Archives For Lana Del Rey

maxresdefault

Você se lembra daquela simplicidade das primeiras canções da Lana Del Rey e da Lorde? Se aquele tipo de som for sua praia, “Girls Your Age” vai se tornar uma das suas novas músicas prediletas. Feita pelo quarteto Transviolet, originário de Los Angeles, a canção é basicamente composta de uma batida minimalista e vocais sintetizados – ferozes, entretanto – lembrando bastante a sofisticação do The xx só que com a atitude de uma Charli XCX. Diante de tanta música por aí que já começa de maneira explosiva, o que não é nenhum demérito, o primeiro single do Transviolet surge com frescor pros ouvidos, justamente por levar o tempo necessário para ir crescendo, com calma, até explodir ao final. Com uma letra que detalha a solidão e a ingenuidade da juventude, “Girls Your Age” fica marcada na mente com facilidade, e mostra que às vezes tudo o que basta é uma boa melodia pra impressionar.

.

Apesar de ter uma letra que aborda as dificuldades de lidar com os sentimentos, “Hustler” não é nem um pouco difícil de ouvir, devido ao som minimalista que ganha proporções épicas e à voz suave de Josef Salvat, que parece uma versão masculina da Lana Del Rey e lembra o tom de James Blake, Gotye e Phoria. O responsável pelo vídeo é Oliver Kember, que conseguiu evitar que imagens díspares como dominós caindo e corpos se tocando virasse uma bagunça. Os efeitos caleidoscópicos e o jogo de sombras propiciam uma harmonia às imagens, que ainda refletem o intimismo da música ao exibirem o cantor sob um chuveiro.

.

Com seus vocais contidos mas ainda assim intensos, sem grandes esforços, Valentina chega dirigida por Ben Reed no vídeo para “Ladders”, seu mais recente single do EP Wolves. Estamos na metade de 2013 e mais do que nunca a estética vintage parece ser uma ótima maneira de atrair novos ouvintes para a sua música, e é exatamente isso o que Valentina apresenta no vídeo do single, filmado de forma amadora e com direito a diversos takes que focam apenas em seu rosto. Não é nada inovador, e temos visto muito disso com a Lana Del Rey, mas a estética continua provando sua eficácia principalmente quando aliada a uma música que segue o estilo. Valentina demonstra que, enquanto alguns gastam milhões com superproduções, outros também conseguem fazer um excelente trabalho com uma verba bem mais modesta.

535508_571348516216223_997274224_n

Saudades de músicas com menos elementos sintéticos e uma produção mais natural? Fique de olho, portanto, no Soldier’s Heart, um quarteto belga que timidamente tem chamado a atenção com seus exuberantes lançamentos independentes. De formação clássica, a banda conta com três rapazes e uma vocalista, que fazem questão de usar poucos elementos eletrônicos resultando em belas produções naturais. Exemplo disso é a atual cartada da banda, a tropicália e sonhadora “African Heart”, primeiro single oficial do grupo.

Começando com uma introdução dream-pop nostálgica e com elementos lo-fi, a canção logo nos mostra no primeiro minuto os vocais de Sylvie Kreusch, que remetem a uma espécie de Lana Del Rey da Bélgica. Carregando um instrumental cru, que conta com um baixo oscilante, sinos e discretas doses de synth-pop, a belíssima produção delineia muito bem a sensibilidade da letra sugerindo um clima mais intimista e harmônico, como uma verdadeira viagem às praias da Califórnia no final dos anos oitenta. O vídeo, que usa filtros vintages para dar ainda mais ênfase à proposta da música, conta com uma dança esquizofrênica e sobreposições de lugares exóticos da África. Sylvie aparece em vários momentos soltando olhares intimidadores entre os diversos recortes, que vão desde tradicionais rituais africanos a um veado andando de bicicleta ergométrica.

African Fire – Soldier’s Heart

Estamos curiosos para os próximos passos da banda, que atualmente se encontra em uma pequena turnê na Europa Ocidental e prepara o lançamento de um EP de inéditas que deve dar as caras em breve.

.

Após Lana Del Rey lançar a incrível “Young and Beautiful” para a soundtrack do filme The Great Gatsby, ela resolveu continuar a promoção com um videoclipe para a faixa. O vídeo segue exatamente aquilo que Lana tem feito de melhor desde que surgiu com “Video Games”: imagens com filtros vintage e um tom amador. Enquanto ela canta – bastante expressiva – para a câmera, temos intercalações com uma orquestra pronta para executar o instrumental da música. É simples, mas é Lana e sabemos como ela consegue, com seu encanto, transformar até as coisas mais simples em produções grandiosas, criando obras-primas com um baixo orçamento. Já pode dizer que ela roubou toda a atenção dessa soundtrack que trouxe ainda Beyoncé, Sia, e Florence + The Machine?

WARDELL

Não é todo dia que falamos de irmãos talentosíssimos no mundo da música cujo pai é o Steven Spielberg, né? Nos referimos ao duo Wardell, formado por Sasha (filha de Spielberg com a atriz Kate Capshaw) e Theo, que foi adotado pelo casal. Há dois anos eles postaram a primeira (e única) música em seu Soundcloud, “Opossum”, mas como ficaram sem dar notícias, muita gente achou que eles tivessem desistido do projeto. Na última sexta-feira, entretanto, eles repostaram a faixa e anunciaram um primeiro EP, Brother/Sister, para o dia 3 de junho. E não se engane, apesar da dupla de Los Angeles só contar com este primeiro single, eles já foram conversa da NME e se apresentaram no requisitado SXSW, despertando ainda mais ouvidos para a novidade.

O falatório incial em torno do Wardell pode até ser justificado pelo pai famoso que possuem, mas suas qualidades vão muito além disso. Neste primeiro single, “Opossum”, logo de imediato somos presenteados com solos de guitarra deliciosos, um teclado imprescindível no background – que logo torna-se mais presente -, e com os incríveis vocais da Sasha, que nos remetem a uma Lana Del Rey cantando uma música do Best Coast. Entretanto, enquanto as canções de Bethany Cosentino e companhia possuem menos de três minutos e uma estrutura óbvia que te fisga logo de primeira, “Opossum” encanta por revelar seus instrumentos e principalmente sua melodia aos poucos, atingindo seu ápice na casa dos 2:30, quando um encontro harmônico de todos os instrumentos da produção unem as forças para apresentar o poderoso refrão, provando que o talento da família Spielberg não foi destinado apenas para o cinema.

Wardell – Opossum

that_which_we_often_fear_by_youareviolentred-d49ybvb

Formada pelo ex-rapper Jordy Towers, a novíssima banda SomeKindaWonderful começa a fazer jus ao nome pretencioso que possui. O quarteto baseado em Los Angeles recentemente criou um evento no Facebook para divulgar o seu primeiro single, “Reverse”, que nos conquistou desde a primeira audição. E não é só no nome, no mínimo curioso, que eles se diferem. Com uma descrição no Soundcloud que vai por “Quem somos nós? É uma busca, não uma pergunta”, pouco se sabe sobre a misteriosa banda.

Nos 3 primeiros segundos de “Reverse”, você pode tomar um grande susto e desconfiar que está ouvindo um cover da clássica “Just Like Honey”, do Jesus and Mary Chain. Mas logo adiante a música mostra a sua verdadeira face, com uma produção que vai de encontro a nomes como Lana Del ReyThe Neighbourhood, graças ao uso excessivo de batidas densas, pianos emotivos, sinos e principalmente pela dramaticidade da composição, muito bem transmitida através dos vocais soul de Jordy, que contam uma trágica história de um término de relacionamento do jeito que o título indica – ao contrário. Como eles mesmos dizem, “algumas histórias são melhores se contadas desta forma”, e é abusando da narrativa curiosa, de um refrão grudento e de uma produção que exala mistério, que a faixa se consolida com sua intensidade e sofisticação como uma grande promessa.

SomeKindaWonderful – Reverse

O vídeo de “Reverse” estava previsto para sair no dia 2 de maio, mas ainda não saiu, enquanto isso, ficamos com o lyric-video.