Arquivos para Jessie Ware

.

Dona de dois clipes sensacionais (se você ainda não vi, já passou da hora de conferir “Undiscovered” e “Cold Front”), Laura Welsh é um nome que tem tudo para fazer tanto sucesso quanto Jessie Ware, Sky Ferreira ou MS MR. Assim como em “Unravel”, Laura Welsh cria uma balada pop sedutora e épica, chamada “Betrayal”. O vídeo do novo single representa a melancolia da inglesa por meio de imagens de estética caseira, aparentemente sem nenhuma conexão entre si.

.

É fácil uma canção sensual como “Touch” cair na armadilha de ter um clipe apelativo, porém, Shura soube expressar a sensualidade de sua música de estreia com muita sutileza. Junto de Ammr Khalifa, a artista dirigiu o videoclipe de seu primeiro trabalho solo. No vídeo, diversos casais aparecem se tocando e trocando beijos. Mais do que as carícias, os olhares e sorrisos antes dos momentos de intimidade com outra pessoa são salientados pela câmera, servindo como ótimo pontapé para a divulgação do trabalho da cantora, que soa como uma mistura de Haim, Jessie Ware, Chela e Laura Welsh.

undiscovered

Quem acompanha o blog sabe da nossa queda pela sucessão de lançamentos sedutores que Laura Welsh vem apresentando. Seguindo os mesmos passos de cantoras como Jessie Ware, Aluna Francis e Solange, a inglesa vem se mostrando adepta de trabalhos caprichados, vide suas parcerias com o produtor Dev Hynes, que se estende após uma sessão de estúdio que resultou em produções ainda mais sensuais.

Marcando território para o lançamento de seu futuro EP, intitulado Cold Hands, Welsh apresenta “Undiscovered”, mais um bom trabalho extraído de seu portfólio. Embalada por uma atmosfera urbana e ao mesmo tempo intimista, um piano rítmico introduz sintetizadores progressivos sobre timbres calorosos, enquanto, sem esforços, Laura entoa seu vocal de maneira impecável. Desta vez, a parceria com Dev Hynes se deu apenas na composição, abrindo espaço para uma produção assinada por Emile Haynie, que apresenta um viés cinematográfico sobre efeitos drum’n’bass abafados e sussurros em segundo plano. No vídeo, o diretor Chris Sweeney apostou em uma estética corporal, que mistura momentos de dança contemporânea a uma iluminação a contraluz e coreografias envolventes, criando um efeito estonteante.

Laura Welsh – Undiscovered

21390_683421525017184_933059470_n

O resultado de seis amigos que se conheceram em uma respeitada escola de música britânica, o sexteto The Hics, assim como sua música, está chegando vagarosamente aos nossos ouvidos, começando com algumas demos lançadas no final do ano passado e culminando na estreia de um primeiro EP, que chega logo mais, no dia 19 de Agosto.

Donos de um pop de extrema elegância, a palavra que melhor define o som do sexteto neo-soul é “sofisticação”. Entrelaçando os vocais de Sam Evans com os de Roxana Davette, “Tangle” é a melhor amostra do potencial da garotada até então, que fazem um som bem mais adulto que sua idade (entre 19 e 22 anos) pode aparentar. Exalando calor de suas batidas sintéticas graças ao auxílio de delicadas guitarras em reverb, sintetizadores sutis e palminhas em slow-motion, a produção soa como um encontro sensual entre a riqueza da Jessie Ware e o experimentalismo do James Blake, culminando em uma faixa que te abraça como a força de um redemoinho e te pede para fechar os olhos e mergulhar por suas camadas de som, te deixando inerte ao longo dos seus quatro minutos.

The Hics – Tangle

.

Como esperado, “Tennis Court” é a música do segundo clipe da Lorde. Contudo, o vídeo surpreende por exibir apenas o close da cantora. Enquadrar o rosto de artistas para garantir mais emoção dos mesmos é um recurso que já foi usado em outros clipes ótimos, como “Cold War” (da Janelle Monáe) e “Wildest Moments” (da Jessie Ware). No caso da segunda música escolhida para divulgar o EP The Love, Lorde apostou em um videoclipe simples, prendendo a atenção do início ao fim devido ao visual gótico e à iluminação que muda de acordo com as batidas da música. Além disso, o vídeo ganha mais vida em função da expressividade da artista neozelandesa, que permanece olhando para a câmera, sorrindo discretamente e cantando somente os “Yeah” da pegajosa canção.

laura-welsh-580x386

Faz pouco tempo que tivemos a oportunidade de apresentar a cantora inglesa Laura Welsh e sua agradável reestreia (que manteve um histórico persistente de tentativas) com a sedutora “Unravel”, faixa que traz uma combinação exuberante de elementos R&B com o pop moderno de cantoras como Lana Del Rey e Jessie Ware. Usando uma receita modesta e uma produção de ganhar corações, Laura simplesmente se aventurou com Dev Hynes em uma sessão de fim de ano para gerar a visibilidade e o resultado que a londrina vinha esperando há anos. Esses discretos passos lhe renderam o recente contrato com a gravadora Polydor, que aparentemente promete investir pesado para elevar o patamar de cantora independente até o alter de “diva”.

A novidade da vez é a deliciosa “Cold Front”, faixa que ostenta ainda mais essa essência orgânica que vem sendo bem recebida nas paradas inglesas. Usando também a sedução como primeiro plano, a balada desponta um instrumental despojado sobre os vocais intimistas de Welsh que aos poucos recebem elementos extremamente minimalistas simulando diversos instrumentos clássicos. A sonoridade é rica em detalhes e traz uma percussão maravilhosa envolta por acordes e tambores junto aos conhecidos loops oitentistas. Quem assina a obra é o produtor (e também musico) Robin Hannibal um dos caras por trás do romântico e atraente duo Rhye o que nos leva a entender o fascinante efeito final de “Cold Front”. Ainda não sabemos quais serão os próximos passos de Laura Welsh, mas esperamos ansiosamente as breves novidades.

Laura Welsh – Cold Front

O single de “Cold Front” está programado para chegar oficialmente no dia 15 de julho.

.

Katy B divulgou o lyric video oficial de “Aaliyah”, música que tem a participação de Geeneus e Jessie Ware. O clipe serve para promover o EP Danger, que pode ser baixado gratuitamente pelo site da britânica. A prática de criar clipes baseados na junção de imagens de filmes, séries e outras manifestações audiovisuais não é novidade e nem sempre dá certo. Não é o caso do vídeo de “Aaliyah”, canção que proporciona uma vontade quase incontrolável de dançar só pelo ritmo contagiante. Ao utilizar cenas do filme “As Noites de Cabíria” (1957), o clipe tem a capacidade de deixar qualquer pessoa com um sorriso no rosto, pois as imagens retiradas do longa, dirigido por Frederico Fellini, mostram uma mulher que chama a atenção por conta dos movimentos de dança bastante engraçados. Logo, trata-se de uma combinação perfeita entre uma letra atual e uma compilação de cenas antigas, transformando a música em algo ainda mais interessante.

Página 1 de 212