Arquivos para hurts

.

A banda Esperanza pode parecer um nome novo no cenário pop rock, porém, trata-se de uma reformulação de um grupo que já existia e havia lançado um álbum autointitulado Sabonetes, em 2010. Formada por Artur Roman, Wonder Bettin, João Davi e Alexandre Guedes, a banda curitibana possui um repertório de clipes como “Descontrolada”, “Quando Ela Tira O Vestido”, “Marcapágina” e “Hotel”. Ao criar o álbum Esperanza, lançado em julho, a banda sentiu a necessidade de reformular o nome, de modo a acompanhar a evolução sonora do novo trabalho, gravado de forma independente. As novas canções são cheias de nuances, com uma sonoridade que pode agradar aos fãs de artistas como Pública, Vivendo Do Ócio, Smallpools, Hurts e até SILVA, devido à pegada delicada e à energia que gruda na cabeça. “Sem Porquê” é o primeiro clipe da banda Esperanza, que investiu em animações e conta com uma produção caprichada para ilustrar o tom épico da canção. Assim, podemos conferir os integrantes do grupo em uma viagem pelo espaço, que se torna cada vez mais psicodélica na medida em que a música avança, fazendo qualquer fã de ficção científica sorrir com as claras referências a clássicos como “2001 – Uma Odisséia No Espaço” (1968), por exemplo.

shadow-of-the-sun

A música pop e eletrônica vem crescendo num ritmo cada vez mais forte na Suécia, e o Taped Rai, assim como seus outros conterrâneos, não deixa a desejar na qualidade do seu trabalho. Em meados de 2012, os produtores Tom Liljegren e Alexander Ryberg se uniram para formar o duo, e logo de cara já chamaram a atenção do gigante David Guetta, assim entrando no relançamento de seu último disco, Nothing But The Beat, com o single “Just One Last Time”. Com todo o hype vindo da participação com Guetta, Tom e Alexander já começaram a produzir material para seu primeiro disco, o que culminou na primeiríssima faixa original dos suecos, a deliciosa “Shadow of The Sun”.

Mas se você acha que a canção é um batidão pronto para invadir os maiores festivais de música eletrônica, bem, você não está completamente correto. A canção é uma produção softdance super delicada, em que os vocais se unem à uma melodia tranquila e ao mesmo tempo envolvente que cresce no decorrer da faixa. Seguindo um estilo semelhante ao HURTS no início, a faixa começa de uma forma quase acústica e com bastante sutileza, passando longe das estruturas convencionais do pop, só para se revelar, durante os minutos finais, um eletrônico progressivo que não fica longe dos trabalhos de outros suecos como Avicii e Nervo. Dado a mistura inusitada, que brinca com o experimental e o radiofônico na mesma proporção, em nada me surpreenderia se o novo duo se transformasse em uma das descobertas eletrônicas mais originais de 2013, comprovando, mais uma vez, a genialidade dos suecos.

Taped Rai – Shadow of The Sun

.

Atire a primeira pedra quem nunca ficou cego de amor por alguém. Pois a banda Hurts levou isso ao pé da letra e criou a música “Blind”, o novo single do álbum Exile, lançado no último mês de março. O clipe de “Blind” tem todos os ingredientes para que a banda chame ainda mais atenção para o álbum, que possui as músicas mais acessíveis do grupo até agora. A produção do clipe é bem caprichada e o conceito apresenta ótimas sacadas visuais, como o uso de flechas do cupido como se fossem agulhas de heroína. O vídeo mostra uma história de amor sensual, destrutiva e violenta envolvendo o vocalista da banda, Theo Hutchcraft, e uma modelo. As atitudes do casal são típicas de dependentes químicos, só que o motivo do vício é o amor. Ironicamente, Hutchcraft quase ficou cego ao gravar o clipe. Em uma entrevista para o Daily Record, o cantor afirmou que teve o rosto perfurado quando caiu de uma escada. O corte ficou a poucos centímetros do olho direito e o machucado pode ser visto na versão final do clipe, cuja intensidade está em sintonia com o som produzido pelo Hurts.

hurts exile

Depois de um longo tempo fora dos holofotes, Hurts, que produziu um dos discos mais incríveis de 2010 se prepara para o lançamento de seu novo álbum, Exile, que será lançado em 2013. Não há muita informação acerca do novo trabalho, mas com “The Road”, a nova música disponibilizada por eles para quem fizesse a pré-venda do álbum, eles mostram manter sua essência e ainda assim explorar novos caminhos, mesmo que sutilmente.

“The Road” começa de um jeito suave e com os vocais quase sussurados de Theo Hutchcraft, parecendo um cover de The XX que no refrão se transforma em algo grandioso, repleto de batidas fortes e viciantes. A música mantém o estilo das anteriores da banda, fazendo parecer que se encaixaria perfeitamente em seu álbum antigo, se não fosse por um surpreendente drop de dubstep que domina seu final e transforma tudo em algo mais feroz, ainda que acabe nos deixando com um gostinho de “quero mais”. O vídeo disponibilizado para a música mostra algo que parece ser uma pequena retrospectiva da vida do duo, e serve também como um trailer para o novo álbum.

Hurts – The Road

O álbum Exile tem lançamento previsto para 11 de março de 2013.

Katy Perry – Electric Feel (MGMT Cover) (Blood Bats Bootleg)

Esse cover da Katy Perry já saiu tem um tempinho, mas o Blood Bats fez uma coisa diferente aqui: pegou a voz de Katy, colocou sobre o ritmo da versão original e ainda mudou alguns detalhes mínimos na música. Os arranjos da versão acústica da cantora se misturam perfeitamente com as batidas da original, transformando o cover em praticamente um novo take do hit do MGMT. Coloque a faixa como “bonus track” do Teenage Dream e tenha a melhor música da Katy Perry.

♫ Katy Perry – Electric Feel (MGMT Cover) (Blood Bats Bootleg)

.

Clare Burson – We Used to Wait (Arcade Fire Cover)

Já postamos um cover do The Drums para uma das melhores músicas do The Suburbs, mas cá entre nós, ficou tudo bem previsívil. Não que este cover aqui da Clare Burson seja melhor que o original (nenhum jamais será), mas que ele é mais ousado isso não podemos negar. O cover arrisca numa versão mais country da música, e tem a até então desconhecida cantora usando sua bela voz para fazer as mesmas harmonias vocais que Win e sua trupe. Vale a pena ouvir.

♫ Clare Burson – We Used to Wait (Arcade Fire Cover)

.

Little Girls – 10 Mile Stereo (Beach House Cover)

A banda de post-rock Little Girls fez o esperado aqui, um versão post-rock de uma das mais belas músicas do Teen Dream, vale ressaltar, um dos meus discos favoritos do ano. Se não conhece a banda, imagine toda a bagunça do No Age, mas com uma veia mais melódica. De qualquer forma, o cover obviamente chega como uma das mais pops do grupo, mas que não deixa de adicionar algumas cicatrizes à doce música do Beach House.

♫ Little Girls – 10 Mile Stereo (Beach House Cover)

.

Chiddy Bang – Don’t Worry Be Happy (Bobby McFerrin Cover)

Não sei se é só eu, mas a lembrança que tenho desta música é daqueles peixes americanos de brinquedo que se desdobram e começam a assoviar a música. Se você conseguiu identificar a canção que estou falando agora, vai ficar surpreso com o que Chiddy fez aqui. Na verdade, nada surpreendente. Samples de música famosa mais os raps de Chiddy, até aí ok, mas o fato mais curioso foi saber que a música foi inteiramente feita ao vivo, após alguns leitores terem dado alguns tópicos pro rapper falar sobre, misturando tudo num freestyle animal. Se quiser, pode conferir o vídeo todo aqui.

♫ Chiddy Bang – Don’t Worry Be Happy (Bobby McFerrin Cover)

.

Kylie Minogue – Wonderful Life (Hurts Cover)

A canção mais bonita de suicído acaba ganhar um cover de Kylie. Após ter uma de suas próprias músicas regravadas pelo Hurts, a cantora resolveu retribuir o gesto gravando o maior hit do duo. O resultado é o esperado, a canção ganha arranjos mais acústicos e fica simplesmente maravilhosa com o vocal da Kylie, e nos deixa na vontade de ouvir uma versão mais completa produzida pela moça.

♫ Kylie – Wonderful Life (Hurts Cover)

.

A seção de covers está de volta, revitalizada e por enquanto sem data especial na semana. Curtam os covers abaixo e se preparem para os próximos que estão por vir.

.

Miike Snow – In For The Kill (La Roux Cover)

Acho que toda semana arranjo um jeito de postar algo novo sobre o Miike Snow. Ou toda semana sai mesmo algo deles que vale a pena ser postado? Se você acha que eu exagero, melhor parar e prestar atenção pelo menos nesse cover, que eu sei que você está curioso pra ouvir. E sim, é tudo aquilo que você espera. A melódica música da La Roux perde aqui os ares de verão e ganha aqui ares de inverno (Snow…), com sintetizadores que dão um novo clima e uma ambientação mais sombria à alegre música, que vão crescendo até explodir no final. Tipicamente Miike Snow, inclusive na qualidade.

♫ Miike Snow – In For The Kill (La Roux Cover)

.

Tricky – Piece Of Me (Britney Spears Cover)

Enquanto meio mundo ainda para pra gravar (e ouvir…) covers da Lady Gaga, que tal revisitar algumas das melhores canções pop dos anos 2000? Britney, é claro, possui uma bela porção delas, e “Piece of Me”, seu hino de libertação, ganha aqui o melhor tratamento possível nas mãos de Tricky, sim aquele astro de hip-hop/trip-hip/rock dos anos 90. Com os vocais sujos e intoxicados de Frank Riley, a versão tem sua velocidade reduzida e ganha belos arranjos de orquestra, com violinos e até mesmo gaitas, se tornando mais um belo e estranho cover em homenagem à cantora pop.

♫ Tricky – Piece Of Me (Britney Spears Cover)

.

Hurts – Confide In Me (Kylie Minogue Cover)

Esse já está circulando a um tempinho na blogosfera, mas não machuca postar né? Piadas a parte, Hurts, que virou minha mais nova obsessão da noite pro dia, depois de fazer uma parceria com a Kylie Minogue na música hedonista mais gospel do ano, resolve aqui fazer um cover da bela “Confide In Me” da moça. A música já era uma das mais darks da princesa-pop-australiana, mas aqui a situação só piora (na verdade, melhora) com os vocais dramáticos de Theo, que  ganham todo o auxílio dos sintetizadores e pianos já clássicos (e pretenciosos) do duo.

♫ Hurts – Confide In Me (Kylie Minogue Cover)

.

Pra falar a verdade eu nunca gostei de nenhum single do HURTS. Wonderful Life, o primeiro deles, lançado no começo do ano, nunca me conquistou, e os outros singles soavam como uma fracassada tentativa de popstars tentando ser rockstars, com canções tão pretenciosas que deixariam o Brandon Flowers com inveja. Com o CD em mãos, o Happiness, mudei um pouco de opinião. A nova versão de Wonderful Life é maravilhosa, e tirando os outros singles, as canções representam o mais fino do pop-melancólico de hoje. Óbvio que a canção que me fez mudar de ideia foi esta aqui, com participação da diva-pop-australiana Kylie Minogue, uma delicada canção sobre as tentações carnais, mas que por ironia ou não soa mais como uma música que você poderia ouvir numa igreja. Baixe a música e o disco completo aqui ao lado.

♫ HURTS – Devotion (Feat. Kylie Minogue)