Archives For hq

O Swedish House Mafia é um grupo suiço composto de três DJs: Steve Angello, Axwell e Sebastian Ingrosso. Os caras estão de pouco em pouco dominando o mundo com seu house bombástico, e com hits como “One (Your Name)”, e o mais conhecido “Miami 2 Ibiza”, todos estavam esperando ansiosamente para o próximo passo do trio. Mais recentemente, Steve Angello estreiou essa novíssima faixa em seu set na Austrália, e desde então, vídeos e mais vídeos brotaram do que seria o mais novo sucesso do grupo. Mas não precisamos esperar mais. “Save The World”, o single em questão, acaba de cair na rede, e enquanto muitos andam falando que ele tem os vocais do Miike Snow, quem canta aqui é John Martin, que também faz um trabalho maravilhoso. A música é tão grandiosa quanto o house pode ser hoje em dia, e ao contrário dos outros singles, essa aqui tem um clima mais europeu, com um refrão simples mas viciante, que chega lembrar o Coldplay, mas é claro, se esse fosse produzido por três dos melhores DJs de electro da atualidade.

Enquanto a internet inteira está distribuindo uma versão em baixa qualidade da faixa, agarre a música em alta qualidade logo abaixo, e faça rápido, pois pelo visto os caras não estão gostando muito dos links que andam vendo por aí.

Swedish House Mafia – Save The World (Feat. John Martin)

Depois de dois discos amados pela imprensa e pelo público alternativo, o Kings of Leon caiu de repente na graça do povo com o terceiro, virando headliners dos mais famosos festivais de rock e vendo o topo dos charts mundo afora, da Jovem Pan à Billboard e ao iTunes. O segredo do sucesso? Bem, os caras que já faziam um indie-rock de qualidade resolveram abdicar do termo “indie”, dando uma polida a mais em suas faixas, trasformando músicas como Sex On Fire e Use Somebody em verdadeiros hinos à-la U2. Primeiro disco pós fama repentina, e a pressão não poderia ser menor. É com esse fardo que chega Radioactive, primeiro single do álbum Come Around Sundown, que continua com o polimento do último disco e o coração dos dois primeiros. A música é típica Kings Of Leon, com um baixo pegajoso, guitarras poderosas e um refrão pra todos cantarem juntos. Com um ritmo mais lento que Sex On Fire e mais agitado que Use Somebody, a banda ainda aposta em elementos inéditos como um coro de crianças gospel no final, que adiciona o ar de grandiosidade que eles tanto buscam agora. Se você gostava antes, não tem porquê deixar de gostar agora. Para nós brasileiros, só nos resta esperar o show no SWU, e é claro, o lançamento do novo disco dia 19 de Outubro. Ouça a música logo abaixo e veja o clipe clicando aqui.

♫ Kings Of Leon – Radioactive

Brandon Flowers – Only The Young

Parece que o Flamingo está realmente vazando. Postei hoje mais cedo a ótima Was It Something I Said, e agora acaba de sair Only The Young, versão estúdio do remix que postei aqui. Posso falar que errei feio. A canção que conta com produção de Stuart Price não soa como nada que o cara fez antes, e tem uma produção totalmente diferente do remix, mais calma, exótica, com batidas mais primitivas e cantos em coros, lembrando as produções mais puras do world music do Day & Age. A música é aquela velha conhecida dos fãs, que fazia parte do countdown do site do The Killers, que iria anunciar o projeto solo de Flowers. Flamingo, que sai dia 07 do próximo mês, deve estar prestes a cair na rede, então fiquem de olho.

♫ Brandon Flowers – Only The Young

.

Brandon Flowers – Was It Something I Said?

O lançamento do Flamingo está sendo uma coisa estranha. Tudo bem que o disco ainda nem saiu, mas primeiro, quando anunciado os produtores (principalmente Stuart Price), pensamos que o novo disco seguiria o estilo do Day & Age. Mas quanto mais ouço as músicas novas, mais penso que o Brandon Flowers realmente quer criar algo diferente. Was It Something I Said?, a nova, e melhor faixa a sair do disco, é a mais agitada até então, e chega a lembrar os bons momentos do Hot Fuss, como a letra em formato de história, e com mais produção poderia muito bem soar como um single do The Killers. Mas aí que tá. O cara propositalmente não quer fazer isso. Com um tom americana, deixando de lado o baixo poderoso dos Killers e dando uma sonoridade mais crua (e meio country), tanto essa quanto Swalow It (e provavelmente o resto do disco), com certeza não soarão como uma cópia da banda de origem. Pior ou melhor (pelo menos que o Day & Age), agora prefiro aguardar o álbum completo para opinar.

♫ Brandon Flowers – Was It Something I Said?

apresentei no começo da semana essa incrível banda, mas para não tirar o brilho do primeiro single e seu vídeo, aqui está o post mais completo do duo. Como prometi, a música que me fez gostar da banda, Tom Tom, continua sendo minha favorita. Mesmo com um clipe não tão legal, o techno-minimalista só serve de base para a suave voz de Eleanore atacar nos vocais melosos shoegaze, e fazer uma canção que soa como uma viagem ao paraíso, em menos de quatro minutos.

Outro destaque, Into It poderia servir de trilha sonora para uma viagem de barco à uma ilha paradisíaca, e com batidas tropicais e sintetizadores no ponto, a música retrata bem o clima da banda, de te transportar para bem longe da realiadade, como uma viagem aos sonhos, mas os  bons sonhos, aqueles que você não que esquecer. Para completar, assista aqui um show da banda com alguns dos destaques ao vivo, como Tom Tom e Pigeons, além de outras músicas novas. As duas músicas acima fazem parte do EP This Desert, que você pode baixar aqui, logo após o jump. O álbum completo, que não inclui nenhuma das duas, se chamará The Hundred In The Hands e sai dia 21 de setembro.

♫ The Hundred In The Hands – Tom Tom

♫ The Hundred In The Hands -Into It

Baixe aqui o EP completo!!

Estou devendo uma apresentação formal à incrível The Hundred In The Hands a algumas semanas já. Com um EP bem legal em mãos, chamado This Desert EP, a banda se prepara para o lançamento do álbum The Hundred In The Hands no final de setembro. Depois dos Sleigh Bells, a banda é o mais novo duo boy-girl do momento, e apostam em melodias irresistíveis,  criadas com a perfeita combinação de vocais shoegaze, post-punk e sintetizadores tão amados de hoje.

E para apresentar o disco, qual escolha melhor do que uma música que fala sobre baladas e diversão? Um prazer de se ouvir, Pigeons é uma canção pop-rock que tem tudo para trazer muitos fãs para a banda: é acessível e imediata, tem um refrão matador, letras que vão encantar a garotada baladeira e um clipe que, para mim, é o que melhor representa a sensação de estar bêbado. No vídeo, tudo começa em uma festa, mas de repente, as coisas começam a ficar bem estranhas, culminando em cenas como a acima, em que a protagonista desafia a lei da gravidade. Não vou estragar a surpresa, clique no play abaixo e deixe se encantar pela banda. Esse não vai ser o primeiro post do The Hundred In The Hands da semana, aguardem pela minha favorita, o EP completo  e um show animal do duo, tudo mais tarde na semana.

♫ The Hundred In The Hands – Pigeons

http://www.youtube.com/watch?v=zAfEvvnzlwQ&feature=player_embedded

Sumida e com um novo álbum sendo preparado, vazou ontem na internet 3 demos bem antigas da sra. Spears, e dentre elas Mad Love. A mais interessante das três, a música não parece com muita coisa que Britney já gravou, exceto pela voz extremamente sexy e o ritmo sensual, à-la Gimme More. Mas ao invés de apostar no eletrônico, temos uma batida relaxante com um sample de um saxofone, que parece ter sido tirado daqueles clássicos filmes noir, tudo cantado sem nenhum autotune ou alterações na voz da cantora. O refrão é legal, e a música, se finalizada, não receberia nenhuma reclamação minha se aparecesse em seu novo álbum.

Britney Spears – Mad Love

Postei aqui semana passada a nova música da La Roux, Under My Thumb, o cover do The Rolling Stones, e hoje me vem a surpresa. Achei até curta demais, com menos de dois minutos, até que hoje a música saiu oficialmente no iTunes, e embora não tenha nenhuma variação muito grande, ela se extende por 3:30 minutos. Embora a qualidade esteja bem melhor agora, continuo com a mesma opinião que postei aqui, e ainda prefiro a segunda música que saiu da La Roux, com o DJ Skream, Finally, que você pode conferir no post também.

La Roux – Under My Thumb (The Rolling Stones Cover)