Archives For Young Galaxy

.

Depois do vídeo de “Pretty Boy”, em que a beleza está na forma agradável como os personagens são retratados, o Young Galaxy investiu em uma beleza diferente no clipe de “New Summer”. O novo videoclipe da banda canadense conta com imagens desoladoras de cidades sendo destruídas de várias maneiras, garantindo a sensação de melancolia que a canção provoca. O encanto do novo single do álbum Ultramarine (lançado em abril) não está na mensagem, mas nos efeitos visuais de ótima qualidade. O diretor Ivan Grbovic criou uma espécie de apocalipse, com direito a cenas dignas de filmes sobre catástrofes globais, tanto que há takes reeditados de obras como “Matrix Reloaded” (2003), por exemplo.

.

Soa bastante contraditório e como uma aposta interessante que o clipe da faixa “Pretty Boy”, da banda Young Galaxy traga um “boy” não tão “pretty” assim. O visual do vídeo é incrível, pronto para te fazer sentir o drama do personagem através da melodia animada. Um encontro aparentemente casual em um bar parece ser um início comum para uma amizade, mas as cenas de dança são certamente o charme do vídeo e prendem a atenção pela simplicidade dos movimentos realizados por pessoas comuns e não estereotipadas. A mensagem de um local onde todos querem apenas a diversão, sendo apenas eles mesmos apesar de diferenças ou aparências, é muito interessante. O bom roteiro e a boa direção foram, sem dúvidas, fatores determinantes para transformar o vídeo em uma obra-prima.

Quem acompanha o blog deve estar ansioso junto comigo para o disco Shapeshifting, do Young Galaxy, que ainda não deu as caras. Isso tudo porque depois do gostinho que tivemos com “Peripheral Visionaries” e “Cover Your Tracks”, o álbum virou pra mim o principal lançamento de Fevereiro. Tudo bem que está logo alí, mas acaba de sair mais uma do disco, “We Have Everything”. A faixa é sem dúvidas a mais agitada das três, com um clima soft-disco que nos passa a sensação de um sonho acordado. Catherine, que soa como uma Alanis Morissete rejuvenescida, pega os vocais só para ela dessa vez, completando o tom hipnótico da música que pode não atingir os patamares das outras duas por ter um refrão mais sutil, mas que com certeza te fará ouvi-lá o bastante para  mudar de ideia.

Young Galaxy – We Have Everything

Como disse, o lançamento do Shapeshifting está logo alí, dia 8 de Fevereiro, então fiquem de olho nos melhores blogs!

Fiquei meio obcecado com essa banda depois do belíssimo primeiro single do disco Shapeshifting que postei aqui, e por coincidência, a banda acaba de soltar mais uma faixa do disco, que para mim já é um dos lançamentes mais aguardados do começo do ano que vem. “Cover Your Tracks” segue a mesma linha suave de “Peripheral Visionaires”, com uma melodia space rock de fundo misturada a um toque tropical, graças ao brilhante uso de tambores de aço. A canção te absorve por completo, e só solta seu refrão cantado pela bela voz de Catherine McCandless no final, e a única coisa que me vem à cabeça quando escuto essa música é uma festa sombria numa ilha deserta, tal o contraste dos sons.

Young Galaxy – Cover Your Tracks

Shapeshifting foi produzido por Dan Lissvik, do Studio, e como disse, é uma mudança e tanto para a sonoridade do grupo, mas que se depender das canções que ouvimos até agora, terá um belo 2011 pela frente. O álbum sai dia 8 de Fevereiro, e já estou contando os dias.

A maioria das bandas começam pequenas, e viram grandes depois, tanto em público quanto em sonoridade. Admito que não conhecia o Young Galaxy, banda que já possui dois álbuns nas costas, mas confesso que mal posso esperar pra ouvir o terceiro, Shapeshifting. Como o título indica, os caras mudaram. Ao invés do tom mais épico de suas canções anteriores, como diz o release, estão apostando em um tom mais “sexy” e “expansivo” (The XX alguém?), e o resultado pode ser conferido no primeiro single “Peripheral Visionaries”. A música não é nada menos do que uma jornada quase-mágica, com um vocal feminino e um masculino trocando as vezes sob um baixo viajante, que te acompanha até seu refrão composto apenas por “oohs” e riffs de guitarra, até chegar seu ápice, no último minuto, onde a banda canta em coro uma nova estrofe, de arrepiar. Sexy, expansivo e épico, um perfeito “dream pop” que cumpre o que o gênero promete: te fazer escapar, nem que por três minutos, de onde quer que você esteja. O disco sai dia 8 de Fevereiro, pelo selo Arts & Crafts, do Broken Social Scene.

Young Galaxy – Peripheral Visionaries