Archives For Au Revoir Simone

.

O EP Broods possui várias músicas que ressaltam o talento dos irmãos Georgia e Caleb Nott, que formam o duo Broods. Com uma produção de invejar muitos artistas iniciantes, o debut da dupla neozelandesa mescla uma pegada pop cheia de synths com os vocais delicados dos irmãos, que podem cair no gosto dos fãs de grupos como CHVRCHES e Au Revoir Simone. Depois da música “Bridges”, é a vez de “Never Gonna Change” ganhar um videoclipe. O diretor Remi Weekes soube aproveitar bem o clima sutil da música para criar uma atmosfera de fantasia para a história de um cara que volta para sua amada depois de imergir de um lago, mas a água continua pingando do corpo e afetando tudo ao seu redor.

.

Com o álbum Move In Spectrums previsto para o dia 24 de setembro, o Au Revoir Simone mostra mais um pouco do que encontraremos no disco. “Crazy” é um single com os mesmos vocais suaves de “Somebody Who”, mas com uma pegada mais agitada, caracterizando um synth-pop mais voltado para o rock do que a música anterior. Dirigido por Alex Braverman e Poppy de Villeneuve, o clipe de “Crazy” tem uma estética oitentista e é uma homenagem ao filme Depois de Horas (1985). As integrantes do trio interpretam os personagens inspirados na obra de Martin Scorsese. Assim, acompanhamos a jornada do protagonista, que passa por poucas e boas durante uma noite em Manhattan.

 

 

.

Formado por Annie Hart, Erika Spring Forster e Heather D’Angelo, o Au Revoir Simone pretende lançar seu 3º álbum em setembro. Denominado Move In Spectrums, o CD deve tornar o grupo ainda mais pop, se levarmos em consideração o single “Somebody Who”, que possui uma graciosidade encantadora, graças à harmonia entre os vocais suaves e as batidas eletrônicas, parecendo uma combinação entre Postiljonen e CHVRCHES. O videoclipe foi dirigido pela dupla HARRYS, que fez um trabalho primoroso ao filmar um casarão de forma tão majestosa que o cenário acaba virando uma espécie de personagem do clipe. Outro atrativo é a maneira como o trio originário do Brooklyn se move e se posiciona no local, garantindo um efeito imersivo devido aos ângulos da câmera.

SD_Daylight

O trio de electropop Little Daylight, de Nova York, começou cativando o mundo dos blogs com seus remixes cheios de personalidade, que abrangem de Passion Pit a Edward Sharpe & The Magnetic Zeroes, de The Temper Trap a Niki and The Dove, e todos com uma autenticidade e ousadia admiráveis. Há dois meses lançaram seu primeiro single, “Overdose”, e provaram que seu talento vai além do mundo dos remixes, fincando a estaca na posição de queridinhos pelos blogs. O sucesso, entretanto, vai além dessa esfera e, nesse mês de maio, o trio entrará em turnê com ninguém menos que a Charli XCX.

“Name In Lights”, o segundo single do trio promissor, corresponde às expectativas bem no jeito do Little Daylight: mudando de estilo em relação ao primeiro single imponente. Esse novo parece ter caído dos céus, num synth-pop tão angelical que está mais para um “synth-heaven”. Com um jogo delicado e muito natural de texturas downtempo que competem na suavidade, o ambiente é refrescante e relaxante, como os harmoniosos do Au Revoir Simone. Entretanto, ainda há espaço para uma percussão e uma linha de baixo bem animadinhas, que quebram um pouco do ar cândido da música e revelam uma maturidade meio escondida, mas, com certeza, presente – como se fosse uma mocinha que mantém a meiguice de sua infância, mas já tem toda a avidez de uma mulher. E essa mesma impressão aparece também na técnica: o ambiente etéreo domina a cena, mas a produção é de uma qualidade impressionável, que merece destaque. O final é outro detalhe que traz magia de seu esconderijo: parece comum, mas termina como deveria, nos tranquilizando depois de ter nos levado a essa viagem celestial. Então feche os olhos e deixe-se levar por ela!

Little Daylight – Name In Lights

O primeiro álbum do Little Daylight já está sendo planejado e incluirá os dois singles, além de vários remixes de “Overdose”, como os de Tippy Toes, Ghost Loft e Twice As Nice.