Archives For the killers

image-1-e1367946132279

Apesar de estar baseado em Providence, capital do pequeno estado de Rhode Island, o Magic Man quer mostrar que tem aptidão para o grandioso. O quinteto intitula o seu som como synth-pop, mas na sua nova faixa, “Nova Scotia”, assim como no single anterior, “Paris”, é inegável a presença de vários elementos cativantes que podem fazer com que sua música lote muito mais do que pistas de dança.

De melodia simpática, sintetizadores cheios de personalidade e um vocal marcante, a faixa mostra a nova consistência da banda, que foi completamente reformulada para os últimos singles. Em “Nova Scotia”, percebem-se do início ao fim elementos sem dúvidas retirados das obras do The Killers, que abusam (no melhor sentido) dos recursos que a banda liderada por Brandon Flowers usou no seu Day & Age, de 2008.  A fórmula já é conhecida, mas dá muito certo em “Nova Scotia”, que entrega 4 minutos de sólidos acordes cheios de energia e sensibilidade. Com uma dosagem perfeita de tons carismáticos e batidas pulsantes que fluem com naturalidade, é o imediatismo de cada nota que coloca o Magic Man rumo às bandas de indie rock antêmicos, sem soar pedante e com bastante diferencial para um futuro promissor.

Magic Man – Nova Scotia

A maior novidade é que a banda acaba de assinar com o selo Neon Gold / Columbia (St. Lucia, HAERTS), e deve lançar um disco de estreia ainda neste ano. “Nova Scotia” faz parte do EP The Fox Den Demos.

D23WApe32w4

O Buchanan vai lançar o debut dia 10 de maio e já avisou que não veio pra brincadeira. Produzido por Catherine Marks (que trabalhou com Foals e Interpol) e masterizado no lendário Abbey Road, o primeiro registro dos australianos de Melbourne já mira alto antes mesmo de ser oficialmente lançado, e mesmo quem ainda não conhece a banda já está com o disco no radar. Formado no fim de 2009 e liderado pelo vocalista Josh Simons, o Buchanan promete trazer um registro repleto de canções indie pop eletrizantes, ou pelo menos é isso que podemos concluir dando uma primeira ouvida na faixa título do álbum, “Human Spring”.

Toda banda de indie pop que se preze tem uma música que coloca um sorriso no rosto de todo mundo e que contagia com sua melodia, e “Human Spring” pode ser a canção que vai entrar pra história da carreira do Buchanan por esse motivo. Misturando uma boa dose dos falsetes do Foster The People com uma produção digna do indie-rock dos The Killers, a canção surpreende por não trazer uma estrutura definida, apresentando o encantador refrão uma vez apenas só para cair em um poderoso coro no melhor estilo “All These Things That I’ve Done”, com acordes enérgicos fazendo força junto aos insistentes gritos de guerra do vocalista, querendo te fazer cantar de qualquer maneira. Eles apostaram em um single grandioso e contagiante para ser a faixa título do álbum e não erraram, porque assim que “Human Spring” acaba, a vontade que fica é de ouvir de novo.

Buchanan – Human Spring

O álbum será lançado mês que vem, e já conta com mais dois singles além de “Human Spring”, “Run Faster” e “When The Sun Comes Round Again”.

562300_156598437849880_309291822_n

Se a Escócia é a nova Suécia em termos de novidades musicais ainda é muito cedo pra afirmar, mas os escoceses do CHVRCHES, que por si só já servem como um bom argumento para tal afirmativa, acabou de nos dar mais um belo motivo para acreditarmos no fato. Apresentados nesta manhã através do próprio Facebook da banda, conheça agora os também escoceses do Prides, trio formado pelos amigos Lewis, Callum e Stewart que já andaram fazendo música sob o nome de Midnight Lion, mas que agora chegam revigorados sob um novo nome e um excelente novo single para dar o pontapé inicial à nova carreira.

Começando com um belo riff de sintetizadores vintages que soam como o The Sound Of Arrows fazendo um cover do The Naked And Famous, a canção logo ganha direção própria com a chegada dos vocais de Lewis, que passam longe da dramaticidade dos suecos e dos falsetes dos australianos, se assemelhando mais aos vocais encontrandos em produções do rock do que as do synth-pop. Logo se aproveitando de um refrão grandioso no melhor estilo The Killers para ganhar impulso, a canção ganha um tom ligeriamente mais sombrio em contraponto aos sintetizadores alegres, mas que se mostram mais um delicioso tempero na agradável mistura dos escoceses, que nos deixam ansiosos por mais.

Prides – Out Of The Blue

artworks-000038982255-t9u6nd-original-1

Gabriel Bruce é aquele cara de 23 anos com uma das vozes mais impressionantes (e graves) da atualidade, que em 2012 já nos impressionou com a produção inventiva de “Sleep Paralysis” e a grandiosidade de “Perfect Weather”. Pronto para lançar seu primeiro disco este ano, Love In Arms, Bruce está de volta para apresentar o último gostinho antes da obra completa, onde deixa a melancolia dos singles anteriores de lado a favor de uma sonoridade um pouco mais animada.

Ao ouvir “Cars Not Leaving” pela primeira vez, a sensação que tive é de estar ouvindo a faixa de encerramento do Sam’s Town, do The Killers, mas com a produção mais vibrante do Day & Age. Como disse, aqui a tristeza é substituída por um tom esperançoso, com a composição que parece ter saído do repertório do Springsteen sendo acompanhada por uma produção crescente, que abusa de pianos, órgãos e saxofones para servir de apoio ao grandioso refrão, cantado de forma dramática por Bruce.

Gabriel Bruce – Cars Not Leaving

“Cars Not Leaving” será lançado pelo selo Luv Luv Luv no dia 11 de março, antecipando a chegada do disco, Love In Arms, que sai no mesmo selo no dia 6 de maio.

.

O segundo clipe dirigido pelo Tim Burton também é para o The Killers. A canção, “Here With Me”, é uma das baladas mais grandiosas do quarto disco da banda, Battle Born, e chega aqui com um clipe que conta uma história de amor inusitada e macabra estrelada por Winona Ryder e Craig Roberts (do filme Submarine).

Semana passada era véspera de feriado (ou SWU pra quem foi) e nada mais justo do que tirar uma folguinha, né? Não se preocupem, pois a seção mais querida do blog chega agora, mais testada e aprovada do que nunca! Com duas semanas de remixes saindo e um feriado regado a festas, pude testar todos eles e comprovar que sim, eles funcionam! De quebra temos alguns remixes que você já deve ter visto em outros lugares essa semana, e se esse for seu caso, parta direto pros mais novos! Se perdeu algum outro Friday Mixes também, basta clicar em “Remixes” alí na barra lateral que você terá os remixes mais quentes do ano. Aperta o play e bom final de semana!

.

Jessie J – Do It Like A Dude (Labrinth Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Você já ouviu e (pelo visto) aprovou a original nesse post aqui, e mal posso esperar pelos remixes da música surgirem. Esse aqui, feito pelo Labirinth, é o primeiro da safra, e soa mais como uma nova re-edição da faixa do que como um remix propriamente dito. A produção aqui, pra você ter ideia, assim como a original mistura vários estilos, começando com um groove anos 80 e terminando com reggae. Claramente não feito para as pistas, mas divertida para se ouvir em casa, alternando com a original, pra te deixar animado pra sair e improvisar na noite!

♫ Jessie J – Do It Like A Dude (Labrinth Remix)

.

La Roux – In For The Kill (Kanye West Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Esse remix foi muito falado durante a semana, mas simplesmente não pude deixar de postá-lo aqui. Kanye West pula no hit de La Roux e adiciona seu próprio toque, mudando algumas batidas da música que claramente soam como algumas outras do cara agora. Para melhorar, ele ainda adiciona um rap na metade dela, e nos deixa mais ansiosos ainda ao dizer que La Roux participará de seu novo álbum, o My Beautiful Dark Twisted Fantasy, que está agendado para Novembro. Alguém não está ansioso para ouvir a próxima da dupla?

♫ La Roux – In For The Kill (Kanye West Remix)

.

The Ting Tings – Hands (Passion Pit Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Eu já disse aqui que não me simpatizei muito com essa nova dos Ting Tings, e mantenho minha opinião. O Passion Pit, entretanto, mostra que não está parado e resolve tentar dar um up na faixa, que cá entre nós, só os remixes para salvar. De qualquer forma, este aqui não é a coisa mais impressionante do mundo, mas os sintetizadores que são marca da banda certamente deixam as coisas mais atraentes. Em outras notícias, o álbum do Ting Tings foi adiado para o ano que vem, e espero sinceramente que tenham um novo single até lá. É só aguardar agora.

♫ The Ting Tings – Hands (Passion Pit Remix)

.

Cee-Lo – Fuck You (Le Castle Vania Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Já postamos um remix dessa música, um cover, e agora estamos apresentando um novo remix. E digo que (assim como direi novamente aqui em baixo) não faria isso se não valesse a pena. O Castle Vania aqui não muda muito a faixa, mas adiciona batidas mais dançantes e sem soar agressivas, que vão cair como uma luva para você ouvir em qualquer ocasião, e caso você esteja enjoado da original (como eu estava) dê uma chance a esse remix que simplesmente não para de tocar aonde quer que eu vá. Certamente fará o seu dia melhor.

♫ Cee-Lo – Fuck You (Le Castle Vania Remix)

.

Kanye West – Power (DJ Kue Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

Eu queria muito riscar o nome do DJ Kue ali em cima e colocar Daft Punk. Sério. E aposto que todos cairiam. Com as vozes alteradas que lembram bastante os DJs mais queridos do planeta, Kanye-robô repete “No one man should have all that power”, em toda a música, sobre um ritmo acelerado, que na metade de seus 6 minutos dá espaço para quase dois minutos da versão original, que numa mixagem perfeita volta para o batidão no último minuto, a tempo para você aproveitar mais a pista. Esse é pra te acelerar.

♫ Kanye West – Power (DJ Kue Remix)

.

Rihanna – Only Girl (Rhyno Mashup)

PARA OUVIR: NA PISTA

Assim como disse ali em cima, não postaria um remix de uma música novamente a não ser que vale muito a pena. E esse vale. Na verdade, a primeira vez que ouvi esse remix, ou melhor, mashup, eu não gostei. Achei agitado demais, vendido, como se ele fizesse de tudo pra você gostar. E agora aqui estou, dizendo as mesmas características, só que para você baixá-lo. Talvez ele só faça sentido na pista de dança ou quando você estiver bêbado, mas adianto que ele vai usar todos os artifícios possíveis para te fazer dançar, como uma crescente batida em pleno verso da música, que só consegue ficar maior quando chega no refrão. Se achou confuso demais agora, ouça bêbado e deixe nos comentários a experiência depois.

♫ Rihanna – Only Girl (Rhyno Mashup)

.

The XX – VCR (Four Tet Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Esse aqui também esteve por toda parte algumas semanas atrás, mas só agora achei uma versão com qualidade boa da música, e agora sim estou postando. Se você gosta de Four Tet deixa eu te falar uma coisa: assim como ele usa diversos samples em suas músicas, imagine “VCR”, uma das melhores do the XX, como sendo apenas mais um deles, pois a música aqui soa sem dúvidas como se fosse uma obra original do cara. Se você não conhece nada do projeto, saiba apenas que sua música na maioria é um eletrônico suave, sexy pra caralho, e o There Is Love In You, trabalho desse ano, é o melhor CD para fazer sexo que já ouvi. Ou quase ouvi.

♫ The XX – VCR (Four Tet Remix)

.

The Killers – Smile Like You Mean It (TGIK Broken Heart Mix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Eu amo The Killers, que na verdade é uma das minhas bandas favoritas. Dito isso, ainda falo que “Smile Like You Mean It”, é uma das minhas favoritas da banda, e se você não conhece a música provavelmente não gosta dos caras. A música aqui vai ser perfeita para distorcer a sua vista durante o nascer do sol, graças às batidas dubstep que o remix ganha, além de novos sintetizadores e arranjos futurísticos que emulam trompetes, que vão criar um clima calmo e ideal para você ver o sol nascer como se fosse 2021.

♫ The Killers – Smile Like You Mean it (TGIK Broken Heart Mix)

.

Créditos: Feral Party Kids, SKA & Kick Kick Snare
.

Segunda edição da seção que promete agitar cada hora do seu final de semana! Pra quem não sabe a proposta, temos aqui oito remixes, um para cada hora do seu sábado a noite. E como indicado, vamos colocar um remix especial para… sexo! Curtam, divulguem e comentem logo abaixo.

.

Cee-Lo Green – Fuck You! (Dan Clare Mix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Fuck You, além de virar a queridinha dos blogs afora e receber muito amor da crítica, parece estar no playlist de todo mundo que é pelo menos um pouco ligado em internet. E não demorou muito pros remixes surgiram. Só demorou um pouquinho pra surgir um de qualidade. Com um som electro não tão pesado, passado o primeiro minuto de introdução a música ganhar forma e pra frente é só alegria. Espere só até ouvir o que fizeram com a voz de Cee-Lo no refrão. Surpreendente, empolgante e simplesmente obrigatório.

♫ Cee-Lo Green – Fuck You (Dan Clare Extended Mix)

.

The Killers – Joyride (Night Version)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO

Da série melhores que o original, na verdade essa versão alternativa da contagiante Joyride dos Killers foi feito pela própria banda, a um ano atrás como b-side do single This Is Your Life, mas parece muito bem ter sido feito pelo LCD Soundsystem ou o Hercules & Love Affair. O clima de disco-rock-jazz anos 50 da original permanece, mas a música está ainda mais luxuosa e  produzida aqui, ganhando além de grandes batidas e percussão de sambinha, também guitarras novas.

♫ The Killers – Joyride (Night Version)

.

Diplo & Don Diablo – Make You Pop

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Diplo e Don Diablo juntaram as forças para fazer a pista tremer, ou melhor, você explodir. Na colaboração de DJs mais arrasadora do ano, os caras na verdade lançaram um remix dubstep da faixa (muito ruim por sinal) a um mês atrás, e só agora soltaram a original. As batidas aqui são simplesmente matadoras, e o baixo é pra explodir qualquer subwoofer. Daqueles pra forçar todo mundo ir pra pista.

♫ Diplo & Don Diablo – Make You Pop

.

Goldhawks – Keep The Fire (Reset! Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Me apaixonei por esse remix sem conhecer nada de ninguém da faixa. Fato é: baixe agora. Feito com carinho para os clubes, o remix tem uma vibe disco infinitamente superior que a original, sem contar que é bem interessante pensar como funciona 5 pessoas, o Reset! nesse caso, remixando a mesma faixa.

♫ Goldhawks – Keep The Fire (Reset! Remix)

.

Stromae – Alors On Danse (Feat. Kanye West & Gilbere Forte)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

Você já ouviu a versão original aqui, e embora a música esteja dominando o mercado americano pouco a pouco, nada custa um remix americanizado com o Kanye West, né? Aqui, o rapper acrescenta rimas inéditas ao hit, deixando Stromae e sua voz de tédio (mas longe de ser entediosa!) só com o refrão. As batidas da versão original permanecem inalteradas, assim como o delicioso saxofone, que promete te perturbar por muito tempo ainda.

♫ Stromae – Alors On Danse (Feat. Kanye West & Gilbere)

.

Marina & The Diamonds – I Am Not A Robot (Passion Pit Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

Calma lá. Tem como não ser espetacular? Pegue um dos melhores hits pop do ano e mande uma das minhas bandas favoritas do ano passado remixar. Resultado? O hit da Marina ganha aqui os sintetizadores instantaneamente reconhecíveis do Passion Pit, mantendo todo o brilho da original, mas transoformando o emotronic da faixa em uma verdadeira celebração, que promete fazer muitos indies suarem a camisa na pista.

♫ Marina & The Diamonds – I Am Not A Robot (Passion Pit Remix)

.

Caribou – Odessa (Night Jewel Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

O Caribou já é uma banda que deve ser trilha sonora para muitas noites calientes mundo afora, mas esse remix do Night Jewel não pôde ter sido feito com outra intenção se não sexo. A música, que ganha um clima mais lento e sedutor, continua tão hipnotizante quanto a original, porém com um ar mais glo-fi/space-pop, que definitivamente não vai agitar as pistas, mas sim outros lugares.

♫ Caribou – Odessa (Night Jewel Remix)

.

Brandon Flowers – Crossfire (DVWs Bullethole Remix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Sintetizadored que parecem xilofones e pianos remixados, você nunca ouviu Brandon Flowers cantar sobre um ritmo desse. E Crossfire, a canção ame-ou-odeie solo do cara, apesar de não ganhar as batidas electro mais agitadas do post, ganha uma suave releitura que parece muito bem ter sido obra da La Roux. Calma e tranquila como a original, porém com um clima mais tropical, digna de um pôr do sol pós-balada.

♫ Brandon Flowers – Crossfire (DVWs Bullethole Remix)

.

Créditos: michel heberton & PMA