Archives For Arcade Fire

background

Ano passado aprendemos a nunca julgar um livro pela capa com o projeto californiano Frank + Derol, liderado pela irmã da Miley Cyrus e que fez uma das canções pop mais deliciosas do ano. Entretanto, da mesma forma que atrelar um grande nome a uma banda novata pode ser vantajoso, as consequências também podem ser severas, no caso, afastar um boa quantidade de ouvintes justamente pelo preconceito. Portanto, permanecer no anonimato foi a estratégia adotada pelo Shaun White, snowboarder e skatista profissional, com o seu projeto Bad Things, que a propósito já nasce com contrato assinado com a Warner.

Mas se você acha que o rapaz faz parte de mais uma banda californiana de surf-pop, dado a identidade do líder do projeto, prepare-se para ficar redondamente enganado ao ouvir o primeiro single oficial da banda, “Caught Inside”. Começando com belas harmonias vocais pavimentadas por guitarras e violinos, a canção ganha versos que poderiam soar um tanto simples se não fossem pelo jogo de vozes entre os dois vocalistas, que já cativam nos primeiros segundos fãs de Arcade FireBand of Horses. Entretanto, é na chegada do antêmico refrão, cantado em coro pela banda, que a faixa atinge seu clímax, pontuado por uma avalanche de baterias e dotado de versos carismáticos (apesar de um tanto depressivos), que transformam a canção em algo muito mais grandioso do que você possa estar imaginando. Bad Things, na verdade, são bons pra caramba.

Bad Things – Caught Inside

991345a1

2013 é definitivamente o ano dos comebacks, e como já esperado desde o ano passado, os queridinhos do Phoenix são um dos maiores integrantes da lista de retornos que nos espera este ano. O último disco da banda, Wolfgang Amadeus Phoenix, foi culpado por catapultar em 2009 os franceses para pistas e iPods de qualquer um que ouve algo além das rádios, e é assim, numa pressão imensa, que os rapazes retornam com “Entertainment”, o primeiro single do novo álbum, Bankrupt!.

Ao meio de novos e antigos elementos, “Entertainment” é basicamente o que você pode esperar de um “primeiro single” do Phoenix: energético. A composição em si não ter o mesmo apelo que “1901”, e traz elementos antigos (mas ainda assim eficientes), como a repetição de palavras e o efeito “montanha russa” que predomina praticamente todas as canções do disco anterior, com versos acelerados e uma pequena pausa no refrão que vai pegando força só para culminar em um inevitável “looping” (neste caso, um grudento riff de sintetizadores). Mas é a produção, feita pela própria banda e pelo veterano Philippe Zdar, que diferencia a canção de todas as outras da banda. O começo frenético soa como um Delphic brincando com o timbre de sinterizadores de “Paradise”, do Coldplay, mas resultando num monstro completamente diferente, que leva o foco para os vocais do Thomas Mars nos lembrar que estamos ouvindo uma música do Phoenix. A banda inclusive chega a apostar em algo mais grandioso no middle-8, com um coral de garotas cantando junto à melodia dos riffs, e nos lembrando dos melhores momentos de “Haiti”, clássico do Arcade Fire e a mais “tropical” do seu Funeral.

Phoenix – Entertainment

O novo disco dos franceses, Bankrupt!, chega com ainda mais antecipação no dia 22 de abril, pelo selo Glassnote.

tumblr_mhespk56zs1qz4k5yo1_1280-e1359659315365

Lembra quando apresentamos por aqui no começo do ano o britânico Tom Odell, vencedor do Critics Choice Awards britânico e um dos principais concorrentes das irmãs Haim ao pódio do Sound of 2013 da BBC? Pois bem, apesar de não ter faturado o prêmio, Odell nos impressionou com seu EP de estreia, principalmente com as excelentes “Another Love” e “Sense”, e agora, aproveitando o hype inesperado, o rapaz de 22 anos se prepara para o lançamento do seu primeiro disco, Long Way Down, que sai agora em abril.

Apesar do curto intervalo entre EP e disco, se o primeiro single oficial do rapaz for alguma indicação, a mudança de sonoridade entre os dois trabalhos será drástica. Enquanto no EP Odell soava como uma versão juvenil do Chris Martin (Coldplay), em “Hold Me” as influências saem direto da bíblia de neon do Arcade Fire, com o rapaz se levantando pela primeira vez do assento para elevar suas produções delicadas à um número intenso, que cresce a cada verso.

Tom Odell – Hold Me

O primeiro disco de Tom Odell, Long Way Down, sai no dia 15 de abril.

CavemanInTheCity

Se eu tivesse que apontar o disco mais injustiçado de 2011 (e também um dos melhores, visto nossa lista de discos favoritos do ano), certamente ele seria o CoCo Beware, do quinteto nova-iorquino Caveman. Um disco de guitarras e extremamente melódico, que passeia pela leveza do Real Estate e a grandiosidade do Arcade Fire, o trabalho está prestes a ganhar um sucessor, desta vez abraçado pelo selo Fat Possum, que liberou nesta semana seu primeiro single.

Apesar do título, “In The City”, a canção passa longe do caótico e te embarca em uma relaxante viagem sonora para um lugar bem distante das grandes metrópoles. Carregada por uma linha de sintetizadores propulsiva, digna do dream-pop nostálgico do Beach House, a canção se difere dos trabalhos anteriores do quinteto graças à produção expansiva e cheia de detalhes, mas que ainda assim não esconde as belezas dos vocais de Matthew Iwanusa, que transformam a canção em algo que o Grizzly Bear poderia fazer se flertasse com sintetizadores.

Caveman – In The City

O segundo disco do Caveman, auto-intitulado, sai no dia 2 de abril pelo selo Fat Possum, e já podemos adiantar que é um dos melhores discos que ouvimos nos últimos meses.

Katy Perry – Electric Feel (MGMT Cover) (Blood Bats Bootleg)

Esse cover da Katy Perry já saiu tem um tempinho, mas o Blood Bats fez uma coisa diferente aqui: pegou a voz de Katy, colocou sobre o ritmo da versão original e ainda mudou alguns detalhes mínimos na música. Os arranjos da versão acústica da cantora se misturam perfeitamente com as batidas da original, transformando o cover em praticamente um novo take do hit do MGMT. Coloque a faixa como “bonus track” do Teenage Dream e tenha a melhor música da Katy Perry.

♫ Katy Perry – Electric Feel (MGMT Cover) (Blood Bats Bootleg)

.

Clare Burson – We Used to Wait (Arcade Fire Cover)

Já postamos um cover do The Drums para uma das melhores músicas do The Suburbs, mas cá entre nós, ficou tudo bem previsívil. Não que este cover aqui da Clare Burson seja melhor que o original (nenhum jamais será), mas que ele é mais ousado isso não podemos negar. O cover arrisca numa versão mais country da música, e tem a até então desconhecida cantora usando sua bela voz para fazer as mesmas harmonias vocais que Win e sua trupe. Vale a pena ouvir.

♫ Clare Burson – We Used to Wait (Arcade Fire Cover)

.

Little Girls – 10 Mile Stereo (Beach House Cover)

A banda de post-rock Little Girls fez o esperado aqui, um versão post-rock de uma das mais belas músicas do Teen Dream, vale ressaltar, um dos meus discos favoritos do ano. Se não conhece a banda, imagine toda a bagunça do No Age, mas com uma veia mais melódica. De qualquer forma, o cover obviamente chega como uma das mais pops do grupo, mas que não deixa de adicionar algumas cicatrizes à doce música do Beach House.

♫ Little Girls – 10 Mile Stereo (Beach House Cover)

.

Chiddy Bang – Don’t Worry Be Happy (Bobby McFerrin Cover)

Não sei se é só eu, mas a lembrança que tenho desta música é daqueles peixes americanos de brinquedo que se desdobram e começam a assoviar a música. Se você conseguiu identificar a canção que estou falando agora, vai ficar surpreso com o que Chiddy fez aqui. Na verdade, nada surpreendente. Samples de música famosa mais os raps de Chiddy, até aí ok, mas o fato mais curioso foi saber que a música foi inteiramente feita ao vivo, após alguns leitores terem dado alguns tópicos pro rapper falar sobre, misturando tudo num freestyle animal. Se quiser, pode conferir o vídeo todo aqui.

♫ Chiddy Bang – Don’t Worry Be Happy (Bobby McFerrin Cover)

.

Kylie Minogue – Wonderful Life (Hurts Cover)

A canção mais bonita de suicído acaba ganhar um cover de Kylie. Após ter uma de suas próprias músicas regravadas pelo Hurts, a cantora resolveu retribuir o gesto gravando o maior hit do duo. O resultado é o esperado, a canção ganha arranjos mais acústicos e fica simplesmente maravilhosa com o vocal da Kylie, e nos deixa na vontade de ouvir uma versão mais completa produzida pela moça.

♫ Kylie – Wonderful Life (Hurts Cover)

.

Depois de uma semana de folga, o Friday Remixes está de volta, mas dessa vez, vocês perceberão que teremos menos remixes de pista e mais do que podemos chamar de “reinterpretações”, remixes que não usam quase nada da original, e recriam a música completamente. Baixem todos abaixo, ouçam no player lá em baixo, e é claro, bom final de semana a todos!

.

Robyn – None of Dem (Timid Tiger Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Postei uma música dessa banda que estou obcecado a um tempinho atrás (aqui!). Timid Tiger, divertidos e despretenciosos, o grupo de electro-rock resolveu recriar “None of Dem” do zero aqui, reaproveitando apenas os vocais de Robyn. Fora fica o climão pesado da original, que dá espaço para instrumentos mais fortes, principalmente a bateria, que fica óbvia desde a primeira frase da música: “Você têm alguma bateria na sua casa?”. Como disse na original, tá aí uma “música para sair de madrugada sem nenhuma boa intenção em mente”.

♫ Robyn – None of Dem (Timid Tiger Remix)

.

Maximum Balloon – Groove Me (T-Minus 321 Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Maximum Balloon pode ter lançado o melhor projeto paralelo do ano, mas você já imaginou ouvir uma música dele com samples grooves da Madonna? Sem surpresas, “Groove Me”, com o Theophilus London, ganha samples de “Lucky Star”, da cantora pop, em um remix que não poderia ter ficado melhor. Pra apertar o play e já sair dançando.

♫ Maximum Balloon – Groove Me (T-Minus 321 Remix)

.

Rihanna – Only Girl (In The World) (Cosmic Dawn Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

A música na verdade destoa da descrição acima que fiz, pois na verdade acrescenta muito pouco a “Only Girl”, uma canção já feita para bombar em todas as pistas. O remix pode não ser o mais original ou criativo do ano, mas o pouco que foi acrescentado aqui foi o bastante para tornar a música ainda mais disco-friendly.

♫ Rihanna – Only Girl (In The World) (Cosmic Dawn Radio Edit)

.

Daft Punk – Derezzed (From TRON SOUNDTRACK) [NTEIBINT Remix]

PARA OUVIR: BEBENDO

O fato mais engraçado da semana foi ver os blogs em exctase com 20 segundos de uma música nova do Daft Punk, pra ser trilha de Tron. Se você foi um desses que ouviu e ficou com um gostinho de quero mais, problema resovido. Um DJ chamado NTEIBINT pegou aqui os já famosos 20 segundos e transformou em 4 minutos de pura festa, no que não soa muito como uma nova música do Daft Punk, mas certamente como um dos melhores remixes de uma delas, mesmo que ela tenha apenas 20 segundos por enquanto.

♫ Daft Punk – Derezzed (From TRON) [NTEIBINT Remix]

.

Ellie Goulding – Under The Sheets (KIDS AT THE BAR Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

O Kids At The Bar já fez maravilhas com o Empire of the Sun, com o Passion Pit e com o The Harlem Shakes, e agora é a vez de vingar com um remix da queridinha Ellie Goulding. Transformando uma das mais já-agitadas faixas da moça em um electro de primeira, a música traz batidas sujas e pesadas em constraste com os doces vocais da cantora, uma mistura aqui perfeita, mas acima de tudo, um exemplo para a cantora largar de ser Sandy e virar para o batidão de vez.

♫ Ellie Goulding – Under The Sheets (KIDS AT THE BAR Remix)

.

Frankmusik – Confusion Girl (Russ Chimes Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

“Confusion Girl” do Frankmusik é sem dúvida uma das músicas mais legais do ano passado. Falo por que gosto mesmo dele. E por tanto gostar saí a procura de remixes pras suas faixas. Quando me deparei com o que o Russ Chimes fez com a música, simplesmente parei e disse: é esse! A faixa ficou extremamente dançante com uma leve pegada 80’s. Decididamente, feita para os melhores sets.  [Via Michel Heberton]

♫ Frankmusik – Confusion Girl (Russ Chimes Remix)

.

Arcade Fire – The Suburbs (Paper Tiger Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Eu lembro de assistir “The O.C.” (sim!) quando era mais jovem, e ouvir o pseude-indie Seth Coen falar todo episódio que Arcade Fire era música de sexo. Enquanto eu não me vejo de jeito nenhum fazendo sexo ao som de “Power Out”, eu bem que posso me imaginar fazendo ao som de “The Suburbs”. Mas não precisa gastar a original, visto que o remix aqui, com direito a batidinhas com synths bem tranquilos, deve fazer bem o trabalho. Melhor, te ajudar.

♫ Arcade Fire – The Suburbs (Paper Tiger Remix)

.

M.I.A. – XXXO (Oli Chang Cinematic Remix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

O “Cinematic” no nome de um remix nunca foi tão correto. Nessa releitura de “XXXO”, a canção mais pop do novo disco da M.I.A, ficam de fora os sintetizadores frenéticos e as batidas electro da original, que dão espaço para novos arranjos, pianos e até uma mini-orquestra, que fazem dessa versão, ao invés de animada, dramática, e até mesmo emocionante.

♫ M.I.A. – XXXO (Oli Chang Cinematic Remix)

.

Créditos: Feral Party Kids, PMA & Sheena Beaston
.

The Drums – We Used To Wait (Arcade Fire Cover)

Uma das bandas mais hypadas de 2009 resolveu incluir nos seus shows o cover de uma das músicas mais legais do ano. Falo de nada mais, nada menos do que We Used To Wait, do recém-lançado The Suburbs, terceiro disco do Arcade Fire. A faixa ganhou uma pegada bem menos séria que a original, e chega a lembrar o surf-music misturado com indie rock do debut do The Drums. Divertido e interessante. Ouça e baixe a faixa em alta qualidade logo abaixo.

♫ The Drums – We Used To Wait (Arcade Fire Cover)

.

Arcade Fire – We Used To Wait (Video)

Que o Arcade Fire sempre procura algo pra supreender aos seus fãs isso o mundo inteiro já sabe. Seja, com sua qualidade sonora, seja com lançamento de filmes, shows secretos ou até mesmo transmitidos pelo YouTube. Agora eles aparecem com um vídeo completamente interativo. Pra ser mais exato, uma experiência. Não é algo apenas para ser visto e sim, experimentado.

Eles já fizeram isso com Neon Bible da vez passada, mas aqui a idéia foi mais ousada.  O projeto, chamado The Wilderness Downtown, funciona assim: entrando neste site ele vai te pedir o endereço de onde voce nasceu/foi criado, e a partir disso, se inicia uma viagem incrível pela sua própria infância, com cenas recriadas da sua rua, com o auxílio do Google Street View. Assim como fala na música. É claro que o recurso é um pouco mais limitado para nós brasileiros, pois algumas cidades vão funcionar melhores que as outras, mas indico tentar, e se não conseguir, coloque alguma cidade que conheça, só pra você sentir como é. As reações são as mais diferentes. Você pode ver o making-of clicando aqui e descobrir como tudo isso foi feito. O site recomenda que você use o Google Chrome para assistir, mas o Safari funciona bem também, se você estiver no Mac. Experimente!

♫ Arcade Fire – The Wilderness Downtown (Video Interativo)

[Via]