Beth Jeans Houghton não é nenhuma novidade na blogosfera. A cantora vem assinando alguns EPs e alguns singles desde 2009, mas sumiu durante um tempo e voltou agora, em 2012, para lançar seu primeiro disco solo. O projeto é uma parceria com a banda The Hooves Of Destiny, que comanda os instrumentos e cria melodias indie-pop que passam do delicado ao agressivo em instantes.

O primeiro single do trabalho já exemplifica a sonoridade lúdica que Beth Jeans incorpora em sua música, tanto em seu nome quanto em sua produção etérea. O título, “Dodecahedron”, veio de um sonho em que a cantora teve em que saia pelas ruas perguntando sobre o objeto, mas sem sucesso. Quando acordou, ficou com o nome na cabeça até que pesquisou e descobriu que dodecahedron é um “símbolo grego que representa o universo e uma forma idealizada do pensamento divino”, e com isso você entenda o que quiser. O mais importante é que a música é um maravilhoso indie-pop multi-facetado e cheio de surpresas, com uma introdução graciosa e uma produção mágica que conta com banjos, violinos e os vocais doces de Houghton, que no contexto nos fizeram lembrar de uma St. Vicent fazendo música pra Onde Vivem Os Monstros. O refrão é sem dúvida um dos momentos mais surpreendentes aqui, e vai apenas por uma harmonia vocal inusitada mas ainda assim graciosa, e serviria perfeitamente como um dos cantos de uma princesa da Disney para um remake sombrio à-la Labirinto do Fauno. Vocais masculinos entram em ação no último ato para dar ainda mais intensidade à música, que termina calma, do mesmo jeito que começou, deixando apenas uma vontade imensa de conhecer o restante de seu trabalho.

Beth Jeans Houghton – Dodecahedron

E pra isso, não precisa esperar. O disco, Yours Truly, Cellophane Nose, saiu no dia 26 de Fevereiro pelo selo Mute, e recomendamos fortemente que você o ouça.

Estamos acompanhando todos os passos que os britânicos do Theme Park estão dando, desde suas demos iniciais até a versão reformulada de “Milk”, em que soavam como um Friendly Fires tropical com fetiche por cowbells. A banda lançou também a balada indie “Wax” no ano passado, e é seguindo os passos desta que volta agora com o primeiro single do seu primeiro álbum, ainda não intitulado.

Apesar de não tão agitada quanto “Milk”, “Two Hours” não  chega a ser uma balada como “Wax”, mas no final é um bom complemento à elas e sem dúvidas chega como a melhor escolha que eles poderiam ter feito para um primeiro single oficial. A canção troca o gingado do último single a favor de belas melodias e tem foco nos sintetizadores e nas guitarras, com os vocais de Miles Haughton só adicionando ao ar esperançoso que a música passa, que nos fez lembrar imediatamente das canções mais intensas do LCD Soundsystem como “All I Want” – e isso é um grande elogio. Refrões pop e melodias grudentas a parte, é em “Two Hours” que vemos pela primeira vez o lado mais “pensativo” do grupo, com Miles relembrando sua infância e os momentos cruciais que o fizeram estar onde está, culminando em um final mágico que certamente mantém a banda como uma das mais promissoras de 2012.

Theme Park – “Two Hours”

O single de 7″ vem com uma faixa bônus e será lançado pelo selo Transgressive Records no dia 2 de Abril, podendo ser reservado por aqui.

Confesso que tenho uma quedinha por falsetes em música eletrônica, e nisso os WhoMadeWho não falham. O trio dinamarquês já foi colocado no pedestal ao lado dos já idolatrados LCD Soundsystem, Hot Chip, Daft Punk, Justice e Klaxons. Assim como essas bandas, melhor tirar o esqueleto do armário, pois o WhoMadeWho veio para te fazer dançar, se mexer, chacoalhar, se soltar, deixar o corpo leve e embalado pela música suave e deliciosamente fácil que produzem. A banda sempre utiliza uma base de batidas eletrônicas e uma linha de baixo como sustentação para suas canções. Depois disso, vão adicionando aos poucos os ingredientes para deixar essa receita ainda mais deliciosa. Adicionando elementos incomuns como castanholas ou oboés, o synth-electro que eles produzem é nobre, de sangue azul mesmo.

“Inside World” é o primeiro single do álbum Brighter, que saiu do forno ontem (05 de Março). Neste momento não existe nada mais fresco! A faixa é deliciosa, produzida e desenvolvida sob uma base oitentista, mas consegue soar moderna mesmo depois de todas as releituras já produzidas. A harmonização vocal ganha destaque aqui, criando uma aura perfeita. Sintetizadores e bateria eletrônica são brinquedinhos nas mãos destes mestres, e o baixo aqui é quase que uma arma que nos chicoteia o couro, fazendo com que dancemos inevitavelmente.

WhoMadeWho – Inside World

WhoMadeWho – Inside World (Digitalism Remix)

O disco, Brighter, saiu no dia 05 de Março.

Já tem um tempinho que estamos de olho no The Milk, e tudo graças à explosiva “(All I Wanted Was) Danger” e toda a sua aura de perigo e influências soul que nos fizeram lembrar imediatamente de uma Amy Winehouse versão masculina. Os rapazes de Essex podem ter demorado, mas 2012 finalmente verá o lançamento do seu primeiro disco, e se as canções que já conhecemos são alguma indicação, a espera será totalmente válida.

A data de lançamento do disco ainda é um pouco vaga, mas o primeiro single oficial, “Broke Up the Family”, já está caminhando pelos blogs e contará com lançamento oficial em Abril, e assim como os singles anteriores, vai ser muito difícil ficar parado com essa aqui. O gingado anos 60 típico do Motown está presente firme e forte no single, com a banda pegando a experiência dos explosivos shows ao vivo que vêm fazendo e injetando uma dose extra de adrenalina aqui, daquelas que irão fazer seus pés mexerem instantâneamente. Com um refrão divertido a cheio daqueles backing vocals que também apareciam aos montes nos shows da Amy, mal podemos esperar para que esses caras façam um pouquinho mais de sucesso para conferirmos de perto essa energia toda, então já sabe, espalhem a música!

The Milk – Broke Up The Family

O single sai no dia 03 de Abril e vem cheio de remixes. Espere por eles em breve em nossos Friday Mixes!

É sem vergonha mais uma vez, que viemos recuperar o tempo perdido. The Maccabees não é uma banda nova, eles lançaram o primeiro e aclamadíssimo trabalho, Colour It In lá em 2007. Lançaram o segundo trabalho, Wall Of Arms em 2009 e voltaram agora em 2012 com seu terceiro álbum de estúdio, Given To The Wild. Apesar dos 3 álbuns serem esplendorosos, é com Given To The Wild que os Maccabees atingem a maioridade, com um álbum extremamente maduro e agradável, que merece estar no ápice. É com contundência e envolvimento que a banda conseguiu o cobiçado status de ser original. Formada em Londres com base em Brighton, os ingleses sabem onde estão pisando. Seu primeiro álbum soava como se fosse um experimento da banda, beliscando em vários gêneros diferentes. O atual projeto está com as rédias bem direcionadas, beirando entre o britrock clássico e o dream pop.

“Feel To Follow” é o segundo single do álbum, precedente de “Pelican”. A faixa garante sua importância como single, e conquista rápido. Delicada e nostálgica, a faixa é repleta de camadas e texturas, soando algumas vezes como um post-rock muitíssimo bem elaborado e complexo. As guitarras aqui é que são os protagonistas da música, sendo acompanhadas pelos coadjuvantes (mas não menos importantes) piano, bateria e uma infinidade de efeitos especiais e de percussão. A maestria nos arranjos e vocais dá o toque final da música, aquilo que podemos chamar de “cereja no bolo”.

The Maccabees – Feel To Follow

Em Dezembro do ano passado apresentamos aqui no blog o trio sueco Fibes, Oh Fibes! e seu single “Cerahtonia“, lançado apenas para criar expectativo para o segundo álbum do grupo, chamado apenas de Album, que será lançado no próximo mês de Abril. A canção contava com a produção do John Eriksson (do Peter Bjorn & John) e do produtor responsável pelo álbum, Pontus Winnberg, mais conhecido por fazer parte do Miike Snow e integrar uma das metades do badalado duo Bloodshy & Avant. Para o primeiro single oficial do disco, além da produção de Winnberg, os rapazes ainda chamaram as favoritas da Icona Pop para deixar o pacote ainda mais completo, e o resultado não é nada menos que sensacional.

“Apex Of The Sun” é a faixa encarregada de promover o Album, à princípio em solo sueco e mais tarde em solo americano (a banda fará sua estreia nos Estados Unidos em breve, fiquem de olho). Com alguns sintetizadores clássicos do Miike Snow já abrindo a faixa, Christian Olsson logo assume os vocais para cantar sobre todo o seu amor ao sol, recrutando as suecas da Icona Pop para fazerem o coral no refrão. O breakdown esfria as coisas temporariamente só para Winnberg nos apresentar alguns sintetizadores maníacos que juntos de um coro composto pelas vozes das meninas e de Olsson culminam em um resultado estonteante, que com certeza colocará o disco da banda como uma de suas prioridades do ano.

Fibes, Oh Fibes! – Apex Of The Sun (Ft. Icona Pop)

Se gostou, agora basta aguardar pelo Album, do Fibes, Oh Fibes!, que sai no dia 11 de Abril.

Maiores detalhes do Electra Heart, novo álbum da Marina & The Diamonds, foram divulgados recentemente pela cantora. Os singles já diziam que o disco seria um interessante take da indústria moderna do pop visto sob os olhos (e com uma certa ironia) de Marina, impersonificando “tudo o que ela mais odeia” em sua personagem Electra Heart. Apesar de ter seu primeiro single, “Primadonna”, lançado apenas no dia 16 de Abril, a cantora resolveu divulgar nesse sexta feira um aperitivo do que está por vir, distribuindo mais uma faixa do disco, “Homewrecker”.

Com uma introdução falada, Marina (ou seria aqui Electra Heart?) conta a história de uma amizade que acabou se evoluindo para algo mais, nos levando diretamente para o refrão, onde as coisas passam do calmo para o explosivo graças a uma produção dance-pop do Greg Kurstin que lembra bastante seu último single, “Radioactive”, e temos a cantora se auto-proclamando uma “destruidora de lares” e cantando que “quebra corações só por diversão”. A produção segue uniforme, com um breakdown cantado que pára as coisas um pouco e volta com tudo para um último refrão, mantendo a qualidade até o último segundo e nos deixando ainda mais ansiosos para “Primadonna”, o primeiro single oficial do disco.

Marina & The Diamonds – Homewrecker

A música pode ser baixada acima, mas colabore com Marina (e contribua com as estatísticas do Brasil!) entrando em seu site oficial e baixando a música de lá – e pra isso basta inserir o código electrasheart. O disco, Electra Heart, sai no dia 30 de Abril e contará com produções do Dr Luke (Katy Perry), Rick Nowels (Madonna) e Greg Kurstin (Lily Allen). Quem deu a dica do single foi nosso leitor João.

EDIT: Se quiser apressar as coisas, ouça uma versão crua do novo single de Marina, “Primadonna”, produzida pelo Diplo e Dr. Luke, clicando aqui ou indo nos nossos comentários.

Página 130 de 257« Primeira...1020...129130131...140150...Última »