1457525_707143009317833_803441205_n

A gente ama o Trails & Ways no mesmo tanto que eles amam o Brasil. A banda californiana, que não mede esforços para fazer jus à tag de bossanova-dreampop exibida nos seus perfis, se manteve mega-ocupada esse ano com o lançamento do EP Trilingual (que teve os singles “Tereza” e “Como Te Vas”) e a produção do seu disco de estreia, a ser lançado ano que vem.

Para aquecer até a chegada do trabalho, a banda – velha conhecida também pelos seus covers – acaba de soltar uma versão de “Taj Mahal”, clássico do Jorge Ben que você certamente já deve ter ouvido seja na casa dos seus pais ou pulando carnaval. Trocando os versos brasileiros por uma adaptação em inglês, além da composição, a produção também ganha uma repaginada com leves sintetizadores, guitarras e percussões tropicais que mantém a marca característica da banda, enquanto detém a essência da original intacta. Certamente um dos melhores covers do ano, a versão de “Taj Mahal” serve tanto de orgulho para os brasileiros como um prato cheio de boa música pop para os gringos que ainda não conhecem.

Trails & Ways – Taj Mahal

.

2014 promete ser o ano da virada para Chlöe Howl. A ruiva figura na Sound of…, lista lançada anualmente pela BBC contendo artistas com grandes chances de sucesso. Após divulgar “To My Face”, “How Proud” e “Paper Heart”, que tem um clipe sensacional, a cantora dá indícios de que devemos contar as horas para o trabalho sucessor do EP Rumour, que já ganhou diversos clipes, incluindo para “No Strings”. A música que tem um novo vídeo é “Rumour”, cuja nova versão aposta na sensualidade contida da britânica, que tem uma malemolência que nos faz lembrar da Janelle Monáe. Com produção impecável, o clipe mostra a artista em uma espécie de competição de jogos de xadrez em que os participantes que se rendem aos rumores pagam com a vida.

1208611_381904748602826_761304778_n

Enquanto a internet inteira está obcecada com o novo disco da Beyoncé, que surgiu de surpresa nessa última sexta, nós não conseguimos tirar do repeat a segunda faixa do disco, “Haunted”. Apesar de não ter ser produzida pelo Jamie xx (a inspiração é inegável), uma olhada nos créditos mostra um nome pouco conhecido até então: BOOTS. Como sua página do Facebook revela (com menos de 1000 likes até então), o rapaz é responsável por 85% da produção do álbum, escreveu quatro faixas, é recém assinado da Roc Nation e possui uma música até então, “Haunted”, que não, não é a mesma da Beyoncé.

De começo acústico, com vocais dream-pop lotados de reverb e um violão à-la Grizzly Bear, “Haunted” mostra a versatilidade do produtor, que canta e surpreende durante seus poucos mais de 5 minutos (atenção pra virada na casa dos três minutos). Ligeiramente mais experimental que suas produções para Beyoncé, BOOTS soa como uma espécie de Fleex Foxes eletrônico, misturando elementos orgânicos com recortes vocais, batidas esparsas e pianos, que compõem a vibe etérea do número.

BOOTS – Haunted

artworks-000054102312-57d6gj-t500x5001

Algumas vezes é melhor deixar a música falar por si só, e é exatamente assim que o produtor australiano LONDON, vindo de Melbourne, quer que seja. Sem nenhuma presença online, divulgação ou nem mesmo o nome de quem está por trás do projeto, as informações, entretanto, irão parecer irrelevantes assim que você ouvir a primeira amostra do seu EP de estreia, a ser lançado em 2014.

Certamente uma das canções mais sensuais do ano “Rhoes”, abusa do R&B minimalista e futurístico utilizado em peso pelo AlunaGeorge para dar vida a um single que chama sua atenção logo de cara. Assim que os vocais sedutores entram em cena, considere-se hipnotizado pela levada suave da música, que chega a criar um breve senso de segurança até te surpreender no minuto final, onde o produtor chuta o balde e te obriga a aumentar o volume. No máximo.

LONDON – Rhoes

950fd06c0e4f1616_800x800ar

Não duvide se a sueca Seinabo Sey, de apenas 23 anos, acabar virando um dos nomes mais fortes da nova safra do pop em 2014. Apesar do seu primeiro single, “Younger”, ter sido lançado nos últimos dias de 2013, não é exagero dizer que encontramos aqui uma das melhores músicas pop do ano e que, se tudo der certo, deve catapultar a sueca com toda a força para os holofotes nos meses seguintes.

Abrindo a faixa com um órgão melancólico e quase fúnebre, que mais parece um começo de missa, Seinabo Sey não tarda a impressionar logo nos primeiros segundos ao soltar seu vocal arrepiante, completando o clima gospel da faixa. Entretanto, como mandam as produções do sueco Magnus Lidehäll (dono da fantástica “How I Roll”, da Britney, e mais recentemente “Don’t Wait”, da Mapei), a canção logo se transforma em um soul-pop futurístico composto por batidas militares, sintetizadores, violinos e um refrão formado de recortes vocais que provavelmente figura entre os melhores do ano. Se a Adele deixasse os suecos produzirem seu próximo disco, o resultado chegaria próximo disso aqui. Prepare-se para o vício.

Seinabo Sey – Younger

Various-Cruelties-Hi-Res-Credit-Gregory-Nolan1

O londrino Liam O’Donnell já passou pelas nossas páginas com a sua banda Various Cruelties, mas se tem uma música capaz de catapultá-lo direto para as rádios (e pra cabeça de muita gente) certamente é o primeiro single do seu projeto solo, “Nothing That I’m Scared Of”. O rapaz, que acabou de se mudar para Los Angeles, mostra claramente que as influências da nova cidade já estão no seu sangue.

Soando como uma versão mais light do Miike Snow, a produção apresenta sintetizadores e pianos de timbres felizes, e, apesar de não apresentar nenhuma grande surpresa, cumpre perfeitamente seu papel ao deixar o destaque pro maior forte da canção: a composição grudenta. Como uma espécie de Phill Collins adolescente, os vocais de Liam podem até soar brega de começo, mas basta chegar ao refrão que você uma melodia instantânea, daquelas difíceis de sair da cabeça, te fará esquecer de qualquer coisa. Nas mãos de um Foster The People, provavelmente viraria hit em questão de segundos.

Liam O’Donnell – Nothing That I’m Scared Of

_MGL2466

O quarteto estoniano Kye Kye – atualmente baseado em Camas, Washington – vem conquistando fãs desde 2011 com o seu primeiro álbum, Young Love, que contou com algumas músicas utilizadas em comerciais e filmes. Liderada pela vocalista Olga, a banda é também formada por mais dois de seus irmãos (Timothy e Alex Yagolnikov), além do seu marido, o baterista Thomas Phelan.

Recentemente, Olga afirmou que, na opinião da banda, “criar música traz à tona as emoções que existem dentro deles”. Deve ser por isso, portanto, que ficamos apaixonados logo de cara por “Honest Affection”, o primeiro single do novo álbum do quarteto, Fantasize, previsto para janeiro de 2014. Vocais adocicados – que parecem, de fato, vindos do fundo da alma – contracenam com um sintetizador para ninguém botar defeito (além de um sino que faz toda a diferença no background), culminando numa espécie de encontro entre os vocais sonhadores do Say Lou Lou com os sintetizadores energéticos do CHVRCHES.

Kye Kye – Honest Affection

Página 10 de 248« Primeira...91011...2030...Última »