Depois de passar pelo Brasil, coincidentemente ou não, Theophilus London acaba de lançar mais uma canção, “Flying Overseas”. O rapper, que já é conhecido por suas composições ferozes, faz aqui uma relaxante canção com o produtor Devonté Hynes (também conhecido pelo projeto Lightspeed Champion), que fala justamente sobre um “garoto do Brooklyn com sonhos de viajar o mundo todo com a pessoa amada”. O destaque da faixa, entretanto, fica com a brilhante convidada especial Solangé Knowles, que rouba o refrão para si e adiciona um clima de tranquilidade imensa à faixa, que nos faz aceitar na hora seu convite para “voar com ela”, como canta no refrão. Fiquem com a faixa abaixo e aguardem mais novidades do rapper para 2011!

Theophilus London – Flying Overseas (Feat. Solangé Knowles)

Apresentei a Florrie antes já aqui, e finalmente hoje, a cantora lançou o seu primeiro EP, o Introduction EP. Florrie, que estava distribuindo suas músicas gratuitamente por toda internet, não parou com a tradição, pois enquanto o mini-álbum vai estar disponível para compra no iTunes, ele também está sendo distribuído de graça aqui também. O maior destaque do álbum é exatamente “Give Me Your Love”, que já falamos aqui, misturando um baixo à-la The XX com batidas da Kylie Minogue, numa canção que remete às primeiras composições da cantora. A outra mais legal que achei, embora muito diferente da primeira, foi “Call of the Wild”. Enquanto ela também foi produzida pelo mega-time de produtores Xenomania (Kylie, Annie), a canção soa como uma música perdida da Santigold, com guitarras e tudo mais. Enquanto o resto do EP é bem fraco, vamos torcer pra que as coisas melhorem para a cantora. Ouça o single abaixo:

Florrie – Call Of The Wild

TV Girl é o nome de um grupo de San Diego que faz aquele típico bedroom-pop: lo-fi, caseiro e deliciosamente irresistível. Como se não bastasse, os caras estão ganhando um hype generoso nesse final de ano por conta de um EP gratuito que disponibilizaram (baixe aqui), e desde então a banda vêm apontando como mais um nome para se ficar de olho em 2011. “If You Want It”, o primeiro single do EP, conta aquela velha história de bêbado querendo se aproveitar do outro sexualmente, mas o TV Girl é mais suave, e mesmo admitindo que a parceira só está fazendo isso por que está de fato fora de si, ainda diz que só faria “se ela quiser”, daí o título da música. É uma historinha típica (e engraçada), embalada por suaves guitarras e até um solo de saxofone beirando o sensual no finalzinho, o suficiente para tornar essa canção ainda mais propícia, se é que me entendem. A vibe relax da música na verdade vem de um sample de “Hello It’s Me”, uma música que não conheço de uma cara chamado Todd Rundgrens, mas sinceramente, tudo se encaixa tão bem que a única coisa que você vai querer  saber no final do EP é a data do próximo lançamento do grupo. Baixe o encantador EP TV Girl aqui, e aguarde por mais novidades da banda em breve.

TV Girl – If You Want It

Eu já falei sobre a Jessie J aqui, com seu single “Do It Like A Dude”, e sobre o quão maníaco e grudento ele é, e creio que muitos de vocês gostaram. Uma canção agitada e baseada em batidas pesadas, pouco ela tem em comum com “Price Tag”, a mais nova música a vazar da cantora, produzida a propósito pelo Dr. Luke (“Tik Tok”, “Circus”).

Como disse acima, essa daqui tem uma produção mais limpa, orgânica, sem autone ou qualquer efeito mais pesado. Com uma melodia relaxante e levemente ensolarada, a música é um delicioso mid-tempo que vai fazer você se sentir bem, com a típica letra de “vamos fazer bem ao mundo”. Clichês a parte, seu refrão vai grudar na primeira vez que ouví-lo, e cantando que “não é só sobre o dinheiro/não precisamos do seu dinheiro”, Jessie J soa tão suave na faixa, que nos faz realmente acreditar que ela pode ser a popstar menos egocêntrica do mercado atual. Mas para falar a verdade, eu pouco estou ligando. A música soa nada menos como um hit, e em termos de Lady Gaga, soa como se “Eh Eh” fosse tão boa quanto “Paparazzi”. Mal posso esperar para ouvir o Who You Are, primeiro álbum da cantora, que sai logo mais em 2011. Ouçam a faixa abaixo e comprovem.

Jessie J – Price Tag

Temos aqui o primeiro grande lançamento de 2011. Programado para o dia 18 de Janeiro, o Tennis vai estar lançando finalmente seu primeiro álbum, o Cape Dory. A banda, que na verdade é um duo de marido e mulher, conta com o delicioso vocal de Alaina Moore (essa da capa!), que deu o nome ao grupo por causa do esporte “elitista” que é o preferido do seu marido, o guitarrista Patrick Riley. Essa é a história de como surgiu o nome deles, agora a história de como a banda de fato surgiu, são outros quinhentos. Decididos a largar suas vidas monótonas e percorrer de barco da Flórida até o Bahamas, o casal decidiu escrever algumas canções no caminho para documentar a viagem, resultando em algumas pérolas que soam como canções vindo direto dos anos 50, com aquela brisa de praia e tudo mais. De começo, o som do grupo lembra bastante o Best Coast, só que mais trabalhado nos versos e refrões, soando até um pouco mais pop. As canções também são cutíssimas, entretanto. Eles lançaram alguns singles esse ano, mas todos eles vão estar inclusos em seu debut, e “Marathon”, minha favorita até então, entra como a quarta faixa do disco.

Tennis

Patrick Riley e Alaina Moore - Tennis

“Marathon” é exatamente o que eu descrevi acima. A canção fala sobre ventos, mar, barcos e viagens, e carrega todo o clima de “dia na praia”, e com um refrãozinho cheio de “ooh”s, ela vicia e emerge como a canção mais promissora que o grupo já soltou. Mas as outras que pude ouvir não distanciam muito da qualidade dessa. “Baltimore” parece um Fleet Foxes acelerado tocando na praia, e a favorita “Cape Dory”, faixa-título do disco, também com sua taxa de “ooh”s e “shalala”s, não tem medo de soar pop. Fiquem com as três faixas abaixo, que compõem  o EP Baltimore, e aguardem pelo Cape Dory, que deve definir a primeira grande banda/álbum de 2011, logo no comecinho do ano!

Tennis – Marathon

Tennis – Cape Dory

Tennis – Baltimore

Rihanna – S&M

Luis Felipe —  05/11/2010 — 8 Comments

* Atualizado com o remix da Britney!

O Loud da Rihanna está saindo aos poucos, e já está dando o que falar. A meio de tantos falsos vazamentos, “S&M”, a primeira canção do disco e o terceiro single do mesmo, acaba de sair, no que deve ser provavelmente a última música que teremos antes do de ouvir o disco completo. “S&M” na verdade é a sigla para sexo e masoquismo, e nessa sexy e dançante canção, Rihanna prova que não quer nada além disso. Com uma batida que lembra bastante “Sexy Bitch”, do Guetta, Rihanna canta sobre chicotes e correntes, o cheiro de sexo no ar e de como tudo isso excita ela. A música soa um pouco como a ótima “Who’s That Chick”, que acabou ficando de fora, mas por “S&M” ter um ar mais adulto que a outra, acho que valeu a justificativa. Ouça a música logo abaixo e aguarde por Loud, o novo álbum da Rihanna, que deve cair hoje ainda na rede.

Rihanna – S&M (Remix Feat. Britney Spears)

Depois de um Friday Mixes atrasado e meio “mais ou menos” semana passada, a nossa querida seção está essa semana em sua melhor forma, com os melhores remixes que sairam essa semana, assim como umas pérolas mais antigas que fazem minha cabeça até hoje! Deêm um destaque para a bela versão de “Revolving”, da Sparks, e o excelente mash up do The Killers com “Somebody Told Me”, mas ouçam todos eles por que essa semana sem dúvidas todos estão muito bons!

.

Hurts – Better Than Love (Italoconnection Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Eu sempre odiei o HURTS, e um dos motivos foi “Better Than Love” e “Wonderful Life”. Essa última, quando ouvi sua versão finalizada, subiu imediatamente pra o meu top de “músicas do ano”, agora “Better Than Love” (e a ainda terrível “Blood Tears & Gold”), embora façam parte de um disco maravilhoso, ainda não cairam no meu gosto. Entra aí esse remix do Italoconnection, produtor renomado dos anos 80. A música vai crescendo e construindo suas batidas, guardando o refrão para soltá-lo só depois da marca dos 3 minutos, dando muito mais impacto ao mesmo, e com a adição de um toque retro anos 80 que lembra as vezes o New Order, o cara transforma essa música apenas ok em uma das mais legais das banda.

Hurts – Better Than Love (Italoconnection Remix)

.

Darwin Deez – Constellations (Xaphoon Jones of Chiddy Bang BOOTLEG Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Conheci o Darwin Deez ano passado com a contagiante “Radar Detector” através de um remix do Xaphoon Jones, o produtor por trás do Chiddy Bang. O que em sua versão original era uma tranquila mas divertida canção de pop-rock, vira um electro-pop com batidas de hip hop, assovios e sinos, com uma produção totalmente nova e digna dos outros remixes e trabalhos do Xaphoon.

Darwin Deez – Constellations (Xaphoon Jones of Chiddy Bang BOOTLEG Remix)

.

Tame Impala – Lucidity (Pilooski Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

O Tame Impala lançou um dos melhores discos do ano, tanto que até arrisquei dizer algumas palavras sobre ele aqui. Repleto de psicodelia e um vocal que lembra às vezes Lennon, os caras fazem um rock que chama a atenção dos nossos ouvidos sem muita dificuldade, e esse segundo single, “Lucidity” (que ganhou um clipe incrível), ganha uma bateria mais forte e algumas palmas. Na verdade, a faixa têm poucas alterações da original, mas todas elas fazem a música ficar ainda mais energética e eufórica do que a original, no final, tornam essa aqui a ideal para as pistas. O Tame Impala ganhou poucos remixes até agora, então não deixe esse aqui passar.

Tame Impala – Lucidity (Pilooski Remix)

.

Kylie Minogue – Get Outta My Way (Penguin Prison Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Kylie Minogue todo mundo já conhece, agora espero ter chamado a atenção de todos com essas duas músicas incríveis do Penguin Prison que postei aqui. Conhecido por suas produções com toque da disco-music, o cara faz exatamente o esperado com a alegre “Get Outta My Way” da australiana mais querida de todos, e o esperado nunca foi tão bom. A música fica menos agitada e contida que a original, e perde um pouco o charme do refrão, o que deve decepcionar os mais fanáticos, principalmente por ser  (des)construída de uma forma bem diferente da original. Mas aprecie como sendo apenas um remix do Penguin Prison, que você terá mais uma bela faixa desse promissor artista.

Kylie Minogue – Get Outta My Way (Penguin Prison Remix)

.

The Killers Vs. Erik Prydz – Somebody Told Me vs. Pjanoo

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

Semana passada postei um mashup bem legal do Kanye West com a Lady Gaga tirado do ótimo DJ Hero 2. Enquanto não tive a oportunidade de conhecer todos os remixes da sequência, joguei o primeiro game a exautão, por unir duas coisas que amo: remixes e videogame. Apresento agora, para quem ainda não conhece, um dos melhores remixes do dito jogo, um mashup de “Somebody Told Me” com “Pjanoo” do Erik Prydz. Mas se você não conhece a segunda música, apenas saiba que o hit do The Killers se transforma aqui numa incrível música com batidas crescentes e empolgantes, que poderia ser tocada em qualquer pista de Ibiza. É daquelas pra causar bagunça nas boates, mesmo sendo criada para um game.

The Killers Vs. Erik Prydz – Somebody Told Me vs. Pjanoo

.

Examples – Kickstarts (Myndset Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

Essa música do Examples foi um dos maiores hits do Reino Unido esse ano, e ela tem um bom motivo para isso. A música além de ser tocada nas rádios, foi a preferida de vários DJs, pois com um refrão grudento e sintetizadores que dão todo um clima a mais, a música além de animar, vicia. Esse remix do Myndset, o meu favorito da faixa, têm apenas algumas mudanças sutis, mas extremamente necessárias para tornar a música ainda mais disco-friendly, então se precisa de alguma música para agitar seu set, mesmo não muita gente conhecendo essa aqui, pode tocar que é amor à primeira ouvida!

Examples – Kickstarts (Myndset Remix)

.

Gorillaz – Doncamatic (Joker Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

“Doncamatic” foi um enigma. Depois de lançar o ótimo Plastic Beach no meio do ano, o Gorillaz chegou com esse single do nada, e de mansinho virou para mim a faixa mais tocada da banda nesse ano. A produção do Gorillaz, a única coisa que fazia da faixa uma música extremamente Gorillaz, é deixada de lado nesse remix que diminui o ritmo e retira todas as batidas da original, a favor de um ritmo sexy-dubstep. Para completar, com os vocais sussurantes de Daley, que “pede que você vá até em baixo”, a música triplica o seu tom sexual nesse remix quase perfeito criado pelo Joker.

Gorillaz – Doncamatic (Joker Remix)

.

Spark – Revolving (Monsieur Adi Rework)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Você se apaixonou por Spark nesse post que fiz aqui, e nessa recriação da música pelo Monsieur, as coisas ficam extremamente mais tensas. O que era um electro-pop alegre e divertido vira aqui uma canção semi-acústica, com os vocais da cantora amplificados, com um efeito que dá a sensação que ela estivesse cantando na sua frente ao vivo. Para acompanhar, três violinos prolongam e dão um clima totalmente diferente à música, mais cru, humano e infinitamente melhor. Pense em “Indestructible” versão acústica da Robyn que você vai entender o que estou falando, mas não deixe em hipótese alguma de ouvir essa belíssima alternativa à faixa original.

Spark – Revolving (Monsieur Adi Rework)

.

[D/L] Friday Mixes VIII