Segunda edição da seção que promete agitar cada hora do seu final de semana! Pra quem não sabe a proposta, temos aqui oito remixes, um para cada hora do seu sábado a noite. E como indicado, vamos colocar um remix especial para… sexo! Curtam, divulguem e comentem logo abaixo.

.

Cee-Lo Green – Fuck You! (Dan Clare Mix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Fuck You, além de virar a queridinha dos blogs afora e receber muito amor da crítica, parece estar no playlist de todo mundo que é pelo menos um pouco ligado em internet. E não demorou muito pros remixes surgiram. Só demorou um pouquinho pra surgir um de qualidade. Com um som electro não tão pesado, passado o primeiro minuto de introdução a música ganhar forma e pra frente é só alegria. Espere só até ouvir o que fizeram com a voz de Cee-Lo no refrão. Surpreendente, empolgante e simplesmente obrigatório.

♫ Cee-Lo Green – Fuck You (Dan Clare Extended Mix)

.

The Killers – Joyride (Night Version)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO

Da série melhores que o original, na verdade essa versão alternativa da contagiante Joyride dos Killers foi feito pela própria banda, a um ano atrás como b-side do single This Is Your Life, mas parece muito bem ter sido feito pelo LCD Soundsystem ou o Hercules & Love Affair. O clima de disco-rock-jazz anos 50 da original permanece, mas a música está ainda mais luxuosa e  produzida aqui, ganhando além de grandes batidas e percussão de sambinha, também guitarras novas.

♫ The Killers – Joyride (Night Version)

.

Diplo & Don Diablo – Make You Pop

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Diplo e Don Diablo juntaram as forças para fazer a pista tremer, ou melhor, você explodir. Na colaboração de DJs mais arrasadora do ano, os caras na verdade lançaram um remix dubstep da faixa (muito ruim por sinal) a um mês atrás, e só agora soltaram a original. As batidas aqui são simplesmente matadoras, e o baixo é pra explodir qualquer subwoofer. Daqueles pra forçar todo mundo ir pra pista.

♫ Diplo & Don Diablo – Make You Pop

.

Goldhawks – Keep The Fire (Reset! Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Me apaixonei por esse remix sem conhecer nada de ninguém da faixa. Fato é: baixe agora. Feito com carinho para os clubes, o remix tem uma vibe disco infinitamente superior que a original, sem contar que é bem interessante pensar como funciona 5 pessoas, o Reset! nesse caso, remixando a mesma faixa.

♫ Goldhawks – Keep The Fire (Reset! Remix)

.

Stromae – Alors On Danse (Feat. Kanye West & Gilbere Forte)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

Você já ouviu a versão original aqui, e embora a música esteja dominando o mercado americano pouco a pouco, nada custa um remix americanizado com o Kanye West, né? Aqui, o rapper acrescenta rimas inéditas ao hit, deixando Stromae e sua voz de tédio (mas longe de ser entediosa!) só com o refrão. As batidas da versão original permanecem inalteradas, assim como o delicioso saxofone, que promete te perturbar por muito tempo ainda.

♫ Stromae – Alors On Danse (Feat. Kanye West & Gilbere)

.

Marina & The Diamonds – I Am Not A Robot (Passion Pit Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

Calma lá. Tem como não ser espetacular? Pegue um dos melhores hits pop do ano e mande uma das minhas bandas favoritas do ano passado remixar. Resultado? O hit da Marina ganha aqui os sintetizadores instantaneamente reconhecíveis do Passion Pit, mantendo todo o brilho da original, mas transoformando o emotronic da faixa em uma verdadeira celebração, que promete fazer muitos indies suarem a camisa na pista.

♫ Marina & The Diamonds – I Am Not A Robot (Passion Pit Remix)

.

Caribou – Odessa (Night Jewel Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

O Caribou já é uma banda que deve ser trilha sonora para muitas noites calientes mundo afora, mas esse remix do Night Jewel não pôde ter sido feito com outra intenção se não sexo. A música, que ganha um clima mais lento e sedutor, continua tão hipnotizante quanto a original, porém com um ar mais glo-fi/space-pop, que definitivamente não vai agitar as pistas, mas sim outros lugares.

♫ Caribou – Odessa (Night Jewel Remix)

.

Brandon Flowers – Crossfire (DVWs Bullethole Remix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Sintetizadored que parecem xilofones e pianos remixados, você nunca ouviu Brandon Flowers cantar sobre um ritmo desse. E Crossfire, a canção ame-ou-odeie solo do cara, apesar de não ganhar as batidas electro mais agitadas do post, ganha uma suave releitura que parece muito bem ter sido obra da La Roux. Calma e tranquila como a original, porém com um clima mais tropical, digna de um pôr do sol pós-balada.

♫ Brandon Flowers – Crossfire (DVWs Bullethole Remix)

.

Créditos: michel heberton & PMA

Que o Panic! At The Disco sempre teve uma veia teatral ninguém pode negar, e com a chegada do segundo disco, embora excelente, essa excentricidade da banda foi um tanto quanto perdida. Problema nenhum. Com a saída de dois integrantes e a volta do ponto de exclamação, a banda está preparando o terceiro disco, e o primeiro aperitivo acaba de chegar. Mais ou menos, na verdade. Os membros da banda Brendon Urie (vocal) e Dallon Weekes (baixo) se apresentam nesse cover de Skid Row, do musical dos anos 80 Little Shop of Horrors. A canção foi misteriosamente postada nesse site, sem muitas informações, e tem Urie com os vocais de Audrey, o protagonista, enquanto Weekes fica com a voz do personagem secundário. Eu nunca ouvi a original, mas de acordo com a SPIN, a música “é fiel à original, adicionando guitarras elétricas e sintetizadores extras”. Ouça a música logo abaixo e fiquem ligados, que qualquer novidade postaremos aqui!

♫ Panic! At The Disco – Skid Row (Little Shop of Horrors Cover)

[Via]

Se o nome Bag Raiders não faz nenhum sentido para você ainda, sugiro que leia esse tópico agora. Ano passado, esse duo australiano de synthpop lançou a épica Shooting Stars, uma brilhante canção nos moldes do Cut Copy, ganhando a atenção de todos em um piscar de olhos. As semelhanças, entretanto, não param por aí. Com um vocal bem igual ao do grupo, além de serem do mesmo país, o Bag Raiders já fez remix para diversas faixas dos caras, assim como para os The Preset e o Midnight Juggernauts, mas só agora vão lançar seu tão esperado debut, o álbum Bag Raiders.

Sobre Shooting Stars, se você não conhecia como eu, recomendo baixar agora. Uma complexa porém acessível canção de electropop, a música te conquista assim que os sintetizadores começam, e é melódica assim como as melhores do Cut Copy. Uma canção que certamente vai te deixar assoviando assim que terminar de ouví-la, ela ainda conta com refrões e batidas que miram direto pra pista de dança. Simplesmente tem tudo o que eu espero de uma brilhante canção pop. Agora o primeiro single oficial, o carro-chefe do novo disco, é Way Back Home. Declarada pela banda como a continuação de Shooting Stars, a faixa conta com ohhhs e ahhhs que grudam na mesma hora, além de ser mais rápida e vir pronta pra agitar seu final de semana. Fiquem de olho no disco, que sai dia 06 de Outubro e promete ser o melhor álbum que o Cut Copy nunca fez.

♫ Bag Raiders – Shooting Stars

♫ Bag Raiders – Way Back Home

Já não deve ser novidade para você que o Hurley, novo álbum do Weezer vazou. Mas se depois do Raditude e do Red Album você está com um pé atrás em ouvir qualquer coisa relacionada à banda, saiba que embora a capa seja a mais ridícula feita pelos caras, esse é seu melhor disco lançado nos últimos dois anos, e embora eu adore o Make Believe, pra mim os dois discos competem como o melhor trabalho pós-Pinkerton. Pra você sentir o que estou querendo dizer, pegue de exemplo Hang On, na minha opinião a melhor da nova safra. A música, que embora seja bem produzida, tem uma clara falta de polimento, característica na verdade de todo o disco, que aqui só faz bem à faixa. Lembrando bastante a ótima Dreamin do Red Album, Hang On tem uma  melodia crescente que vai ganhando proporções e instrumentos até chegar no refrão, que tem a banda cantando em coro o título. A faixa ainda conta com a participação do ator Michael Cera, que faz as vozes de fundo e toca até mesmo um mandolin, e o que pode parecer piada, acaba sendo a faixa que nos traz mais lembranças do Weezer antigo, e é claro, nos dá esperança de que os próximos álbuns sejam cada vez melhores.

♫ Weezer – Hang On

Se voce é daqueles que como eu ama folk, neo folk, freak folk e estava esperando uma coisa diferente do atual trabalho do Sufjan Stevens tenho o prazer de apresentar ao Shugo Tokumaru. Aí fica aquela questão: folk, feito por um japonês? Respondo: sim, e da melhor qualidade.  Com 4 discos lançados, todos cantados em sua lingua materna, Shugo faz de sua música uma experiência deliciosa de se sentir, mesmo que sem entender uma palavra sequer. Suas melodias são ensolaradas e cheias de xilofones, banjos, instrumentos de sopro, violões de 12 cordas, vocais – muitos vocais. O timbre de Tokumaru agrada de cara e por momentos podemos até esquecer que as letras são em japonês. Tudo foi feito por ele. Desde a composição, gravação, até mixagem. O típico one man band.
.

O seu mais recente trabalho é o Port Entropy e acabou de ser lançando no Japão. Com 12 faixas, o disco revela uma evolução  em seu repertório e mostra mais uma vez que ele é uma das melhores coisas que o oriente produziu nos últimos tempos. Uma das músicas de destaque do Port é Rum Hee. Com tudo aquilo que já nomeei no parágrafo anterior, a faixa é perfeita para se acordar de bom humor e tomar aquele café da manhã, seja sozinho ou em família.

♫ Shugo Tokumaru – Rum Hee

http://www.youtube.com/watch?v=2FJ99ju9rfw&feature=player_embedded

Depois de dois discos amados pela imprensa e pelo público alternativo, o Kings of Leon caiu de repente na graça do povo com o terceiro, virando headliners dos mais famosos festivais de rock e vendo o topo dos charts mundo afora, da Jovem Pan à Billboard e ao iTunes. O segredo do sucesso? Bem, os caras que já faziam um indie-rock de qualidade resolveram abdicar do termo “indie”, dando uma polida a mais em suas faixas, trasformando músicas como Sex On Fire e Use Somebody em verdadeiros hinos à-la U2. Primeiro disco pós fama repentina, e a pressão não poderia ser menor. É com esse fardo que chega Radioactive, primeiro single do álbum Come Around Sundown, que continua com o polimento do último disco e o coração dos dois primeiros. A música é típica Kings Of Leon, com um baixo pegajoso, guitarras poderosas e um refrão pra todos cantarem juntos. Com um ritmo mais lento que Sex On Fire e mais agitado que Use Somebody, a banda ainda aposta em elementos inéditos como um coro de crianças gospel no final, que adiciona o ar de grandiosidade que eles tanto buscam agora. Se você gostava antes, não tem porquê deixar de gostar agora. Para nós brasileiros, só nos resta esperar o show no SWU, e é claro, o lançamento do novo disco dia 19 de Outubro. Ouça a música logo abaixo e veja o clipe clicando aqui.

♫ Kings Of Leon – Radioactive

Pra quem estava quieto durante 4 anos, Sufjan Stevens está bem vivo nesse fim de ano. Já falamos do EP do cara aqui, o All Delighted People, e sobre o lançamento de The Age of Adz, assim como seu primeiro single, a suave I Walked. Se curtiu o novo estilo que o cara está seguindo, vá em frente e abrace Too Much com toda força. O som eletrônico suave está aqui de volta, com mais força ainda, espalhados por 6 minutos que, apesar da duração, não é desafiador e deve agradar logo de primera. Várias camadas de eletrônico e vocais em harmonia chegam lembrar bastante a contrução de faixas do último CD do Animal Collective, e embora a música seja bem definida com refrões e versos nos seus primeiros 4 minutos, os últimos 2, apenas instrumentais, são provavelmente a maior aventura que o cara já arriscou fazer. Agora o toque orgânico ainda está aqui, e essa é a principal diferença do Merriweather Post Pavillion, que constrói bem essa loucura final com uso dos intrumentos mais diversificados possíveis além dos eletrônicos, como trombones, palmas, flautas e até mesmo uma orquestra completa no seus últimos segundos. Aguardamos o The Age Of Adz, que sai mês que vem, dia 10 de Outubro.

♫ Sufjan Stevens – Too Much

[Via]

Página 213 de 249« Primeira...1020...212213214...220230...Última »