Archives For MØ

.

Apesar de não ser tão experimental quanto “Waste Of Time”, o novo single da é acessível sem perder aquela peculiaridade da cantora, que vai lançar No Mythologies To Follow no dia 10 de março. Para se preparar para a sua estreia, nada melhor do que uma música bastante agradável e que revela diferentes facetas da artista dinamarquesa, soando como uma espécie de Lorde mais animada. No clipe de “Don’t Wanna Dance”, a versão solitária e triste da moça é apresentada em um sofá colorido, enquanto o lado mais otimista domina o vídeo ao surgir se divertindo com as amigas. Dirigido por Georgia Hudson, o clipe conta com muita poeira, carros sendo jogados atrás da cantora de forma hipnotizante em um ferro velho, além de olhares penetrantes e passos de dança em sintonia com o clima de liberdade da música.

.

Com o clipe de “Waste Of Time”, Karen Marie Ørsted prova novamente que é uma artista que tem grande potencial para despertar o interesse de muita gente com seu projeto musical, denominado , cujas primeiras músicas foram apresentadas pelo blog no ano passado. O novo vídeo mostra a cantora dinamarquesa dançando e “batendo cabelo” como se ninguém estivesse olhando, algo que já foi visto no clipe de “Glass”. Além disso, o clipe dirigido por Anders Malmberg apresenta uma série de imagens aparentemente aleatórias, desde quadros até objetos. O single deve ser lançado oficialmente no dia 7 de julho, preparando o terreno para o álbum de estreia, que ainda não tem nome e nem previsão para ficar pronto. Apesar de comparações com Lykke Li, Grimes, Purity Ring, Lorde, PawwsHaim, o som da MØ é bastante peculiar, em função de uma rebeldia presente nas letras e da mistura de sintetizadores selvagens com guitarras e outros sons experimentais que geram canções pop com uma pegada R&B.

MØ – Glass

Luis Felipe —  14/02/2013 — Leave a comment

MO-Glass

A dinamarquesa Karen Marie Ørsted, nome por trás do projeto , teve a internet aos seus pés em 2012 com o lançamento dos singles “Pilgrim” e “Maiden”, suficientes para transformar a cantora de apenas 23 anos na nova queridinha do pop. Apesar de sua estética não-comercial, que remete a artistas como Purity Rings e Grimes, a cantora apresenta um som acessível mas repleto de boas ideias, como demonstra em seu novo single, “Glass”, e em seu recém-lançado vídeo.

Ao meio de tantos refrões grudentos, backing vocals que parecem cheerleaders e riffs de sintetizadores que parecem sair da terra mágica de Oz, fica mais fácil se deixar levar pela divertida produção do que entender sua verdadeira mensagem. Entretanto, basta uma audição cuidadosa para revelar o propósito da composição, que traz a tona o senso de inquietação mesclado à apatia da atual juventude, que deseja mudar o mundo mas prefere deixar a tarefa para o dia seguinte. O vídeo, que transmite a mesma mensagem da música, complementa sua letra e ajuda a mostrar a personalidade da dinamarquesa, que com certeza não é sua popstar convencional.

MØ – Glass