Archives For Remix

Chamar uma banda de “o fruto do casamento entre o Phoenix, Passion Pit e o Yeasayer” pode ser um dos elogios mais curiosos que pode ser dado atualmente, principalmente se for pelo seu blog favorito. Pois então, no final de 2010, quando o Strange Talk apareceu na Kitsuné com o single “Climbing Walls”, praticamente todos os meus blogs favoritos estavam fazendo essa comparação, mas por incrível que pareça, eu tomei uma certa raiva da banda. “Climbing Walls” simplesmente não era tudo isso, e o pior, soava como uma cópia mal-feita do Yeasayer.

Mas bem, aqui estamos em 2011, e às vésperas do lançamento de um EP, que sai dia 12 de Abril, a banda chegou com um novo single, que me fez mudar de ideia completamente. “Eskimo Boy” continua a linha de rock dançante trilhada pelos caras, mas finalmente faz jus à descrição que a mídia está dando. É claro que o toque do produtor Eliot James está alí (Two Door Cinema Club, Bloc Party), que ajudou a banda a expandir o seu som, além de fazer o balanço ideal entre os sinstetizadores à-la Cut Copy e as guitarras à-la Phoenix. Mas é pela melodia terrivelmente pegajosa e uma agitação geral criada pela banda que fazem dessa música uma pedida obrigatória para os sets de indie-rock moderninhos de 2011. Mesmo que tenha achado “Climbing Walls” ruim, já dava pra sacar que o potencial estava alí, e “Eskimo Boy” traz exatamente o que eu queria ter ouvido em primeiro lugar.

Strange Talk – Eskimo Boy

Strange Talk – Climbing Walls

Como disse, o EP Strange Talk sai dia 12 de Abril pelo Neon Gold, e aqui abaixo você pode já ouvir também um novíssimo remix da faixa, que certamente vai conquistar os corações de muita gente até mais do que a original, além de ser uma bela pedida pra já te deixar no clima da sexta-feira.

Strange Talk – Eskimo Boy (Lightwaves Remix) [Removido a Pedido da Banda]

Dubstep: ritmo que surgiu na Inglaterra no começo dos anos 2000, influenciado pelo dub, que por si nasceu na Jamaica como uma forma de remix do reggae, que valorizava o baixo, a bateria e misturados a isso tudo efeitos sonoros. Bem, a descrição acima não foi a toa. Essa semana estaremos explorando mais um pouco esse gênero nos remixes, que essa também estão menos urgentes e mais progressivos e climáticos, preocupados com a construção das batidas e melodia das músicas. Mas prometo que você não irá ficar entediado em nenhum deles, pelo contrário, bem vindo a um dos nossos melhores Friday Mixes.

.

Katy Perry – E.T. (Rodway Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Já postei muitos remixes, covers e canções dela aqui no blog, e nenhum durou mais do que dois dias no servidor do MediaFire. Katy e seus acessores conseguiram até tirar o nosso blog do ar a algum tempo atrás, mas bem, aqui estamos de volta, e com mais um remix da moça. “E.T.” ficou extremamente sensacional aqui, ganhando uma produção totalmente nova, com sons de videogame 8 Bit, samples de Castlevania e batidas Dubstep, criando uma nova roupa para música que soa como se ela tivesse sido capturada na Pensilvânia por ETs vampiros e voltado à Terra.

♫ Katy Perry – E.T. (Rodway Remix)

.

Natalia Kills – Zombie (Does It Offend You Yeah Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Já postei a “Mirrors” da cantora, e essa semana postei a ótima “Wonderland”, mas ficou faltando seu primeiro single, “Zombie”. Uma canção progressiva e mid-tempo, a música acaba de ganhar um remix do Does It Offend You, Yeah, que praticamente cria uma música para chamar de sua aqui. As batidas loucas electro-punk para fazer mosh-pit na pista estão presentes, como de característica da banda, mas acompanhados pelo doce vocal de Natalia e seu refrão delicioso de “Zombie”, a música parece encontrar um perfeito equilíbrio, e deve causar catarse onde quer que seja tocada.

♫ Natalia Kills – Zombie (Does It Offend You Yeah Remix)

.

La Roux – Quicksand (Alex Metric Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Já vou começar falando: que remix FODA. Basicamente, “Quicksand” da La Roux se transforma em um épico das pistas de dança com 6 minutos de duração, que vai te deixar babando em cada segundo dele. Alex Metric, conhecido por seus remixes longos que vai construindo a música aos poucos, reinventa o primeiro single do duo aqui, que começa dramático mas vai soltando as batidas e os refrões aos poucos, descrescendo o ritmo no meio do caminho para depois engrenar com força. Destaque para o brilhante final, onde o cara recorta e cola o vocal da cantora e cria uma parte totalmente nova à música. Recomendo ouvir com os fones de ouvido para se perder na produção luxuosa deste aqui.

♫ La Roux – La Roux – Quicksand (Alex Metric Remix)

.

Cut Copy – Far Away (Bag Raiders Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Eu amo Cut Copy e adorei o Bag Raiders esse ano. Enquanto no ano que vem estaremos cobrindo massivamente o novo disco do amado grupo, que tal revisitarmos aqui uma das músicas mais legal do segundo disco, dessa vez com um remix feito pelos Bag Raiders? Os caras adicionam uma produção totalmente nova à música, com instrumentos tocados por eles mesmos, que só reutiliza o vocal original, adicionando até mesmo um solo massivo de sintetizadores no meio do caminho. É o filho prestando uma homenagem ao pai, e o resultado disso tudo é um presente nada menos que maravilhoso.

♫ Cut Copy – Far Away (Bag Raiders Remix)

.

Big Boi – Shutterbug (Jack Beats Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

“Shutterbug” do Big Boi não é apenas uma das melhores canções de hip hop do ano, mas sim uma das melhores ponto. Aqui, o sample da música é instantâneamente reconhecível, numa canção sem muitos altos e baixos, mas que melhora quando vai chegando no finalzinho, quando Big Boi solta o rap sob uma batida dubstep. As batidas, entretanto, vão agradar a todos que estiverem com você, e se tem uma música desse post que poderia ser tocada em qualquer tipo de boate que todos iriam acabar curtindo, é esta aqui. Ouça o melhor remix de “Shutterbug” que encontrei.

♫ Big Boi – Shutterbug (Jack Beats Remix)

.

Usher – OMG (Vindata Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

Que remix doido. Na verdade, não sei se funcionaria muito bem nas pistas, mas quem liga? Se você não gosta da original, recomendo até dar uma chance para essa aqui. Com um começo lento, a música vai ganhando corpo e batidas, que depois de um tempo volta à sua versão original, para depois voltar para a construção de batidas novamente e acabar com uma explosão trance, suficiente para deixar qualquer um mais alto só de ouvir. Se a descrição ficou confusa, apenas dê o play aqui em baixo. Agora por favor, da próxima vez que o DJ tocar a versão original, você só chega, pluga seu iPod, faz um ar superior e sai dançando na pista.

♫ Usher – OMG (Vindata Remix)

.

Major Lazer – Never Good Enough (The Killabits Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Por falar em dub/dubstep, eis aqui um remix do gênero para uma nova música do Major Lazer, a mais legal na minha opinião do EP lançado esse ano, o Lazers Never Die. A original era um reggae sensual, mas mesmo com as batidas dubstep aqui a música não perde sua essência, soando mais como um tipo de raggae que ouviríamos saindo da Jamaica em 2020. Pode não seguir o mesmo estilo que as últimas músicas “para sexo” que tenho postado aqui, mas não deixa de ser conveniente. Na verdade, enquanto as outras eram mais um “sexo romântico”, pense nessa aqui como um “sexo agressivo”, mas igualmente sensual. Alguma coisa contra?

♫ Major Lazer – Never Good Enough (The Killabits Remix)

.

Jayme Dee – Love Whiplash (RAC Mix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Mais uma vez, o RAC mostra que não apenas faz ótimos remixes, mas que também faz ótimas escolhas. Na verdade, eu ouvi o remix antes da original, que não tem alterações gritantes, mantendo o clima leve de romance de verão, sob palminhas e batidas ensolaradas. O produtor dá um ar a mais pra música, adiciona mais efeitos e torna a inocente canção em uma escolha perfeita para se ouvir com o vento no rosto, enquando você estiver voltando para casa. Afinal, depois de tantos remixes “sujos” e agressivos, nada mais justo que uma canção mais leve para relaxar.

♫ Jayme Dee – Love Whiplash (RAC Mix)

.

♫ [D/L] Friday Mixes VI

.

Créditos: Dancing Astronaut  & KKS
.

Semana passada era véspera de feriado (ou SWU pra quem foi) e nada mais justo do que tirar uma folguinha, né? Não se preocupem, pois a seção mais querida do blog chega agora, mais testada e aprovada do que nunca! Com duas semanas de remixes saindo e um feriado regado a festas, pude testar todos eles e comprovar que sim, eles funcionam! De quebra temos alguns remixes que você já deve ter visto em outros lugares essa semana, e se esse for seu caso, parta direto pros mais novos! Se perdeu algum outro Friday Mixes também, basta clicar em “Remixes” alí na barra lateral que você terá os remixes mais quentes do ano. Aperta o play e bom final de semana!

.

Jessie J – Do It Like A Dude (Labrinth Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Você já ouviu e (pelo visto) aprovou a original nesse post aqui, e mal posso esperar pelos remixes da música surgirem. Esse aqui, feito pelo Labirinth, é o primeiro da safra, e soa mais como uma nova re-edição da faixa do que como um remix propriamente dito. A produção aqui, pra você ter ideia, assim como a original mistura vários estilos, começando com um groove anos 80 e terminando com reggae. Claramente não feito para as pistas, mas divertida para se ouvir em casa, alternando com a original, pra te deixar animado pra sair e improvisar na noite!

♫ Jessie J – Do It Like A Dude (Labrinth Remix)

.

La Roux – In For The Kill (Kanye West Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Esse remix foi muito falado durante a semana, mas simplesmente não pude deixar de postá-lo aqui. Kanye West pula no hit de La Roux e adiciona seu próprio toque, mudando algumas batidas da música que claramente soam como algumas outras do cara agora. Para melhorar, ele ainda adiciona um rap na metade dela, e nos deixa mais ansiosos ainda ao dizer que La Roux participará de seu novo álbum, o My Beautiful Dark Twisted Fantasy, que está agendado para Novembro. Alguém não está ansioso para ouvir a próxima da dupla?

♫ La Roux – In For The Kill (Kanye West Remix)

.

The Ting Tings – Hands (Passion Pit Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Eu já disse aqui que não me simpatizei muito com essa nova dos Ting Tings, e mantenho minha opinião. O Passion Pit, entretanto, mostra que não está parado e resolve tentar dar um up na faixa, que cá entre nós, só os remixes para salvar. De qualquer forma, este aqui não é a coisa mais impressionante do mundo, mas os sintetizadores que são marca da banda certamente deixam as coisas mais atraentes. Em outras notícias, o álbum do Ting Tings foi adiado para o ano que vem, e espero sinceramente que tenham um novo single até lá. É só aguardar agora.

♫ The Ting Tings – Hands (Passion Pit Remix)

.

Cee-Lo – Fuck You (Le Castle Vania Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Já postamos um remix dessa música, um cover, e agora estamos apresentando um novo remix. E digo que (assim como direi novamente aqui em baixo) não faria isso se não valesse a pena. O Castle Vania aqui não muda muito a faixa, mas adiciona batidas mais dançantes e sem soar agressivas, que vão cair como uma luva para você ouvir em qualquer ocasião, e caso você esteja enjoado da original (como eu estava) dê uma chance a esse remix que simplesmente não para de tocar aonde quer que eu vá. Certamente fará o seu dia melhor.

♫ Cee-Lo – Fuck You (Le Castle Vania Remix)

.

Kanye West – Power (DJ Kue Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

Eu queria muito riscar o nome do DJ Kue ali em cima e colocar Daft Punk. Sério. E aposto que todos cairiam. Com as vozes alteradas que lembram bastante os DJs mais queridos do planeta, Kanye-robô repete “No one man should have all that power”, em toda a música, sobre um ritmo acelerado, que na metade de seus 6 minutos dá espaço para quase dois minutos da versão original, que numa mixagem perfeita volta para o batidão no último minuto, a tempo para você aproveitar mais a pista. Esse é pra te acelerar.

♫ Kanye West – Power (DJ Kue Remix)

.

Rihanna – Only Girl (Rhyno Mashup)

PARA OUVIR: NA PISTA

Assim como disse ali em cima, não postaria um remix de uma música novamente a não ser que vale muito a pena. E esse vale. Na verdade, a primeira vez que ouvi esse remix, ou melhor, mashup, eu não gostei. Achei agitado demais, vendido, como se ele fizesse de tudo pra você gostar. E agora aqui estou, dizendo as mesmas características, só que para você baixá-lo. Talvez ele só faça sentido na pista de dança ou quando você estiver bêbado, mas adianto que ele vai usar todos os artifícios possíveis para te fazer dançar, como uma crescente batida em pleno verso da música, que só consegue ficar maior quando chega no refrão. Se achou confuso demais agora, ouça bêbado e deixe nos comentários a experiência depois.

♫ Rihanna – Only Girl (Rhyno Mashup)

.

The XX – VCR (Four Tet Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Esse aqui também esteve por toda parte algumas semanas atrás, mas só agora achei uma versão com qualidade boa da música, e agora sim estou postando. Se você gosta de Four Tet deixa eu te falar uma coisa: assim como ele usa diversos samples em suas músicas, imagine “VCR”, uma das melhores do the XX, como sendo apenas mais um deles, pois a música aqui soa sem dúvidas como se fosse uma obra original do cara. Se você não conhece nada do projeto, saiba apenas que sua música na maioria é um eletrônico suave, sexy pra caralho, e o There Is Love In You, trabalho desse ano, é o melhor CD para fazer sexo que já ouvi. Ou quase ouvi.

♫ The XX – VCR (Four Tet Remix)

.

The Killers – Smile Like You Mean It (TGIK Broken Heart Mix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Eu amo The Killers, que na verdade é uma das minhas bandas favoritas. Dito isso, ainda falo que “Smile Like You Mean It”, é uma das minhas favoritas da banda, e se você não conhece a música provavelmente não gosta dos caras. A música aqui vai ser perfeita para distorcer a sua vista durante o nascer do sol, graças às batidas dubstep que o remix ganha, além de novos sintetizadores e arranjos futurísticos que emulam trompetes, que vão criar um clima calmo e ideal para você ver o sol nascer como se fosse 2021.

♫ The Killers – Smile Like You Mean it (TGIK Broken Heart Mix)

.

Créditos: Feral Party Kids, SKA & Kick Kick Snare
.

Vamos aos fatos. Após dois excelentes álbums e uma campanha de fazer inveja, posso concluir duas coisas a respeito dos primeiros singles dessa história toda de Body Talk: a primeira é que nenhum deles conseguiu chegar perto da mega-balada “With Every Heartbeat”, e a segunda é que o maior erro de Robyn foi ter lançado as versões acústicas dos seus singles antes das versões finalizadas. Acústicas vírgula. As canções eram completas, com violinos, pianos, mas sem sintetizadores. Soavam humanas. Eventualmente, acabei gostando de “Hang With Me”, mas quando ouvi a versão acústica de “Indestructible”, com violinos ferozes e inclusive um solo deles no meio, fiquei com medo já do que estava por vir.

Pois bem, acaba de sair a versão finalizada, e sem surpresas, fiquei mais uma vez decepcionado. Melhor do que “Hang With Me” pelo menos, a balada aqui tinha tudo para desbancar “With Every Heartbeat”, mas ganha batidas fortes e perde o lado orgânico, colocando até sintetizadores para emular o solo de violinos no break da música. Com o tempo vou me acostumar, é claro,  pois a música além de tudo é brilhante, mas como disse, peço à Robyn nunca mais lançar versões acústicas antes da música oficial. Body Talk Pt. 3 sai dia 29 de Novembro.

♫ Robyn – Indestructible (Album Version)

Conhece o Girl Talk, mestre dos mash ups e que vai tocar em novembro no Planeta Terra? Então, Milkman é seu aprendiz, e a mais nova sensação do gênero. O cara vem abrindo os shows do Major Lazer e agora está partindo para seu novo álbum, o Algorithms, que vai ser distribuído de graça em seu site. O primeiro single, “Let’s Go”, já está disponível, e enquanto reúne diversas canções conhecidas, como “Gold Digger” do Kanye West, “I Want You Back” do Jackson 5 e até um refrão bem criativo com “Eh Eh” da Lady Gaga, a música soa incrivelmente consistente, e quem ouvir sem conhecer as músicas originais pode nem perceber que se trata de um mash up, que diga-se de passagem, é um dos mais interessantes que já ouvi. É uma daquelas músicas pra se ter em um playlist do final de semana e impressionar os amigos. Fiquem com o single abaixo e aguardem o lançamento do álbum para esse ano ainda.

♫ Milkman – Let’s Go

[Via]

Depois de uma semana de folga, o Friday Remixes está de volta, mas dessa vez, vocês perceberão que teremos menos remixes de pista e mais do que podemos chamar de “reinterpretações”, remixes que não usam quase nada da original, e recriam a música completamente. Baixem todos abaixo, ouçam no player lá em baixo, e é claro, bom final de semana a todos!

.

Robyn – None of Dem (Timid Tiger Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Postei uma música dessa banda que estou obcecado a um tempinho atrás (aqui!). Timid Tiger, divertidos e despretenciosos, o grupo de electro-rock resolveu recriar “None of Dem” do zero aqui, reaproveitando apenas os vocais de Robyn. Fora fica o climão pesado da original, que dá espaço para instrumentos mais fortes, principalmente a bateria, que fica óbvia desde a primeira frase da música: “Você têm alguma bateria na sua casa?”. Como disse na original, tá aí uma “música para sair de madrugada sem nenhuma boa intenção em mente”.

♫ Robyn – None of Dem (Timid Tiger Remix)

.

Maximum Balloon – Groove Me (T-Minus 321 Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Maximum Balloon pode ter lançado o melhor projeto paralelo do ano, mas você já imaginou ouvir uma música dele com samples grooves da Madonna? Sem surpresas, “Groove Me”, com o Theophilus London, ganha samples de “Lucky Star”, da cantora pop, em um remix que não poderia ter ficado melhor. Pra apertar o play e já sair dançando.

♫ Maximum Balloon – Groove Me (T-Minus 321 Remix)

.

Rihanna – Only Girl (In The World) (Cosmic Dawn Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

A música na verdade destoa da descrição acima que fiz, pois na verdade acrescenta muito pouco a “Only Girl”, uma canção já feita para bombar em todas as pistas. O remix pode não ser o mais original ou criativo do ano, mas o pouco que foi acrescentado aqui foi o bastante para tornar a música ainda mais disco-friendly.

♫ Rihanna – Only Girl (In The World) (Cosmic Dawn Radio Edit)

.

Daft Punk – Derezzed (From TRON SOUNDTRACK) [NTEIBINT Remix]

PARA OUVIR: BEBENDO

O fato mais engraçado da semana foi ver os blogs em exctase com 20 segundos de uma música nova do Daft Punk, pra ser trilha de Tron. Se você foi um desses que ouviu e ficou com um gostinho de quero mais, problema resovido. Um DJ chamado NTEIBINT pegou aqui os já famosos 20 segundos e transformou em 4 minutos de pura festa, no que não soa muito como uma nova música do Daft Punk, mas certamente como um dos melhores remixes de uma delas, mesmo que ela tenha apenas 20 segundos por enquanto.

♫ Daft Punk – Derezzed (From TRON) [NTEIBINT Remix]

.

Ellie Goulding – Under The Sheets (KIDS AT THE BAR Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

O Kids At The Bar já fez maravilhas com o Empire of the Sun, com o Passion Pit e com o The Harlem Shakes, e agora é a vez de vingar com um remix da queridinha Ellie Goulding. Transformando uma das mais já-agitadas faixas da moça em um electro de primeira, a música traz batidas sujas e pesadas em constraste com os doces vocais da cantora, uma mistura aqui perfeita, mas acima de tudo, um exemplo para a cantora largar de ser Sandy e virar para o batidão de vez.

♫ Ellie Goulding – Under The Sheets (KIDS AT THE BAR Remix)

.

Frankmusik – Confusion Girl (Russ Chimes Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

“Confusion Girl” do Frankmusik é sem dúvida uma das músicas mais legais do ano passado. Falo por que gosto mesmo dele. E por tanto gostar saí a procura de remixes pras suas faixas. Quando me deparei com o que o Russ Chimes fez com a música, simplesmente parei e disse: é esse! A faixa ficou extremamente dançante com uma leve pegada 80’s. Decididamente, feita para os melhores sets.  [Via Michel Heberton]

♫ Frankmusik – Confusion Girl (Russ Chimes Remix)

.

Arcade Fire – The Suburbs (Paper Tiger Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Eu lembro de assistir “The O.C.” (sim!) quando era mais jovem, e ouvir o pseude-indie Seth Coen falar todo episódio que Arcade Fire era música de sexo. Enquanto eu não me vejo de jeito nenhum fazendo sexo ao som de “Power Out”, eu bem que posso me imaginar fazendo ao som de “The Suburbs”. Mas não precisa gastar a original, visto que o remix aqui, com direito a batidinhas com synths bem tranquilos, deve fazer bem o trabalho. Melhor, te ajudar.

♫ Arcade Fire – The Suburbs (Paper Tiger Remix)

.

M.I.A. – XXXO (Oli Chang Cinematic Remix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

O “Cinematic” no nome de um remix nunca foi tão correto. Nessa releitura de “XXXO”, a canção mais pop do novo disco da M.I.A, ficam de fora os sintetizadores frenéticos e as batidas electro da original, que dão espaço para novos arranjos, pianos e até uma mini-orquestra, que fazem dessa versão, ao invés de animada, dramática, e até mesmo emocionante.

♫ M.I.A. – XXXO (Oli Chang Cinematic Remix)

.

Créditos: Feral Party Kids, PMA & Sheena Beaston
.

Eu instantaneamente baixo uma música quando leio os nomes Miike Snow ou Bloodshy & Avant (2/3 do Miike Snow), e com esta daqui não foi diferente, tanto que nem me incomodei em baixar a original de início. Clare Maguire, para quem não conhece ainda, é uma promissora nova cantora que vem divulgando esta música, Strangest Thing, desde o começo de 2009. Agora, em 2010, além de ganhar uma versão dos super produtores Bloodshy & Avant, a moça se prepara para o lançamento do seu primeiro disco para o começo do próximo ano, assim como seu primeiro single oficial, o Ain’t Nobody, no mês que vem. Ela, que foi assinada assim que soltou a voz pela primeira vez, traz um vocal jus a sua fama, soul e tão marcante quanto da Adele ou da Duffy.

A versão daqui começa com um quê de reggae para então o duo soltar doces batidas electro e trompetes que dão uma outra cor à canção, transformando-a numa deliciosa mistura que parece o fruto de um encontro entre a Amy Winehouse e o Miike Snow. A original por outro lado é bem mais crua, e com a ajuda de um piano apenas, a cantora (e sua voz) pega todos os holofotes para si, e serve de idéia de como deve soar o resto do álbum. Enquanto adoraríamos que a segunda versão fosse oficializada e que as outras seguissem o seu estilo, ainda aguardamos pelo álbum de Clare, assim como o primeiro single oficial, que sai mês que vem.

♫ Clare Maguire – Strangest Thing (Bloodshy & Avant Version)

[BONUS] Clare Maguire – Strangest Thing (Original Version)