parada da marcha libertadora electro-pop de Gaga, criado com mastria pelas mãos do Steamwaver.

Leona Lewis vs. Lady Gaga – Born To Collide This Way

.

David Guetta vs. Calvin Harris – Little Bad Girl Used To Hold Me

Depois de lançar seu novo single, “Little Bad Girl”, Guetta resolveu olhar para os fãs que imploravam para o cara sair do mainstream, pelo menos por alguns minutos. Dias depois caiu na rede uma versão mais violenta, poderosa e muito mais efetiva do seu single, e dessa vez sem vocais para atrapalhar seus drops. Aqui, essa mesma versão (que já postamos aqui) é utilizada, só que dessa vez com os vocais de Calvin Harris e sua delícia chiclete “You Used To Hold Me”. O resultado é sensacional e merece ser tocado em todos os clubes daqui até o final do ano.

David Guetta vs. Calvin Harris – Little Bad Girl Used To Hold

.

DJ Bahler – Helios & Hypnos (Local Natives vs. Wolfgang Gartner)

Depois de uma luta entre seis canções (das 20 que compões essa brilhante mixtape criada pelo DJ Bahler), acabei escolhendo a mais agitada e direta do grupo: um brilhante mashup com o instrumental de “Illmerica” do Wolfgang Gartner, com os maravilhosos vocais do Local Natives, uma das nossas bandas favoritas de folk-rock. As duas originais são sensacionais, e apesar de completamente distintas, o DJ Bahler conseguiu não só uní-las com mastria, mas sim criar um ambiente completamente diferente para ambas as faixas. Um trabalho de primeira, que merece ser divulgado, e se curtiu, corre aqui e ouça o resto de sua mixtape Free The Snares, com mashups de Florence & The Machine, LCD Soundsystem, Cults, Matt & Kim e mais.

DJ Bahler – Helios & Hypnos (Local Natives vs. Wolfgang Gartner)