tumblr_mfxafoHyfw1rsq9eyo1_500

O quão estranho seria se eu dissesse que o Bleachers, que lançou exatamente hoje seu primeiro single, já conta com uma turnê de oito shows agendada e a passagem programada por mais três festivais norte-americanos? Se você está pensando que “aí tem coisa”, é porque realmente tem. O projeto, encabeçado por Jack Antonoff (guitarrista do .fun e vocalista da falecida Steel Train) já está correndo pelos ouvidos dos poderosos chefões das gravadoras musicais há quase um ano, mas foi só agora, com tudo devidamente acertado (e assinado), que eles foram lançar sua primeira música, a vibrante “I Wanna Get Better”.

Produzida pelo próprio Antonoff em parceria com John Hill (MIA, Jay Z, Empire of the Sun), “I Wanna Get Better” parece pegar emprestado uma gama de referências do .fun só para criar algo totalmente diferente. A produção baseada em pianos, guitarras e sintetizadores soa como algo que o Foster The People poderia ter feito, e suas mudanças esquizofrênicas de ritmo dão um tom alto-astral que mascara com facilidade a composição, que retrata diferentes tipos de vício e a luta das pessoas contra eles. Munida ainda de um refrão antêmico que não faria nada feio no catálogo do The Killers, “I Wanna Get Better” soa a princípio como um número bagunçado e confuso, que pode não fazer muito sentido de primeira, mas assim que fincar suas garras, a conclusão que chegamos é ela não poderia funcionar de outra forma.

Bleachers – I Wanna Get Better

dn70iEqyX6s

Pode até ser clichê categorizar como sensual uma música chamada “Touch”, mas não há outro adjetivo que descreva melhor a estreia da londrina Shura, que segue agora em carreira solo após abandonar o duo de trip-hop Hiatus & Shura. Soando como uma espécie de encontro entre os instrumentos marcantes das irmãs Haim com o minimalismo oitentista da Jessie Ware, “Touch” apresenta os vocais delicados de Shura sobre linhas de baixo cheias de groove, sintetizadores elegantes e uma composição que retrata um amor perdido ao longo do tempo. Maduro, sexy e extremamente pop, graças ao single em questão, não há motivos para não vermos um futuro brilhante a frente de Shura, que mal podemos esperar para acompanhar de perto.

Shura – Touch

POWERS-PROMO-Classic-1-600x396

Pra quem já escreveu músicas pra Icona Pop, Kylie Minogue e Selena Gomez, nada mais natural do que, algum certo dia, tentar se aventurar de forma solo. E foi assim, em meados de 2013, que os nova-iorquinos Mike Del Rio e Crista Ru decidiram se isolar dos grandes nomes do pop para fazerem música pra si próprios, que estão lançando agora sob o nome POWERS. Entretanto, se você está esperando algo próximo da sonoridade das popstars citadas, melhor passar longe. Pelo menos na primeira música do projeto, “Money”, a história é bem diferente.

Começando com uma das introduções mais grandiosas que uma música pop poderia ter, as onipresentes harmonias vocais da dupla soam a princípio como um canto de chegada aos céus, logo interrompidos, entretanto, por um grave estremecedor e samples bizarros que vão de gritos a sons de filme de terror, nos fazendo imaginar como seria “Cry Me A River”, do Justin Timberlake, sob a produção do Yeezus (Kanye West). Cantado na maior parte por Mike Del Rio, a música também apresenta os vocais de Crista Ru na chegada do refrão, que demonstra perfeitamente a habilidade do duo em criar verdadeiras pérolas pop.

POWERS – Money

2

A mistura nada comum do synth-pop de Sorcha Richardson com a as rimas da dupla Fortunate Ones deu origem ao trio nova-iorquino CON VOS, que acaba de anunciar o primeiro EP, Cocoon Bloom, para o início de 2014. A combinação pode parecer um pouco inusitada a princípio, mas basta uma audição no primeiro single da banda, “Coast”, pra sacar que a ideia faz mais sentido do que parece.

De vibe relaxada, com sintetizadores ensolarados que poderiam facilmente embalar a trilha de GTA: Vice City ou Drive, a produção oitentista combina com elegância os vocais apaixonados de Sorcha com os versos de hip-hop da dupla pra fazer de “Coast” uma suave canção de amor, onde eles declaram que viajariam “de costa a costa” pra encontrar sua paixão. Com uma música dessas de fundo, a gente também não se importaria nem um pouco de fazer essa viagem.

CON VOS – Coast

Screen Shot 2014-02-17 at 7.16.48 PM

A gente não sabe muita coisa sobre o Bless. Além de que ele tem só 18 anos e vive na ensolarada Los Angeles, as informações sobre o músico são bem escassas. Os planos do jovem são ainda incertos, mas com apenas quatro faixas no Soundcloud, ele já faz um barulho considerável pelos blogs de música, com o seu som suave e envolvente.

“Didn’t I” foi a primeira música postada na página do Bless. Cheia de momentos relaxantes e sensuais, tem sample da faixa de mesmo título de um dos nomes mais clássicos da soul music na década de 70, Darondo. O som do Bless tem o poder de despertar mil sensações no ouvinte, e traz influências múltiplas, que podem ser percebidas em cada minuto de faixa. “Didn’t I” tem força e solidez para fazer do seu ouvinte um apreciador em apenas alguns segundos, e mais do que isso, pede uma noite solitária e um drink na mão para ser uma experiência musical completa.

Bless – Didn’t I

.

Após nos encantar com “Bon Voyage”, a sueca Marlene surpreende com seu novo single, que explora seu alcance vocal com uma sonoridade voltada para o R&B. Além de ter um forte potencial radiofônico, “Stay Awake” é uma balada romântica que comprova a versatilidade da artista, que deve agradar aos fãs de cantoras como Katy B, Laura Welsh e até Mariah Carey. A nova música lançada por Marlene já tem um clipe, dirigido por SIKOW. O clipe possui um clima calmo e sedutor, destacando a beleza e a expressividade da cantora.

.

Guitarras nervosas são o grande destaque da nova música do The Preatures, que será lançada oficialmente com outra canção no dia 23 de março. Enquanto a banda australiana não divulga a data de lançamento do aguardado debut, aproveite “Better Than It Ever Could Be”, que soa como uma harmoniosa mistura de Blondie, Fleetwood Mac, David Bowie e Joan Jett. O clipe do novo trabalho do The Preatures combina com a sensação psicodélica provocada pela música, graças a diversos elementos vintage usados pelo diretor Josh Logue. Depois de ver a vocalista Isabella Manfredi e os outros integrantes nos clipes de “Is This How You Feel?” e “Manic Baby”, é possível acompanhar os artistas em uma apresentação que brinca com uma estética cheia de elementos de programas de TV da década de 1970, bem como jogos de videogame retrôs.

Página 10 de 253« Primeira...91011...2030...Última »