Archives For MGMT

url

Se você pesquisar, step rockets (ou foguetes de apoio) são aqueles foguetes que ajudam espaçonaves maiores a decolar, e quando o combustível acaba – ao cumprir seu papel – são automaticamente descartados. E bem, Step Rockets é também o nome de uma das nossas novas bandas favoritas, encaixando-se como uma luva na descrição por utilizar diversos gêneros auxiliares, da música eletrônica ao reggae, para dar vida ao seu indie-pop bem resolvido. Se você ainda não tinha ouvido falar da banda, não se preocupe, pois o quarteto de Minnesota está apenas no seu segundo lançamento, “Kisser”, que chega com a promessa de impulsionar os americanos para os ouvidos de quem procura um indie-pop que foge do convencional.

Soando como um encontro dos vocais do Hockey com o synth-pop carismático do Foster The People, a canção começa de forma calma, com uma bateria esparsa, até culminar em um antêmico refrão que poderia muito bem fazer parte do primeiro disco do MGMT. A partir daí a canção te conquista aos poucos, com a adição de uma percussão com referências da world-music e deliciosas linhas de guitarra, culminando em um desfecho espetacular que te fará acreditar estar diante do próximo hit indie prestes a explodir.

Step Rockets – Kisser

.

Com um som que se assemelha ao do MGMT, o grupo de glam rock Smith Westerns pretende lançar um novo álbum no próximo dia 25 de junho. Denominado Soft Will, o 3º trabalho de estúdio da banda incluirá o single “Varsity”, que ganhou um clipe sensual e refrescante dirigido por Alan Del Rio Ortiz. O vídeo intercala closes de imagens como uma fruta sendo espremida sobre uma superfície de vidro, pétalas sendo movimentadas e um casal em momentos de intimidade em diversos locais, desde um elevador antigo até o topo de um prédio. Tudo com um aspecto psicodélico, graças à profusão de cores e ao efeito de câmera lenta usado nas imagens.

FMLYBND-Electricity

Os californianos de Isla Vista que formam o FMLYBND querem mostrar o tempo todo que são bem unidos, começando pelo nome – um acrônimo para “family band”. Os seis amigos se conhecem desde sempre, e a sintonia entre eles é clara quando a gente dá o play no primeiro single da banda, a surpreendentemente sólida “Electricity”.

O eletrônico sofisticado e intenso do sexteto de Isla Vista ganha identidade própria ao mostrar uma música que parece trilha ideal das metrópoles que nunca dormem. Com sintetizadores envolventes à la M83, a faixa é o perfeito cartão de visitas para nos apresentar o som do FMLYBND e que, graças os vocais quase sussurrados e abafados de Mac e Braelyn Montgomery, vai te fazer lembrar vagamente daquela época do Oracular Spectacular, quando o MGMT não era tão psicodélico e fazia um pop mais acessível. O groove meio 80s merece destaque, e faz com que “Electricity” contagie no início e termine de forma épica, contando com um solo de guitarra de derreter os ouvidos e fazer qualquer um se apaixonar sem esforço. No fim, a impressão que fica é que os sintetizadores exuberantes e as batidas impecáveis da banda tem a energia urbana perfeita para embalar seu início de noite, e cumprem o que o FMLYBND promete: fazer “Electricity” soar atemporal e nostálgica.

FMLYBND – Electricity

MGMT – Alien Days

Luis Felipe —  20/04/2013 — 1 Comment

MGMT

A gente não sabe quanto a você, mas por aqui, o segundo disco do MGMT, Congratulations, que viu a banda se afastando do synth-pop experimental do primeiro disco para cair de vez na psicodelia dos anos 70, foi um dos nossos favoritos de 2010. É difícil para alguns aceitar que a banda não está mais afim de criar novos hits, mas sim fazer seu som à própria maneira – uma maneira muito mais arriscada (e aventurosa), diga-se passagem. E se você concorda conosco, vai adorar o que a dupla preparou para hoje, vulgo “4/20” e também Record Store Day: a nova música dos caras, “Alien Days”.

A canção já vem sendo tocada ao vivo em seus shows e chega como a primeira amostra do terceiro disco dos nova-iorquinos, ainda sem título ou data de lançamento oficial. Entretanto, “Alien Days” já deixa claro que a banda não tem intenção alguma de abandonar a sonoridade do Congratulations, mas que talvez possa ter aumentado sua acessibilidade. De começo inusitado, com uma criança cantando sob uma base eletrônica misteriosa, a canção logo pega ritmo com a chegada da bateria e dos vocais abafados de Andrew VanWyngarden, que cantam sob violões acústicos, efeitos psicodélicos e solos de sintetizadores distorcidos, eventualmente caindo em um doce refrão, não tão grudento quanto os do primeiro disco mas suficiente para satisfazer aqueles que procuram uma coisa mais pop do grupo. Mas se assim como nós estiver mais preocupado com a viagem, então considere o single como mais um acerto em cheio do MGMT.

MGMT – Alien Days

“Alien Days” faz parte do terceiro disco da banda, que está previsto para sair em junho.

Enerate

O Enerate, com seu chamado “synth-pop acústico”, é uma banda de Sidney que faz jus à cidade com uma combinação única, meio à-la Poolside, que revela toda a tropicalidade de uma cidade praiana e a modernidade de uma grande metrópole. Como um Toro y Moi mais cru e descontraído, a mistura dos meninos – e da menina – ganhou o gosto do país e foi sucesso nas rádios australianas. No ano passado, receberam quatro indicações ao MusicOz, prêmio australiano de música independente, e chegaram até a TV num especial de turismo para a MTV. Apesar de tudo isso, a banda tem coragem de prometer um ano ainda mais intenso, com previsão de lançamento do primeiro álbum, Good Times Airlines, em que pretendem repetir o sucesso no resto do mundo.

E se depender de “Unstoppable”, o mais novo single da banda, realmente vai ser difícil parar os caras. Com um começo que faz jus à definição de synth-pop acústico, a eteriedade inicial combinada com acordes grooveados te cativam logo no primeiro minuto, auxiliado por vocais em falsete que lembram de um Passion Pit ou de um MGMT. Mas até aí, se tudo parecer como um synth-pop comum (apesar de muito bem produzido) e até um pouco repetitivo, espere chegar na casa dos 2 minutos para compreender a genialidade da banda, demonstrada sob um maravilhoso solo de sintetizadores 8-bit que parecem sair do seu antigo Super Nintendo. A sensação orgásmica, entretanto, também é compartilhada em seu vídeo, que conta a história de uma festinha praiana bem no clima australiano, que te surpreendente da mesma forma que a produção mirabolante e se mostra uma obra intrínseca a ela, dividindo do mesmo pedaço de loucura.

Enerate – Unstoppable

Para baixar gratuitamente uma prévia do disco (inclusive a canção do post completa), basta seguir para o site oficial.

.

Música nova do MGMT? Infelizmente ainda não, mas esta é exatamente a primeira impressão que você vai ter ao ouvir “Ill Fit”, o primeiro single do Pollen, segundo disco dos britânicos Wave Machines. Os vocais em falsete remetem na hora aos de Andrew VanWyngarden, e os sintetizadores minimalistas, aliados à um baixo pegajoso, não se distanciam das produções lo-fi do Oracular Spectacular e nos fazem imaginar uma versão de “Electric Feel” reimaginada pelo Prince. O vídeo, que mescla imagens de construções com efeitos caleidoscópicos, contribui para o clima pop-psicodélico da música, que te terá hipnotizado em poucos instantes.

Skaters+-+Schemers+EP+cover

Formado em 2011 pelos amigos Michael Cummings, Noah Rubin e Joshua Hubbard, o SKATERS surgiu do Brooklyn e já foi banda de apoio do Little Joy, além de conseguir o que muita banda sonha: abrir para os Strokes. No ano passado eles lançaram o fantástico EP Schemers, mas que foi retirado do ar para ser relançado este ano, usando de primeiro single a energética “Done For Good” para apresentá-los para uma maior audiência.

Se a gente tivesse que apostar com qual música o SKATERS convenceu os Strokes de que eles seriam a banda ideal para a abertura dos seus shows, certamente chutaríamos em “Done For Good”, seja pelas semelhanças ou simplesmente pela energia que escorre em seus dois minutos e meio. Juntando todos os elementos de um bom rock de garagem e resolvendo sua fórmula sem o menor esforço, o SKATERS produz aqui um indie-rock lo-fi, com guitarras em reverb e riffs cativantes, mas que não esquece da importância de um bom refrão.

SKATERS – Done For Good