Archives For Caveman

.

O blog já elogiou “In The City”, primeiro single divulgado pelo Caveman para que as pessoas se interessem por seu segundo álbum, que tem o mesmo nome do grupo. Agora é a vez de recomendar o clipe de “In The City”, dirigido por Philip Di Fiore. No vídeo, um casal vai para Nova York e fica deslumbrado ao passear pelo local. Entretanto, a empolgação termina quando um clima desconcertante toma conta deles, interpretado por Julia Stiles e Fran Kranz. Quem já viu o clássico de terror psicológico “O Bebê de Rosemary” (1968) vai perceber a referência ao filme de Roman Polanski, pois o clima agradável fica sombrio quando a personagem de Julia Stiles acorda e nota ferimentos no corpo, feitos durante a noite por um suposto funcionário do hotel onde o casal está hospedado. Depois de ver o clipe, você provavelmente pensará duas vezes antes de dormir em um quarto de hotel sem checar se não há ninguém escondido atrás das cortinas.

CavemanInTheCity

Se eu tivesse que apontar o disco mais injustiçado de 2011 (e também um dos melhores, visto nossa lista de discos favoritos do ano), certamente ele seria o CoCo Beware, do quinteto nova-iorquino Caveman. Um disco de guitarras e extremamente melódico, que passeia pela leveza do Real Estate e a grandiosidade do Arcade Fire, o trabalho está prestes a ganhar um sucessor, desta vez abraçado pelo selo Fat Possum, que liberou nesta semana seu primeiro single.

Apesar do título, “In The City”, a canção passa longe do caótico e te embarca em uma relaxante viagem sonora para um lugar bem distante das grandes metrópoles. Carregada por uma linha de sintetizadores propulsiva, digna do dream-pop nostálgico do Beach House, a canção se difere dos trabalhos anteriores do quinteto graças à produção expansiva e cheia de detalhes, mas que ainda assim não esconde as belezas dos vocais de Matthew Iwanusa, que transformam a canção em algo que o Grizzly Bear poderia fazer se flertasse com sintetizadores.

Caveman – In The City

O segundo disco do Caveman, auto-intitulado, sai no dia 2 de abril pelo selo Fat Possum, e já podemos adiantar que é um dos melhores discos que ouvimos nos últimos meses.