Archives For charli xcx

maxresdefault

Você se lembra daquela simplicidade das primeiras canções da Lana Del Rey e da Lorde? Se aquele tipo de som for sua praia, “Girls Your Age” vai se tornar uma das suas novas músicas prediletas. Feita pelo quarteto Transviolet, originário de Los Angeles, a canção é basicamente composta de uma batida minimalista e vocais sintetizados – ferozes, entretanto – lembrando bastante a sofisticação do The xx só que com a atitude de uma Charli XCX. Diante de tanta música por aí que já começa de maneira explosiva, o que não é nenhum demérito, o primeiro single do Transviolet surge com frescor pros ouvidos, justamente por levar o tempo necessário para ir crescendo, com calma, até explodir ao final. Com uma letra que detalha a solidão e a ingenuidade da juventude, “Girls Your Age” fica marcada na mente com facilidade, e mostra que às vezes tudo o que basta é uma boa melodia pra impressionar.

.

Charli XCX anunciou que seu segundo CD será lançado no primeiro semestre de 2014. Isso mesmo, apenas alguns meses depois de lançar o delicioso álbum True Romance, que rendeu clipes para “Nuclear Seasons”, “You’re The One”, “What I Like”, “Take My Hand” e “You (Ha Ha Ha)”. A boa notícia veio acompanhada da divulgação do single “SuperLove”, que indica um novo trabalho bem animado e menos sombrio. O videoclipe da nova música foi dirigido por Ryan Andrews, que mostra a cantora se divertindo ao dançar, cantar, passear com amigos e interagir com robôs e outras figuras de Tóquio. O visual colorido da cidade combina com o tom da faixa, que é um eletro-pop acelerado que vicia e deixa qualquer um otimista com os próximos lançamentos da londrina.

.

Quem acompanha o trabalho da Marina & The Diamonds já se acostumou com a divulgação dos clipes de Electra Heart, segundo álbum da cantora. Cada vídeo é uma parte de um todo que reflete a mensagem que a artista decidiu passar no CD, que possui faixas ainda mais pop e dançantes que o debut, sem que a profundidade das letras e a sonoridade característica da cantora se perdessem. Para continuar criticando o american way of life, Marina Diamondis (que recentemente lançou também a deliciosa “Just Desserts”, colaboração com Charli XCX) representou diversas facetas da sua personalidade por meio da personagem Electra Heart, cuja trajetória foi narrada em “Primadonna”, “Homewrecker”, “How To Be A Heartbreaker”, “Power & Control” e outras canções. Agora, é a vez do 10º vídeo oficial, que já sinaliza o fim da era Electra Heart, visto que a cantora já prepara o misterioso projeto 11 Diamonds, que deve conter músicas inéditas. Enquanto isso, é possível curtir o clipe de “Lies”, que exibe o tom mais melancólico da canção. No videoclipe, Marina aparece expressando sua tristeza com um visual mais sóbrio.

.

Charli XCX é uma daquelas adoráveis popstars que foge as regras, mas que ainda assim ganhou uma certa atenção nos últimos meses tanto pela crítica quanto pelo público, seja por “I Love It”, a colaboração com o Icona Pop, ou com o seu próprio trabalho, que rendeu um primeiro disco esse ano. Para continuar a divulgação do True Romance, mais uma música do registro, “Take My Hand”, acaba de ganhar um vídeo. Produzido pela Urban Outfitters TV e dirigido por Ryan Andrews, o video combina cenas com um quê de psicodelia, com direito a fumaças e luzes vibrantes, com a vibe alto-astral da canção, com cenas da cantora caminhando por corredores e se divertindo em uma festa com muitas pessoas dançando ao som da música. Aparentemente, temos apenas um single promocional em mãos, mas a produção é legal o suficiente para garantir mais um sólido acerto ao repertório da britânica.

ASTR – Operate

Helena Bokos —  20/05/2013 — 2 Comments

artworks-000046233988-owfm8o-original

O duo ASTR, de Nova York, já tinha liberado anteriormente os singles “Goodnight” e “Razor”, mas é agora, com “Operate”, que temos até então a maior obra-prima da dupla. Saídos do Brooklyn, o duo demonstra bastante as influências do bairro em suas músicas, que, dentro de um contexto indie-pop, revelam todo o gingado que, como nenhum outro gênero, o R&B e o hip hop possuem. A brincadeira soa como um Purity Ring cantado pela Charli XCX, e traz um instrumental extremamente sutil e detalhado, como um resgate à música black-eletrônica dos anos 80 mas que flerta diretamente com as batidas modernas do chill e do trap. Apesar de sensuais, suas músicas são feitas pra dançar, para se deixar levar naquela mágica conexão som-corpo, e é basicamente assim que “Operate” te conquista.

Dotada de um refrão R&B, de melodia suave, grudenta e pronta pra satisfazer todas as exigências de um futuro hit pop, o curto refrão logo dá espaço à atmosfera altamente sedutora dos versos, o maior atrativo da música. Os vocais metalizados demonstram sua imponência sob a produção minimalista e trazem toda a dramaticidade necessária que a produção sensual pode pedir, acompanhando perfeitamente a linha de baixo com groove descarado que torna tudo ainda mais sexy e acessível. Mas enquanto a canção poderia ficar apenas no dreamy, a adição de incríveis batidas temperamentais que levam o trap ao pop deixam tudo mais dançante e fazem todo o diferencial por aqui, culminando em uma perfeita mistura de hip-hop, R&B e synth-pop em que o ritmo é tudo.

ASTR – Operate

cc50b5a5925d190cc17755fc2ecd8a88

Estourou de vez. Preparem os ouvidos (ou os olhos) para ver como a mocinha Brooke Candy vai ser comparada (estupidamente?) com a Lady Gaga. Excentrismos à parte, Brooke é a definição perfeita para a palavra atitude. A nova queridinha do mundo da música, da moda e dos hipsters vem de Los Angeles, diretamente da cena stripper da cidade. A começar por aí, o rostinho nos é familiar. Trabalhou com Grimes no clipe de “Genesis”, trabalhou com Charli XCX e alguns outros nomes mais undergrounds. A música está em algum lugar entre o pop e o hip hop, e a boquinha suja da Brooke entoa frases de tanto impacto que os haters do mundo vão surtar.

“Pussy Make The Rules” é a vitrine ideal pra promover ao extremo o novo single da cantora. A música faz alusão DIRETA à Lady Gaga, Britney Spears e Christina Aguilera, e ainda enfatiza, além do título da música, o quanto as mulheres são poderosas. O clipe é obsceno, é genial. Uma crítica social mesclada com um nítido “foda-se” para todos os tabus que a sociedade ainda insiste em levar adiante. Brooke é lésbica, mas esse é o menor dos detalhes de toda a aura polêmica que projeta sobre si. Ainda estou receoso em colocar a artista do lado de nomes como Azealia Banks, Iggy Azalea e Angel Haze porque aqui o buraco é mais embaixo. “Quem dita as regras”?

Brooke Candy – Pussy Make The Rules (Feat. Lakewet)

SD_Daylight

O trio de electropop Little Daylight, de Nova York, começou cativando o mundo dos blogs com seus remixes cheios de personalidade, que abrangem de Passion Pit a Edward Sharpe & The Magnetic Zeroes, de The Temper Trap a Niki and The Dove, e todos com uma autenticidade e ousadia admiráveis. Há dois meses lançaram seu primeiro single, “Overdose”, e provaram que seu talento vai além do mundo dos remixes, fincando a estaca na posição de queridinhos pelos blogs. O sucesso, entretanto, vai além dessa esfera e, nesse mês de maio, o trio entrará em turnê com ninguém menos que a Charli XCX.

“Name In Lights”, o segundo single do trio promissor, corresponde às expectativas bem no jeito do Little Daylight: mudando de estilo em relação ao primeiro single imponente. Esse novo parece ter caído dos céus, num synth-pop tão angelical que está mais para um “synth-heaven”. Com um jogo delicado e muito natural de texturas downtempo que competem na suavidade, o ambiente é refrescante e relaxante, como os harmoniosos do Au Revoir Simone. Entretanto, ainda há espaço para uma percussão e uma linha de baixo bem animadinhas, que quebram um pouco do ar cândido da música e revelam uma maturidade meio escondida, mas, com certeza, presente – como se fosse uma mocinha que mantém a meiguice de sua infância, mas já tem toda a avidez de uma mulher. E essa mesma impressão aparece também na técnica: o ambiente etéreo domina a cena, mas a produção é de uma qualidade impressionável, que merece destaque. O final é outro detalhe que traz magia de seu esconderijo: parece comum, mas termina como deveria, nos tranquilizando depois de ter nos levado a essa viagem celestial. Então feche os olhos e deixe-se levar por ela!

Little Daylight – Name In Lights

O primeiro álbum do Little Daylight já está sendo planejado e incluirá os dois singles, além de vários remixes de “Overdose”, como os de Tippy Toes, Ghost Loft e Twice As Nice.