Archives For oh land

.

Cada nova música de Wish Bone é uma comprovação de como Oh Land pode ser versátil sem perder sua personalidade. A canção da vez é “Pyromaniac”, que tem a mesma vibração retrô que a dançante “Manic Baby”, do The Preatures. Assim como em “Renaissance Girls”, o clipe de “Pyromaniac” abusa da expressividade da cantora dinamarquesa, que também mostra sua elasticidade em movimentos impressionantes. Os diretores Rasmus Weng Karlsen e Jasper Carlberg usam ainda registros estáticos que revelam momentos de intimidade da artista, que não tem medo de brincar com fogo e se arriscar na carreira.

.

Alguns clipes são tão bons que nos fazem apreciar uma música que não agradou na primeira audição. É o caso de “Renaissance Girls”, novo single da Oh Land, que já havia encantado com músicas deliciosas como “Sun Of A Gun”, “White Nights” e “We Turn It Up”, presentes no álbum autointitulado de 2011. “Renaissance Girls” causa estranheza por ter um som mais agressivo, ainda que a doçura da cantora não tenha sumido. Dirigido por Duncan Winecoff, o vídeo é o segundo da fase Wish Bone , álbum agendado para 24 de setembro. O primeiro foi “The Boxer”, que também provoca desconforto, afinal, não estamos acostumados com a cantora fazendo rap. Apesar de ambos os clipes serem simples, o mais recente ganha pontos por ter uma execução mais caprichada. A edição cheia de cortes rápidos garante a continuidade das cenas, mesmo com as várias trocas de roupa e de ambiente. Tais recursos proporcionam uma experiência encantadora ao exibir a artista e outras dançarinas fazendo movimentos que combinam com a letra da canção, que parece ter criado vida junto das imagens.

E é com uma boa notícia que começo esse post. A querida Oh Land, dona de duas das minhas músicas favoritas de 2011, “White Nights” e “Sun Of A Gun”, está pronta para lançar seu primeiro álbum, o auto-intitulado Oh Land, que sai dia 15 de Março. E é acompanhado desse anúncio que chega “We Turn It Up”, o primeiro single oficial do trabalho, produzido por ninguém menos que o Pharrel, do N.E.R.D. Agora se você curtiu as outras faixas da cantora, não se assuste, visto que o novo trabalho mantém o mesmo estilo adorável dos seus singles anteriores. A música, que tem um ritmo formado por palminhas e tambores, combina a delicadeza de Nana Fabricius com um senso de aventura, e soa como se a música fosse um divertido hino de exército feito para ser dançado por bailarinas. Ouça o single logo abaixo, e aguarde por mais um grande lançamento para Março.

Oh Land – We Turn It Up

Cover Me – Vol. VI

Luis Felipe —  31/01/2011 — 1 Comment

Estava esperando justamente por um terceiro cover legal aparecer, até que recebo um email da equipe da Oh Land, me apresentando o mais novo cover da cantora, justamente um do Fleet Foxes, que acaba de lançar um single novo. Sem demoras, também temos aqui um cover novíssimo do Gobble Gobble para a viciante “Nikki” do The Dream, e uma versão electro-rock para “Whip My Hair” (que achei lá no ótimo QDNG!).

Oh Land – White Winter Hymnal (Fleet Foxes Cover)

Falamos do Fleet Foxes hoje, e por coincidência, a sensação pop de 2011 Oh Land já estava cantando esse cover da banda em alguns dos seus shows ao vivo, até que sua própria equipe me enviou hoje com exclusividade a versão em estúdio da faixa! O folk rock dos caras ganham um toque electro pop característico da cantora, numa versão ligeiramente mais agitada graças a uns batuques afro-pop. Misture a voz angelical de Nanna Fabricius e está pronto, o primeiro e maravilhoso single do grupo ganha uma nova roupagem, e que arrisco dizer, fica ainda mais encantadora que a versão original. Clicando aqui, você ainda assiste à gravação da faixa na Newtown Radio.

Oh Land – White Winter Hymnal (Fleet Foxes Cover)

.

Gobble Gobble – Nikki (The-Dream Cover)

Falei do projeto paralelo do Gobble Gobble aqui semana passada, e consegui fazer com que alguns novos leitores ainda entrassem na febre da banda, que anda sem lançar algo novo há um tempinho. A maior novidade, entretanto, é esse ótimo cover da música mais pegajosa do The Dream, “Nikki”. Mesmo que você não conheça a original e ainda não tenha se viciado pelo seu refrão, prepare-se pra ter sua mente infectada por esse cover, que é uma das produções mais limpas (mas não menos complexas), dessa excelente banda de synth-pop, que a cada lançamente te faz ouvir um som que você nunca nem imaginou que existisse.

Gobble Gobble – Nikki (The-Dream Cover)

.

Skull Tape – Whip My Hair (Drowning In Blood) (Willow Smith Cover)

É uma pena que tanta gente ainda olha torto pra Willow Smith e seu viciante single “Whip My Hair”, que chegou quase como uma piada até parar em metade das baladas alternativas do país. O Skull Tape, entretanto, transforma o hit bate-cabelo num electro-rock infinitamente mais adulto que a versão original, que ainda inclui sons de tiro, sangue e uma parte totalmente nova (que começa nos 3:00), com uma melodia que poderia se encaixar bem nos Body Talk da Robyn. O conjunto é uma faixa que promete conquistar até quem não gosta da original, e que nos deixa ansiosos para ouvir mais dos caras.

Skull Tape – Whip My Hair (Drowning In Blood) (Willow Smith Cover)

.

Você deve se lembrar de Oh Land de “Sun of a Gun”, um pedaço brilhante de música pop com pianos e uma letra tão engraçadinha que deve ter feito inveja à Lily Allen. Pois bem, a garota que prepara seu primeiro álbum americano para o ano que vem somente, vai estar lançando seu EP auto-intitulado esse mês, com “Sun of a Gun” como carro chefe, é claro. Agora já adianto que “White Nights” não fica pra trás. A segunda música do disco é mais melódica e menos preocupada em chamar atenção, mas continua com o clima ensolarado e pegajoso do primeiro single, com xilofones, sintetizadores e leves batidas tribais, que complementados por um vocal brincalhão da cantora parece uma música de dança da chuva feita para crianças.

Mal posso esperar pelo álbum de Oh Land no ano que vem, e enquanto isso, aguardem sair oficialmente o EP Oh Land, previsto para dia 20 de Outubro.

♫ Oh Land – White Nights

Tem como não amar a Nanna Fabricius? A cantora, que vai pelo nome artístico de Oh Land, além de ser bonita e ter uma voz à altura, está com um dos singles pop mais gostosos e clássicos do ano. A música que vai pelo nome engraçadinho de Sun Of A Gun, tem estalinhos de dedo e um clima até meio que sombrio no começo (“I wanna live in darkness”, ela chega a cantar uma hora), mas fica bem alegrinha no refrão, contagiante por sinal, daquele jeito Lily Allen de ser, misturando melodias doces com um ar de deboche. Aliás, a voz das duas não tem nada em comum, mas eu poderia ver a Lily Allen matando seus executivos por não terem comprado essa música antes pra ela, que pega bastante do tom das melhores do segundo disco. Sobre os produtores, quando ouvi podia jurar que era o Bloodshy & Avant (a.k.a Miike Snow), mas como não achei nada sobre, vou culpar minha obsessão pelos caras. E pra acompanhar a doce melodia da música, que tal um remix prontinho para uma sexta pelo duo Savage Skulls? Confira as duas abaixo, e aguarde pelo álbum de Oh Land, que sai esse ano ainda.

♫ Oh Land – Sun Of A Gun

+ BONUS: Oh Land – Sun Of A Gun (Savage Skulls Remix)