Archives For clipe

A trupe do Mad Decent sabe dar uma boa festa. Misturando um poquinho dalí com um poquinho de cá, nomes de peso como Diplo, Major Lazer e M.I.A fazem uma verdadeira feijoada cultural em suas músicas, que espalham as novidades do (e no) mundo inteiro, por meio de shows, DJ sets e remixes. Das favelas brasileiras, às pistas da Jamaica e aos clubes da Europa, os caras são bons no que fazem, e consequentemente, para entrar nesse grupo não é qualquer um. Chega Maluca.

Maluca é daquele tipo que não gosta de dar muita explicação. Nascida no Bronx e crescida em Manhattan por pais dominicanos, a mistura da cantora já começa por aí, e ao ouvir seus singles, suas influências ficam ainda mais óbvias. Após se encontrar com Diplo num bar de karaoke, os dois começaram a trabalhar juntos, e daí surgiu o primeiro single da cantora, “El Tigeraso”, um electro-merengue quentíssimo que prova que ela não está aqui pra brincar. A canção e seu respectivo vídeo é tão repleto de atitude, que fica difícil dizer que Maluca é apenas uma novata.

Maluca – El Tigeraso

Agora a verdadeira razão do post veio agora, depois de um ano do lançamento de “El Tigeraso”, Maluca lança sua primeira mixtape, a China Food Mixtape, com o single “Hector” como carro-chefe. Soando como uma M.I.A. psicodélica, a música é completamente diferente do seu outro single, com batidas electro vibrantes e viajantes que vão te fazer querer dançar até a morte na pista, com a cantora esbanjando a mesma dose de atitude, dizendo que “não liga a mínima pra sua mãe nem sua irmã” e que “elas podem ir pro inferno”. A cereja do bolo, entretanto, é seu clipe. Com recortes do anime Sailor Moon piscando sem parar, o vídeo acompanha com maestria a vibração da música, e adianto que não é recomendado para os que sofrem de epilepsia ou são fracos de coração.

Maluca – Hector

Baixem o EP China Food Mixtape e aguardem por mais novidades dessa cantora, que está abrindo toda a turnê norte-americana da Robyn, e deve agitar a cena musical em 2011!

.

E o cara fez de novo. Depois do brilhante porém curto clipe de “Power”, Kanye West nos traz um video-clipe de nada mais, nada menos que 35 minutos. É bem provável que você já tenha visto links e mais links para ver o vídeo, mas eu sei que a duração do vídeo assusta, e sei também que tem muita gente que ainda não teve paciência de ver ainda. Então cabe a mim te recomendar mais uma vez: pare o que estiver fazendo e assista agora a esse vídeo. Todos nós já ouvimos “Runaway”, o novo single do cara, e sabemos também que o My Dark Twisted Fantasy chega agora em Novembro, mas o que o cara fez aqui vai te deixar surpreso. Cheio de efeitos especiais (alguns fantásticos, outros nem tanto), uma fotografia belíssima e uma direção de arte de dar inveja, o vídeo por si só é um espetáculo a parte, mas o que me comprou aqui foi, mais uma vez, a música.

Selita Banks em Runaway

Selita Ebanks em Runaway

Basicamente, Kanye fez um “minimix” do seu novo álbum aqui, com bons minutos de cada canção (e 7 belos minutos dedicados à “Runaway” especificamente), que juntos além de dar o tom ao curta, contam a história de um “amor impossível”. O lance é que nenhuma das nove faixas mostradas aqui são chatas, pelo contrário, algumas são uma das melhores que já ouvi esse ano, e até mesmo algumas músicas do G.O.O.D. Fridays como “Devil In A New Dress” soam melhores aqui, seja pelo contexto ou pela produção melhorada. Espere só até você ouvir “All of the Lights”, com a Rihanna, acompanhado por uma sequência de fogos de artifício sob uma parada carnavalesca, ou até mesmo o emocionante finale com “Lost In The World”, com o Bon Iver, que você vai entender o que estou falando.

A coisa aqui é grandiosa, e só te deixa na vontade de ouvir o álbum completo. Uma bela jogada de marketing ou um extravase do ego de Kanye, que é o próprio diretor aqui, seja o que for, o cara elevou o jogo mais uma vez, e na história moderna dos video-clipes, eu pelo menos nunca vi um projeto tão ambicioso e milimetricamente produzido. Assistam sem pausar o vídeo acima, e fiquem com a emocionante “Lost In The World”, uma nova versão de “Woods”, do Bon Iver.

♫ Lost In The World (Feat. Bon Iver)

Quem é Twin Shadow? Bem, enquanto o look do cara parece ter saídos dos melhores filmes de Bollywood, o cara vem direto dos anos 80. George Lewis Jr, o nome por trás do projeto, deve ter tomado muitas anotações dos clássicos do new-wave, pois a maioria de suas canções aqui poderiam muito bem ser o tema do baile de formatura dos seus pais se eles tivessem nascido nos Estados Unidos. Fato é, se você gostou do Diamond Rings que vinhamos postando aqui esse tempo todo, não pense duas vezes em conhecer o cara, que soa como uma versão mais adulta e menos imediata do outro projeto.

Menos imediata é a palavra certa aqui, pois embora as canções no fundo tenham como base a repetição e sejam bem pop, eu só fui parar pra gostar do Twin Shadow depois que fui ouvir (sem querer) pela quinta ou sexta vez. Mas daí, sinceramente, não consegui parar. Tudo começou com “Slow” e suas batidas pulsantes direto do new-wave, com uma baixo que bota moral desde o primeiro segundo. “Eu não quero acreditar / Nem Estar / Apaixonado”, canta o cara, numa canção que poderia ser trilha de qualquer filmezinho romântico dos anos 80, mas que aqui vai te fazer querer dançar mais estranho que o Napoleon Dynamite. A segunda faixa que me pegou foi “I Can’t Wait”, que já começa com o cara reclamando, “Mal posso esperar pelo verão”, ele canta, dessa vez mais meloso, mas sob uma floresta de sons luxuosos, guitarras em loop e delicados sintetizadores que soam como fadas.

Bollywood + Anos 80 = Genial

Bollywood + Anos 80 = Genial

A produção do disco, por sinal, fica a cargo do Chris Taylor, do Grizzly Bear, que inclusive vai lançar o disco do cara, pelo selo Terrible Records. Por coincidência, o Twin Shadow está ganhando um hype tremendo essa semana, depois do meu site favorito  e mais engraçado Hipster Runnof ter declarado como a “única banda nova do ano digna do hype”, e logo após o Pitchfork estampar seu selo de “Melhor álbum novo”, junto com uma bela nota 8.4. Hypes a parte, o CD está fortíssimo, e merece ser ouvido faixa por faixa. Pra completar, fiquem com o vídeo de “Slow” logo abaixo, que remete a uma polêmica propaganda da Calvin Klein dos anos 90, que retratava um casting de filme pornô. Mas calma, não é nada explícito, então pode assistir sem medo de ver o bigodão do cara. Sem mais, baixe o recém lançado Forget, aqui na nossa barra lateral.

♫ Twin Shadow – Slow

♫ Twin Shadow – I Can’t Wait

Veja o vídeo NSFW de Slow, clicando aqui!

Dancing Pigeons pode ser um nome muito bonito para uma banda, mas embora na maioria eletrônica,  sua música é bem agressiva para soar bonita também. Franceses, estão saindo agora na mídia, graças a um vídeo bem dirigido para o primeiro single, Ritalin, que vem acompanhado de sintetizadores misteriosos e batidas confusas, aqui no bom sentido, criando uma atmosfera que só resultaria num clipe tão doido quanto este. Não é a toa que os caras abriram para o Ladytron e o Digitalism. No vídeo, que chega a lembra o We Are Water do HEALTH, temos lança-chamas, extintores, um clima slasher-movie e dois caipiras bem bizarros se degladiando num clipe tão violento quanto belo, filmado sem nenhum efeito especial. O vídeo foi patrocinado pela Diesel, e fará parte de uma série de comerciais da marca, que está abordando o tema fogo contra água.

♫ Dancing Pigeons – Ritalin

Merriweather Post Pavillion foi uma das paixões, não somente minha, mas de muitas pessoas no ano passado. Embora a banda tenha lançado apenas 3 vídeos para o álbum, deixando outras de fora, sinto que a mais injustiçada foi Lion In A Coma. Mas como dizem, se não gostou, faça você mesmo, um estudante de Design de Ilustração e Animação americano, Ori Toor, mandou para vários blogs o seu projeto final do curso: um vídeo para a música, todo em animação e fazendo jus à psicodelia e loucura da mesma. Vale a pena ver.

Créditos PMA

Brandon Flowers – Crossfire

Seguindo agora com um projeto solo, Brandon Flowers do The Killers lança Crossfire, primeiro single, que já resenhei aqui. O clipe, um mini-action-movie com direito a ninjas e Brandon sendo resgatado três vezes pela belíssima Charlize Theron, não mudou muito minha opinião, mas consegue, na verdade, tirar o clima pretencioso da música.

.

Big Boi – Shutterbugg

O vídeo de Shutterbugg já saiu a um tempinho, mas se você ouviu a música aqui no blog e curtiu, vale a pena dar uma olhada no vídeo, que segue o estilo da música com rigor, com um clipe bem colorido, dançante e alto-astral. Bizarrices de Big Boi a parte, esse é um clipe para gravar e tocar muito em festas.

.

Sky Ferreira – One

Sky Ferreira tem apenas 17 anos mas está fazendo muito barulho na blogosfera. Já cobrimos seu primeiro single, One, aqui, e agora, com o vídeo da música lançado, a menina se prepara para o lançamento de seu primeiro CD. O clipe é bem artístico, e combina com cada arranjo da música, resultando num modernoso vídeo pop.

.

Maroon 5 – Misery

A nova música do Maroon 5, infelizmente não-tão-bem-recepcionada por mim, mas bem recebida pela maioria dos fãs,  recebe um clipe, para ver se deslancha de vez. Embora seja legalzinho, o vídeo não ajuda a música para mim, que mesmo ouvindo algumas vezes como comentaram, ainda não consegui gostar. Caso perdido, mas que venha o CD completo.

http://www.youtube.com/watch?v=pxFFJu7RVuk&feature=player_embedded

Gorillaz – On A Melancholy Hill

A melhor música do melhor CD do Gorillaz ganha o melhor vídeo da banda. Precisa de mais algum motivo para assistir? A animação desse novo clipe está fenomenal, com uma mistura de 2D com 3D, e nos conta mais uma aventura da banda pela praia de plástico.

.

Marina & The Diamonds – Oh No!

Marina decide lançar a música mais pop de seu CD, que é um dos mais divertidos do ano. Embora contenha muitas músicas recicladas e antigas para quem já conhecia a cantora, Oh No! foi feita esse ano e foi uma surpresa agradável para a maioria dos fãs. O vídeo ganha um quê de pop art e tem até Marina se arriscando em passinhos de dança.

.

N.E.R.D. – Hot’n’Fun (Feat. Nelly Furtado)

O Pharrell é um dos meus produtores favoritos, e já trabalhou com uma gama de artistas, incluindo Madonna e Britney Spears. Aqui, com sua banda N.E.R.D e a ajuda de Nelly Furtado, o cara embarca em uma viagem com umas meninas calientes pseudo-hippies, que fazem jus ao título da música.