Archives For royksopp

artworks-000050875126-2oy1ev-original

Frida Sundemo nos conquistou com o seu brilhante EP de estréia, Indigo, um trabalho synthpop de cinco faixas recheado por uma produção moderna, mas cheio de melancolia. Trilhando um caminho peculiar para a divulgação de seu primeiro álbum que, agora, mais do que nunca, deve ser lançado em breve, a cantora de origem sueca já tem uma historia na indústria da musica e é titular de um álbum folk e algumas faixas avulsas que podem ser facilmente localizadas em uma navegação pela internet. Comparada aqui no blog como uma versão mais triste da Robyn, Frida se alimenta da mesma fonte da conceituada cantora sueca, se destacando pela fragilidade de um vocal angelical e pelas suas produções bem pontuadas.

O buzz promocional da vez é “A Milion Years”, que foi disponibilizada recentemente em seu Soundcloud com direito a download gratuito. A faixa traz uma percussão maravilhosa de sintetizadores leves e uma produção militante que já de cara é uma marca registrada da cantora. Sob batidas borbulhantes, a canção começa calma, até ganhar um novo rumo de forma crescente e gloriosa, envolta por um lírico simples mas cheio de apelo. O diferencial fica por conta do refrão primoroso, que logo nas primeiras execuções te embalará em uma sonoridade deliciosa e libertadora, e que, assim como diversas outras canções da sueca, não tem nem um pouco de medo de soar grande.

Frida Sundemo – A Milion Years

56680_474932415880857_1761542891_o

O electro envolvente do duo australiano DEJA já ultrapassou as fronteiras de Melbourne há algum tempo. O projeto dos produtores Haxx e Rromarin nasceu em meados de 2010, e chama atenção por dar charme aos sintetizadores. Mas ao mesmo tempo, tem uma aura um pouco diferente da maioria dos atos de synth-pop que a gente vê por aí, afinal, o objetivo do DEJA não é te levar pra pista de dança, e sim te fazer embarcar na viagem futurística que é cada uma das suas faixas. “Holiday” já tinha mostrado isso com bastante clareza, fazendo uso de diversos sons para garantir suas batidas vigorosas e versos grudentos, e agora o primeiro lançamento deles em 2013 reforça a cara future-pop da dupla.

Com “Still Falling”, o DEJA chega menos pop e talvez mais chillwave do que nunca. O som está cada vez mais enraizado nos sintetizadores e inspirado no mundo digital, o que dá uma alma futurista sem igual para a faixa. Dá pra perceber que é uma tentativa de fazer um electro psicodélico e introspectivo, soar meio enigmático, trabalhando com muitos elementos que podem te remeter ao Neon Indian e ao Yeasayer, e que demonstra uma forte influência do Röyksopp em seu som. Apesar de não ser o alvo da música, não é difícil se imaginar sendo envolvido pelas batidas da faixa numa pista, já que a sonoridade da dupla não deixa de ser acessível no single, que eles declararam ser a primeira amostra de um EP a ser lançado ainda esse ano. Eclética, urbana, misturando orgânico e digital, “Still Falling” soa elegante e progressiva. E é com ela que o DEJA quer provar que existe muito mais do que sintetizadores bem orquestrados a serem explorados no gênero.

Download: DEJA – Still Falling

O EP de estreia da dupla está programado para julho, sem maiores detalhes.

Röyksopp - Running To The Sea (Feat. Susanne Sundfør)

O duo sueco Royksopp tem duas caras: a primeira, com uma pegada electro mais agressiva, e a segunda, ligeramente mais emocional, dramática. Foi nessa última categoria que os rapazes lançaram a brilhante “Girl And The Robot”, com a Robyn, e que agora retornam com o novo single do seu próximo álbum, ainda sem título ou data de lançamento.

Escrita e gravada em apenas dois dias com a conterrânea Susanne Sundfør, que já tem uma bela bagagem em sua terra natal, basta uma audição em “Running To The Sea” para começar a duvidar do feito, tamanha a maestria e excelência que envolvem sua composição, que não segue uma estrutura convencional e nos deslumbra vagarosamente ao longo dos seus cinco minutos. A química entre a produção sombria e eletrônica dos rapazes com os vocais frágeis e melancólicos de Susanne é de se aplaudir, e transforma o single em um dos momentos mais brilhantes da carreira de ambos.

Royksopp – Running To The Sea (Feat. Susanne Sundfor)

Ainda sem nome ou data de lançamento, nos resta a aguardar por mais novidades do próximo disco do Royksopp.

Pra falar a verdade eu não dei muita bola pro Senior, do Röyksopp, esse ano. Descrito pela crítica como um álbum cheio de faixas instrumentais climáticas e sombrias, eu fiquei assustado principalmente porque faixas instrumentais já não são minha coisa. Agora o Junior, do ano passado, certamente me conquistou, com participações como Robyn, Lykke Li e Karin Dreijer (do The Knife), o álbum trazia faixas mais pops e imediatas, sem deixar o estilo dark do duo de lado.

A faixa em questão, “I Wanna Know”, é a volta a esse estilo. Um disco-pop mais acessível, com vocais maravilhosos, o grupo está distribuindo a música de graça esse mês, que de acordo com eles, é uma das preferidas dos fãs em seus live-sets, mas que só agora está saindo em versão estúdio. A faixa não vai parar nenhuma pista de dança, mas com um baixo forte, pianos, uma batida energética e uma melodia fácil de lembrar, posso recomendar a faixa para qualquer um que queira começar a sexta feira logo dançando!

♫ Röyksopp – I Wanna Know (Feat. Anneli Drecker)

“None Of Them”, a última música a sair antes do seu primeiro (de tres) EPs, e traz a Robyn revoltada de “Dancehall Queen” de volta. Com uma vibe bem badass e dark, Robyn volta com a dupla Röyksopp, para trazer o clima dark de “The Girl and The Robot” de volta, mas nunca atingindo as alturas da mesma. Parece uma daquelas músicas pra sair de casa quatro horas da manhã sem nenhuma intenção boa em mente.

Entediada com a sua cidade, nada mais parece lhe agradar, do sexo às drogas, dos rapazes às músicas. Com uma batida bombante porém restringida, e um refrão pouco pop que não chega a climax nenhum, “None of Dem” pode muito bem ser uma daquelas faixas que cresce com o tempo. Mas pra falar a verdade, depois de três músicas novas vazadas, só espero que as outras três do EP sejam melhores, pois nenhuma dessas por enquanto chega ao nível das principais faixas do “Robyn”.

“Body Talk, PT 1” estará em todos os cantos em Junho, dia 15. Espere por mais dois discos esse ano ainda.

Continue Reading…

2010, oh 2010!

Luis Felipe —  17/11/2009 — Leave a comment

2009 foi um ótimo ano para a música, principalmente para os novos artistas que provavelmente farão muito barulho no futuro ainda, mas a pergunta é, cadê aquele velho artista querido que a tempos não dá as caras?

A resposta é (pelo menos pra uns 80% dos casos) é: 2010!

Segue abaixo uma lista que preparei com alguns dos lançamentos mais aguardados por mim, que une artistas já consagrados e outros que irão lançar o debut em 2010, porém já lançaram alguma coisa esse ano que os fez parar nessa lista…

2010 será de fato um grande ano, e qualquer notícia, desses ou outros novos artistas, pode ter certeza que estaremos cobrindo por aqui!

A resposta é (pelo menos pra uns 80% dos casos) é: 2010!

Segue abaixo uma lista que preparei com alguns dos lançamentos mais aguardados por mim, que une artistas já consagrados e outros que irão lançar o debut em 2010, porém já lançaram alguma coisa esse ano que os fez parar nessa lista…

2010 será de fato um grande ano, e qualquer notícia, desses ou outros novos artistas, pode ter certeza que estaremos cobrindo por aqui!

Continue Reading...