Arquivos para Usher

ImageProxy.mvc

Mt. Wolf é uma banda composta por 4 ingleses que migraram para Londres e produzem um dream pop que parece misturar influências de Of Monsters And MenDaughterBjork e Sigur Rós. Já conta com um EP lançado em Outubro do ano passado, o Life Size Ghosts, e agora se preparam para o lançamento do segundo EP, que sai ainda esse mês.

“Veins” é uma das faixas que vão compor o novo EP, soando como algumas das faixas mais soturnas de Ellie Goulding, como “Hanging On”, a produção mescla o dream folk característico com uma espécie de experimentalismo, como se Daughter e Bjork trabalhassem em uma produção juntas, acompanhadas de Nanna Bryndís do Of Monsters And Men nos vocais. A música não possui um ápice ou refrão pegajoso, deixando a produção dizer por si só, com seu clima ás vezes pacífico e ás vezes contendo uma certa agitação contida.

Mt. Wolf – Veins

Já “Hypolight”, muito mais grudenta que “Veins”, é o carro chefe do EP. Se em “Veins” há uma agitação contida, em “Hypolight” ela está sendo extravasada, mas sem perder a suavidade e delicadeza da produção anterior. Com batidas suaves e tendo o violão como principal instrumento para acompanhar a voz de Kate Sprouler, a música logo de cara parece com a abertura de Skins, mas que em vez de seguir o rumo eletrônico se volta para uma produção que apesar de delicada é também forte e bem estruturada, como “Youth” da Daughter.

Mt. Wolf – Hypolight

O EP Hypolight será lançado no dia 08 de abril, e contará também com um cover de “Climax” do Usher.

Dubstep: ritmo que surgiu na Inglaterra no começo dos anos 2000, influenciado pelo dub, que por si nasceu na Jamaica como uma forma de remix do reggae, que valorizava o baixo, a bateria e misturados a isso tudo efeitos sonoros. Bem, a descrição acima não foi a toa. Essa semana estaremos explorando mais um pouco esse gênero nos remixes, que essa também estão menos urgentes e mais progressivos e climáticos, preocupados com a construção das batidas e melodia das músicas. Mas prometo que você não irá ficar entediado em nenhum deles, pelo contrário, bem vindo a um dos nossos melhores Friday Mixes.

.

Katy Perry – E.T. (Rodway Remix)

PARA OUVIR: SE ANIMANDO PARA SAIR

Já postei muitos remixes, covers e canções dela aqui no blog, e nenhum durou mais do que dois dias no servidor do MediaFire. Katy e seus acessores conseguiram até tirar o nosso blog do ar a algum tempo atrás, mas bem, aqui estamos de volta, e com mais um remix da moça. “E.T.” ficou extremamente sensacional aqui, ganhando uma produção totalmente nova, com sons de videogame 8 Bit, samples de Castlevania e batidas Dubstep, criando uma nova roupa para música que soa como se ela tivesse sido capturada na Pensilvânia por ETs vampiros e voltado à Terra.

♫ Katy Perry – E.T. (Rodway Remix)

.

Natalia Kills – Zombie (Does It Offend You Yeah Remix)

PARA OUVIR: TOMANDO BANHO.

Já postei a “Mirrors” da cantora, e essa semana postei a ótima “Wonderland”, mas ficou faltando seu primeiro single, “Zombie”. Uma canção progressiva e mid-tempo, a música acaba de ganhar um remix do Does It Offend You, Yeah, que praticamente cria uma música para chamar de sua aqui. As batidas loucas electro-punk para fazer mosh-pit na pista estão presentes, como de característica da banda, mas acompanhados pelo doce vocal de Natalia e seu refrão delicioso de “Zombie”, a música parece encontrar um perfeito equilíbrio, e deve causar catarse onde quer que seja tocada.

♫ Natalia Kills – Zombie (Does It Offend You Yeah Remix)

.

La Roux – Quicksand (Alex Metric Remix)

PARA OUVIR: SE ARRUMANDO

Já vou começar falando: que remix FODA. Basicamente, “Quicksand” da La Roux se transforma em um épico das pistas de dança com 6 minutos de duração, que vai te deixar babando em cada segundo dele. Alex Metric, conhecido por seus remixes longos que vai construindo a música aos poucos, reinventa o primeiro single do duo aqui, que começa dramático mas vai soltando as batidas e os refrões aos poucos, descrescendo o ritmo no meio do caminho para depois engrenar com força. Destaque para o brilhante final, onde o cara recorta e cola o vocal da cantora e cria uma parte totalmente nova à música. Recomendo ouvir com os fones de ouvido para se perder na produção luxuosa deste aqui.

♫ La Roux – La Roux – Quicksand (Alex Metric Remix)

.

Cut Copy – Far Away (Bag Raiders Remix)

PARA OUVIR: BEBENDO

Eu amo Cut Copy e adorei o Bag Raiders esse ano. Enquanto no ano que vem estaremos cobrindo massivamente o novo disco do amado grupo, que tal revisitarmos aqui uma das músicas mais legal do segundo disco, dessa vez com um remix feito pelos Bag Raiders? Os caras adicionam uma produção totalmente nova à música, com instrumentos tocados por eles mesmos, que só reutiliza o vocal original, adicionando até mesmo um solo massivo de sintetizadores no meio do caminho. É o filho prestando uma homenagem ao pai, e o resultado disso tudo é um presente nada menos que maravilhoso.

♫ Cut Copy – Far Away (Bag Raiders Remix)

.

Big Boi – Shutterbug (Jack Beats Remix)

PARA OUVIR: NO CARRO COM OS AMIGOS

“Shutterbug” do Big Boi não é apenas uma das melhores canções de hip hop do ano, mas sim uma das melhores ponto. Aqui, o sample da música é instantâneamente reconhecível, numa canção sem muitos altos e baixos, mas que melhora quando vai chegando no finalzinho, quando Big Boi solta o rap sob uma batida dubstep. As batidas, entretanto, vão agradar a todos que estiverem com você, e se tem uma música desse post que poderia ser tocada em qualquer tipo de boate que todos iriam acabar curtindo, é esta aqui. Ouça o melhor remix de “Shutterbug” que encontrei.

♫ Big Boi – Shutterbug (Jack Beats Remix)

.

Usher – OMG (Vindata Remix)

PARA OUVIR: NA PISTA

Que remix doido. Na verdade, não sei se funcionaria muito bem nas pistas, mas quem liga? Se você não gosta da original, recomendo até dar uma chance para essa aqui. Com um começo lento, a música vai ganhando corpo e batidas, que depois de um tempo volta à sua versão original, para depois voltar para a construção de batidas novamente e acabar com uma explosão trance, suficiente para deixar qualquer um mais alto só de ouvir. Se a descrição ficou confusa, apenas dê o play aqui em baixo. Agora por favor, da próxima vez que o DJ tocar a versão original, você só chega, pluga seu iPod, faz um ar superior e sai dançando na pista.

♫ Usher – OMG (Vindata Remix)

.

Major Lazer – Never Good Enough (The Killabits Remix)

PARA OUVIR: FAZENDO SEXO

Por falar em dub/dubstep, eis aqui um remix do gênero para uma nova música do Major Lazer, a mais legal na minha opinião do EP lançado esse ano, o Lazers Never Die. A original era um reggae sensual, mas mesmo com as batidas dubstep aqui a música não perde sua essência, soando mais como um tipo de raggae que ouviríamos saindo da Jamaica em 2020. Pode não seguir o mesmo estilo que as últimas músicas “para sexo” que tenho postado aqui, mas não deixa de ser conveniente. Na verdade, enquanto as outras eram mais um “sexo romântico”, pense nessa aqui como um “sexo agressivo”, mas igualmente sensual. Alguma coisa contra?

♫ Major Lazer – Never Good Enough (The Killabits Remix)

.

Jayme Dee – Love Whiplash (RAC Mix)

PARA OUVIR: NA VOLTA VENDO O SOL NASCER

Mais uma vez, o RAC mostra que não apenas faz ótimos remixes, mas que também faz ótimas escolhas. Na verdade, eu ouvi o remix antes da original, que não tem alterações gritantes, mantendo o clima leve de romance de verão, sob palminhas e batidas ensolaradas. O produtor dá um ar a mais pra música, adiciona mais efeitos e torna a inocente canção em uma escolha perfeita para se ouvir com o vento no rosto, enquando você estiver voltando para casa. Afinal, depois de tantos remixes “sujos” e agressivos, nada mais justo que uma canção mais leve para relaxar.

♫ Jayme Dee – Love Whiplash (RAC Mix)

.

♫ [D/L] Friday Mixes VI

.

Créditos: Dancing Astronaut  & KKS
.

Uma dose de remixes a tempo de uma sexta feira a noite.

Kylie Minogue – All The Lovers (Fear Of Tigers Remix)

O mais novo remix do Fear of Tigers tranforma All The Lovers, que apesar de legal é bem paradinha, em uma canção extravagante e pronta para aquele fim de balada quando todos estiverem bêbados. O clima da música permance e embora a duração extendida, o remix não é cansativo, embora uma edição reduzida seria ideal. Visto no PopJustice.

♫ Kylie Minogue – All The Lovers (Fear Of Tigers Remix)

.

Usher vs Sleigh Bells – Oh My Kids (The Hood Internet Mash Up)

Cansei de falar aqui que o The Hood Internet são os meus DJs favoritos, pois além de originais, eles são antenados. Aqui, pegam duas favoritas do momento: uma dos indies e uma das rádios. OMG, não vou desprezar, é uma canção bem divertida, mas veja bem o que eles fizeram com ela nesse remix.

♫ Usher vs. Sleigh Bells – Oh My Kids (The Hood Internet Mash Up)

.

Bob Marley – I Wanna Know Now (MGMT, Xamphoon Jones Remix)

Pedras vão ser tacadas por esse post, pois alguns dizem que em clássico não se mexe. E é lógico que não tem comparação aqui, mas me diz quando você imaginou ver o clássico do Bob Marley misturada com a famosa Kids de 2008? Vá com a cabeça aberta e encontre um dos mash-ups mais refrescantes que já ouvi.

♫ Bob Marley – I Wanna Know Now (MGMT, Xamphoon Jones Remix)

Nicki Minaj vem sendo bombardeada por sua gravadora (a Young Money, de Lil Wayne) como a grande próxima artista de hip-hop, e fez inclusive uma participação especial no single do Usher, assim como uma outra garota famosa ano passado… De qualquer forma, acaba de vazar o primeiro single do debut album da moça e sinceramente, não vi nada de tão extraordinário assim. Como postado anteriormente, temos artistas no momento bem melhores pra fazer esse papel, agora não se espante se você ver essa música subindo nos charts desesperadamente.

Primeiro, Nicki deve receber uma quantia considerável de Lil Wayne pra produzir seu álbum e marketear sua campanha. “Massive Atack” conta com Sean Garret (responsável por hits como Yeah (Usher), Goodies (Ciara) e Check On It (Beyoncé) ) e possui uma batida bem diferente da que estamos acostumados, o que pode grudar com o tempo ou não. De qualquer forma, só a primeira frase da música já vale: “It’s Barbie, b—-”, e logo em seguida solta o batidão, completamente impossível de se compreender de início. A cara dos americanos, mas sinceramente, um guilty pleasure para se ouvir quando precisar se animar para uma festa.

Baixem enquanto Lil Wayne não me manda uma ameaça por email.

EDIT: Estou completamente viciado na música depois de 10 replays. Você não ouviu nada igual nesse ano ainda.

Continue lendo…