Archives For rihanna

.

Mikky Ekko é um nome relativamente novo na indústria da música, mas ele faz parte de uma das músicas mais bem-sucedidas de 2013: “Stay”, com a Rihanna, o suficiente para colocar Mikky no topo de muitos charts ao redor do mundo. Seu novo single, “Kids”, é a segunda amostra do seu álbum de estreia (ainda sem título ou data de lançamento), e chega sob o formato de um clipe de proposta simples, que traz apenas o cantor contracenando com três garotas ao longo do vídeo. Ao que parece, entretanto, o cantor prefere ficar mais entretido com um fliperama do que com as mulheres ou sua própria música, como mostra as diversas cenas com o cantor e uma exuberante máquina de arcade que aparece nos mais diversos cenários possíveis. A música foi produzida pelo hitmaker Benny Blanco e soa como a escolha certa para construir, finalmente, a própria carreira de sucesso do rapaz.

ELLiPHNAT

Confesso que o Elliphant, projeto da sueca Ellinor Olovsdotter, me chamou atenção no início principalmente por ser a nova artista do selo sueco TEN, responsável também pelo Niki & The Dove e o Icona Pop. A primeira música foi a inventiva “In The Jungle” com sua sonoridade sem definição, mas a partir daí, seus lançamentos têm sido uma mistura de erros e acertos, por vezes se espelhando no hip-hop da M.I.A. (como em “Cian’t Hear It” e “Tekkno Scene”), e por horas no pop latino da Rihanna, como em “Down On Life”.

E é calcado nesta última (um acerto, diga-se de passagem), que Elliphant entrega seu novo single, “Live Till I Die”, realizado pós-lançamento do seu primeiro EP, auto-intitulado, que reuniu antigas canções enlatadas para o mercado norte americano. Assim como em “Down On Life”, as batidas aqui são menos aceleradas, o que deixa espaço para os vocais mais cantados de Ellinor abraçarem a produção tropical repleta de sintetizadores, palminhas e samples, com direito a um refrão celebratório (como indica o título) e um desfecho arrasador com um solo de teclados, do jeito que a gente gosta.

Elliphant – Live Till I Die

tumblr_m6n9nhkac51rojjcdo1_1280

Os misteriosos do K.I.D.S. se apresentaram em 2012 com o synth pop experimental de “Ragged Old Angels”, logo indo de Ladytron à Little Boots em sua segunda demostração, “All My Evil”, lançada no mesmo mês que a primeira música. Apesar de não estarem finalizadas, as músicas traçavam uma promissora trajetória ao grupo, que revelou sua identidade neste mês como sendo Rosanna (de Estocolmo) e Charles (de Londres), que já estão trabalhando em um disco de estreia há mais de um ano e estão prestes a lançá-lo.

Junto com as notícias, a banda liberou uma nova versão (ainda “em progresso”) de “All My Evil”, e a nova demo “Black Star”, que mais uma vez troca de referências ao passear pelo território sombrio do pop agressivo da Rihanna em seu Rated R. Com pianos e efeitos que remetem uma canção de ninar, a canção começa quase como uma versão mais electro de “Russian Roulette”, só para se desenvolver em instantes para algo bem diferente e muito maior, sem desrespeitar as regras do pop. A produção eletrônica logo ganha o reforço de guitarras, violinos e batidas presentes no segundo verso, que nos impressiona e nos faz questionar o que mais poderia ser melhorado em uma versão finalizada.

K.I.D.S. – Black Star

Se você perdeu nossas outras postagens do K.I.D.S., recomendo ouça os sigles “Ragged Old Angels” e “All My Evil”, e espere conosco por mais notícias do duo.

A seção de cover está de volta, quem sentiu falta? Ouçam dois covers quentíssimos, e um do ano passado, o de “D.A.N.C.E,” mas o melhor na minha opinião!

.

Everything Everything – What’s My Name (Rihanna Cover)

Tem como falar de covers sem citar o famoso programa Radio 1 da BBC? Pra completar a tradição de covers inusitados, o Everything Everything resolver dar uma roupagem mais roqueira à música mais classy da Rihanna, “Whats My Name”. Eu sinceramente ainda não enjoei da versão original, e enquanto o vocal estridente da banda não se encaixa tão bem quanto o  suave da Rihanna, os caras mandam bem, e chamam até uma outra cantora para ajudar nas partes mais difíceis. Então ouve aí e mate sua curiosidade, só não fique surpreso se se sentir um pouquinho decepcionado.

Everything Everything – What’s My Name (Rihanna Cover)

.

Telephoned – All Of The Lights (Kanye West Cover)

O Telephoned já é expert em covers. Esse duo que apareceu na edição de covers passada fazendo um cover do Yeasayer, volta aqui com uma versão não-tã0-legal do maior-futuro-hit do Kanye West, “All Of The Lights”. Mandando embora Rihanna e os outros 10 convidados, a banda ainda adiciona batidas que lembram o funk carioca e leves sintetizadores, além de colocar o doce vocal da “house diva” Maggie Horn para ficar repetindo o refrão. O resultando não é tão bom quanto o outro cover ou o primeiro single da banda, que você também já ouviu aqui, mas vale pela intenção.

Telephoned – All Of The Lights (Kanye West Cover)

.

Hawa – D.A.N.C.E. (Justice Cover)

O melhor, disparado, cover dessa edição, Hawa e seu gingado soul soa como se a Amy Winehouse resolvesse incluir um cover do hit do Justice em seu novo disco. Um soul com cara de atual, embora tenha sido lançado no começo do ano passado, as batidas electros moderninhas do duo francês são substituídas por arranjos vintages que tranformam a música no maior clássico dos anos 2000 que poderia ter sido lançado nos anos 70. Vale a pena baixar, ouvir, e se apaixonar de novo pela música.

Hawa – D.A.N.C.E. (Justice Cover)

.

Rihanna – S&M

Luis Felipe —  05/11/2010 — 8 Comments

* Atualizado com o remix da Britney!

O Loud da Rihanna está saindo aos poucos, e já está dando o que falar. A meio de tantos falsos vazamentos, “S&M”, a primeira canção do disco e o terceiro single do mesmo, acaba de sair, no que deve ser provavelmente a última música que teremos antes do de ouvir o disco completo. “S&M” na verdade é a sigla para sexo e masoquismo, e nessa sexy e dançante canção, Rihanna prova que não quer nada além disso. Com uma batida que lembra bastante “Sexy Bitch”, do Guetta, Rihanna canta sobre chicotes e correntes, o cheiro de sexo no ar e de como tudo isso excita ela. A música soa um pouco como a ótima “Who’s That Chick”, que acabou ficando de fora, mas por “S&M” ter um ar mais adulto que a outra, acho que valeu a justificativa. Ouça a música logo abaixo e aguarde por Loud, o novo álbum da Rihanna, que deve cair hoje ainda na rede.

Rihanna – S&M (Remix Feat. Britney Spears)

Eis aqui a música mais esperada do novo disco do Kanye West, “All Of The Lights”. Desde o curta “Runaway” e o preview da música nele, a internet estava esperando ansiosamente por essa canção, logo após também saber que a faixa teria a participação de 11 convidados. “Uma bagunça isso vai ser”, logo pensei. Mas com 5 minutos apenas, e as participações de Rihanna, Elton John, Fergie, John Legend, The-Dream, Ryan Leslie, Tony Williams, Charlie Wilson, La Roux, Alicia Keys e Kid Cudi, a faixa é a melhor coisa de hip-hop que já saiu esse ano. E ao contrário do que pensei, a faixa não é uma bagunça, muito pelo contrário. As participações (fora a da Rihanna e da Fergie), são bem sutis, e nos deixa até um pouco decepcionado se você pensou que iria ouvir um dueto entre La Roux e a Alicia Keys. O mais legal é ouvir e reparar aonde cada artista se encaixou, desde backing vocals (Alicia Keys), a refrões completos (Rihanna) e pianos (Elton John). Enfim, se tem uma faixa que todos queriam ouvir do My Beautiful Dark Twisted Fantasy é essa aqui, e partir de agora, com uma das melhores músicas do rapper em mãos, a espera até dia 22 de Novembro vai ser uma mais tranquila.

Kanye West – All Of The Lights

Aqui está o oficial segundo single do Loud, novo álbum da Rihanna como todos devem saber. A ótima “Who’s That Chick”, na verdade, era apenas para um comercial do Doritos, e agora “What’s My Name”, com participação do Drake em sua edição final, ganha seu lugar oficial como sucessora do hit “Only Girl”, que chega bem a tempo de causar furor no seu final de semana. A música é daqueles RNB que cheiram a sexo, e assim, não é tão agitada quanto as anteriores, soando mais como uma mistura entre “Rude Boy” e “Te Amo”. De primeira fica a decepção por não termos mais uma música LOUD, mas  depois de ouvir algumas vezes o refrão começa a grudar, assim como o sotaque que Rihanna faz aqui, chegando a lembrar seus trabalhos antigos. Ouçam a música abaixo e aguardem pelo seu vídeo que deve sair muito em breve.

♫ Rihanna – What’s My Name (Feat. Drake)